Home Cultura Incorporadora ecológica promove obra de artista na Bienal de SP

Incorporadora ecológica promove obra de artista na Bienal de SP



A Alphaz Concept, incorporadora brasileira que executa projetos de arquitetura com responsabilidade ecológica, está promovendo e patrocinando a 13ª edição da Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo. Considerada um dos 3 principais eventos de arquitetura do mundo, neste ano a Bienal pretende estimular reflexões sobre os espaços contemporâneos enquanto desdobramento de eventos do passado.

A incorporadora, que atua com arquitetos renomados como Silvio Oskman, está fomentando o debate sobre construções sustentáveis e por isso levará até o evento um de seus mais recentes parceiros: o artista Andrey Guaianá Zignnatto. Indígena de etnia Tupinaky’ia da família Guaianá e Guarani, ele também é professor de artes visuais e ativista de projetos sociais.

Tendo trabalhado como ajudante de pedreiro dos 10 aos 14 anos, Zignnatto considera que essas memórias afetivas e ancestrais formam a base dos métodos que ele utiliza para produzir as peças artísticas. No evento será exposta a obra “Robá”, que em tupi-guarani significa “amargo”.

“Ela é uma instalação artística que usará restos de uma oca que foi atingida durante um incêndio na Reserva do Jaraguá, em São Paulo, onde habita uma comunidade com cerca de 3 mil indígenas da etnia Guarani Mbya. Nos últimos anos tivemos vários incêndios que atingiram as aldeias, então a ideia é remontar uma das ocas com o resto que sobrou das queimadas”, explica.

Zignnatto pontua que a sua criação formará uma espécie de sala para abrigar outros trabalhos dentro, incluindo uma rede formada por luvas de carregadores de tijolos e uma carteira escolar com uma folha simulando um papel de caderno, mas desenvolvida com cerâmica.

O artista afirma que Robá pretende discutir a relação entre a população urbana e os povos indígenas que vivem próximos das grandes cidades, como os Guarani Mbya. Ele sustenta que há um conflito entre as tradições e modos de vida dos povos originários e dos habitantes urbanos.

“São Paulo é uma gigante com uma cultura própria e muito diferente da dos indígenas. E parte porque a cultura urbana é estabelecida através de contratos sociais, enquanto na indígena as relações se constroem através de questões afetivas e familiares. O trabalho tem o objetivo de discutir esse contraste”.

A 13ª edição da Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, que é realizada pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB Brasil), tem início em 27 de maio de 2022 e segue até 17 de julho no SESC Avenida Paulista e Centro Cultural São Paulo. A obra de Andrey Zignnatto será exibida no Centro Cultural São Paulo, a partir do dia 06 de junho, que fica localizado na Rua Vergueiro, 1000, Paraíso, no cruzamento entre as avenidas Paulista e 23 de maio.

 

Arquitetura, arte e sustentabilidade

Zignnatto também compõe seus trabalhos a partir de elementos que remetem à sustentabilidade. Esse foi um dos aspectos que chamou a atenção da Alphaz Concept para trabalhar em parceria com o artista.

“A união entre arquitetura, meio ambiente e ecologia é essencial a partir do momento que entendemos que os empreendimentos onde vivemos, trabalhamos e passamos boa parte da vida também fazem parte da natureza. Por isso é tão importante pensarmos nessas construções de ponta a ponta, para garantir que todo o processo não afete os ecossistemas que vivemos”, defende Luigi Scianni Romano, sócio-fundador da Alphaz Concept.

“A Robá tem esse apelo ecológico porque é completamente possível falar sobre estilo de vida e sustentabilidade na mesma conversa”, lembra Zignnatto.

A 13ª edição da Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo traz essa discussão mais forte do que nunca e tem na Ecologia um dos de seus eixos em 2022. Os organizadores salientam que além de promover trabalhos que reconstruam temporalidades e levantamentos coletivos de memórias apagadas, o evento pretende abordar e fazer refletir sobre o planejamento de cidades atentas ao equilíbrio ambiental e ao desenvolvimento de atividades produtivas.

Nesse sentido, a bienal quer mostrar como é possível ressaltar projetos voltados para a qualidade de vida da população a partir de temas como mudanças climáticas, cidades de baixo carbono, agricultura urbana e segurança alimentar.

 

Projeto artístico e ecológico

A Alphaz Concept dá vida ao propósito de unir arte, arquitetura e ecologia em empreendimentos como Clube Arte. Concebido como um “museu a céu aberto”, ele está sendo construído em Passa Quatro (MG), na Serra da Mantiqueira, terá residências ecologicamente corretas e contará com a exposição de obras artísticas exclusivas.

Além de Zignnatto, o empreendimento terá trabalhos – com curadoria de André Weller – de talentos como Eduardo Coimbra, Raul Mourão e Iole de Freitas, artista que possui obras no Museu do Açude (Rio de Janeiro), Museu do Bronx e do Brooklyn (Nova Iorque) e na National Gallery (Canadá).

Outro destaque do Clube Arte será a presença de uma Casa de Tropeiro – construção centenária e muito tradicional na região – revitalizada. Os responsáveis pelo projeto de restauração são o arquiteto Silvio Oskman, especializado em patrimônio, e Iole de Freitas.

Seguindo a missão da Alphaz Concept, as casas do condomínio utilizarão materiais reutilizados como tijolos ecológicos, madeira de reflorestamento e terá soluções como sistemas de energia fotovoltaica, biodigestor para tratamento de esgoto e reaproveitamento de águas da chuva.

Lais Ribeiro, top model brasileira de 32 anos, é uma das embaixadoras do Clube Arte e terá uma residência no empreendimento – que deve ficar pronto ainda em 2022.

“A arquitetura sustentável não é apenas promotora de um estilo de vida que tenta garantir um convívio mais harmônico com a natureza, mas também um equilíbrio nas relações com povos tradicionais como os indígenas. Aplicada a esse contexto, a arte ainda consegue impulsionar discussões e reflexões sobre as formas que estamos vivendo e consumindo”, finaliza Romano.

Incorporadora ecológica promove obra de artista na Bienal de SPIncorporadora ecológica promove obra de artista na Bienal de SPIncorporadora ecológica promove obra de artista na Bienal de SPIncorporadora ecológica promove obra de artista na Bienal de SP

Previous articleCentros culturais de São Paulo são opção para conhecer diferentes culturas
Next articlePodcast – Transformação Digital avança no mercado imobiliário e agiliza os negócios residenciais e comerciais