10/2/2021 – Especialista dá dicas importantes para empresas e pessoas físicas garantirem a navegação na internet de forma segura 

O Dia da Internet Segura é comemorado no dia 09 de fevereiro. O objetivo da data é conscientizar as pessoas e empresas para o uso seguro, ético e responsável das novas tecnologias. Esse ano o tema do evento é ”Juntos por uma Internet melhor” e com uma sociedade cada vez mais conectada é importante tomar todos os cuidados possíveis para não cair em golpes digitais.

Segundo um levantamento da dfndr lab, laboratório de cibersegurança da PSafe, 30% dos profissionais não utilizam nenhuma medida de segurança contra sites maliciosos em computadores de trabalho. Com a adoção do home office, por conta da pandemia da Covid-19, aumentam os riscos à segurança dos dados corporativos.

“É ideal que as empresas adotem políticas e controles para que seus colaboradores possam seguir no trabalho remoto. Na TCS, por exemplo, reforçamos a importância da política de mesas e telas limpas, bem como bloqueio de tela imediato ao se distanciar do computador, mesmo que por um curto período de tempo para reduzirmos o risco de temos dados sensíveis expostos ou arquivos/ rotinas de programação apagados ou interrompidos por engano por outras pessoas que convivem no mesmo ambiente, uma vez que normalmente estamos em ambiente pessoal, executando nosso trabalho”, comenta Rodrigo Ferrarez, Gerente de Segurança da Informação para o Brasil e a Argentina na Tata Consultancy Services (TCS).

Para o especialista, uma medida de segurança simples e que todos podem utilizar é a criação de senhas complexas. “Usar no mínimo oito caracteres contendo letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais farão muita diferença na hora de se proteger. Além disso, não utilizar sequência numérica, nomes de pessoas e animais ou data comemorativas. É importante também ter senhas distintas para uso profissional e pessoal”, explica. Ferrarez e ressalta ainda que o usuário deve trocar de senha a cada três meses pelo menos, e quando possível, utilizar recurso de MFA (autenticação de multi-fator).

Ativar as notificações de segurança e a verificação em duas etapas, ajuda na proteção dos dados e evita que redes sociais e aplicativos de mensagens sejam clonados. Em caso de e-mails, o especialista recomenda desconfiar sempre. “Caso seja uma mensagem de uma pessoa desconhecida, veja se tem erros de português ou até mesmo se o tom da mensagem é de urgência. Essas são características de golpes comuns para atrair a atenção das pessoas e assim conseguir informações sensíveis ou até acesso a contas bancárias delas. É essencial também observar se o domínio do e-mail corresponde com a empresa descrita na mensagem”.

Para as pequenas e médias empresas é muito importante investir em conscientização dos colaboradores em várias áreas da segurança das informações e privacidade de dados. Manter o parque de máquinas e antivírus atualizados ajudam a proteger contra os ataques de ransomware, tão comuns nos dias de hoje. Guardar informações em um serviço de nuvem com recursos de segurança como o MFA (multi-factor authentication), por exemplo, colabora na proteção de dados, pois será uma camada de proteção a mais contra um hacker mal intencionado.

Nas redes sociais, o ideal é evitar compartilhar fotos de documentos (muita gente publica o CV em redes sociais contendo informações pessoais, por exemplo), registros ou uma simples selfie no escritório, já que o ambiente pode ter alguma informação que não deve ser divulgada. Também é importante conhecer a fonte e a veracidade das informações que se compartilha ou se retransmite, evitando assim o compartilhamento de fake news, ou notícias que possam prejudicar uma pessoa ou empresa injustamente. Lembre-se, uma vez publicada, uma informação dificilmente poderá ser suprimida por completo da internet, principalmente tratando-se de assuntos polêmicos e em alta naquele momento.

Outro ponto importante é que com o fechamento do comércio físico, muitas pessoas migraram para as compras online pela primeira vez. Com isso, os golpes se tornaram cada vez mais recorrentes. “Toda página confiável possui minimamente um cadeado na barra de endereço do navegador, caso não tenha, suspeite desse site. O recomendado é fazer compras em sites conhecidos e caso não conheça, faça uma busca na internet e veja as avaliações dos outros consumidores”, diz Ferrarez.

“Em geral, para navegar seguro na internet é importante sempre estar com o antivírus atualizado e com as últimas atualizações de patch (pacotes de atualizações, que incluem também itens de segurança). Procure sempre limpar os dados de seu navegador periodicamente. E, por fim, outra dica é separar as ferramentas de trabalho com as de uso pessoal, como laptops e celulares. Não misturar os dois mundos pode proteger você e a empresa em que trabalha”, finaliza Ferrarez.Dia da Internet Segura: como se proteger de golpes online