Parceria entre InHaus e Incentiv.me movimenta o cenário cultural paulistano

    São Paulo, SP 23/6/2021 – Agência InHaus forma parceria com startup de inovação tributária capaz de otimizar a captação de recursos de sucesso para projetos incentivados

    Os setores culturais e criativos, no Brasil, representam R$170 bilhões do PIB anual, o que equivale a cerca de 2,5% do Produto Interno Bruto nacional – de acordo com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). Os números significam quase 5 milhões de pessoas empregadas pela cultura.

    Toda a visibilidade e resultados positivos que o setor demonstra para a economia do país, são ainda mais intensificados quando ligados às leis de incentivo à cultura – seja em âmbito federal, estadual ou municipal – que facilitam o acesso a recursos necessários para manter a saúde financeira da categoria.

    Através das leis de incentivo fiscal, as empresas e pessoas, em vez de pagar 100% dos impostos ao Governo Federal, podem direcioná-los diretamente a um projeto ou causa social. A startup Incentiv.me atua como mediadora neste processo, dando o suporte para que o imposto seja direcionado para os projetos com os quais a marca se identifica.

    Cerca de 70% das produções culturais do país são originadas na Lei Federal de Incentivo à Cultura. Um estudo da FGV mostra, também, que para cada R$ 1 investido em projetos na Lei Federal de Cultura, é movimentado R$ 1,59 em toda cadeia produtiva ligada aos setores culturais.

    Resultados da pesquisa de Percepção dos Impactos da Covid-19 nos Setores Culturais e Criativos do Brasil mostram que foi justamente esse o setor mais afetado pela pandemia do novo coronavírus. Esse é o setor também que será protagonista na retomada econômica pós-pandemia, é o que apontam estudiosos. Afinal, a cultura é algo inerente à vida das pessoas.

    Pensando em potenciar o cenário é que grandes iniciativas se unem para tirar do papel projetos culturais de impacto. É o caso da InHaus, agência conhecida por levar ao público projetos inovadores, com a Incentiv.me, textech de inovação tributária que, desde 2018, trabalham em conjunto para permitir grandes iniciativas na prática.

    O Sampa Jazz Festival, por exemplo, projeto da InHaus, já captou mais de R$ 300 mil com a ajuda da Incentiv.me para promover um evento de música, arte e cultura na cidade de São Paulo, impactando cerca de 30 mil pessoas. A InHaus é uma das principais produtoras culturais de São Paulo, e atualmente apresenta 43 projetos em captação na plataforma Incentiv.me.

    Na cidade de São Paulo, inclusive, quase 1,5 milhão de pessoas vivem da cultura. Luiz Restiffe, Sócio Diretor da InHaus, relata que a parceria representa uma trajetória de sucesso. “A Incentiv.me é uma parceira estratégica do setor comercial. Acompanhamos de perto a evolução da plataforma ao longo dos anos e esta é uma parceria que nos possibilita alcançar nossos objetivos e de nossos clientes.”

    Fundada em 2012, a agência possui um portfólio de grandes projetos culturais bem-sucedidos e busca surpreender sempre. Agora, por conta da pandemia, a maioria de de seus projetos passou por um processo de inovação para focar no entretenimento com segurança, ainda captando recursos através dos serviços da Incentiv.me.

    Dentre seus projetos, estão: o Festival Sons da Rua, atualmente o maior evento de hip-hop e estilos associados à arte urbana da América Latina; o Nômade Festival propõe um ambiente de trocas entre estilos musicais, moda, arte e diversidade; o Sampa Jazz reúne grupos renomados do estilo musical, com programação de shows e talks; NaLata Festival Internacional de Arte Urbana, realizado em 2020, que trouxe para o horizonte de São Paulo o trabalho de artistas mundialmente reconhecidos, deixando um legado de 15 empenas assinadas e reforçando o grafite como uma forma genuína e democrática de arte urbana.

    Parceria entre InHaus e Incentiv.me movimenta o cenário cultural paulistano

    Website: http://site.incentiv.me

    Previous articleHotéis e restaurantes têm queda histórica de 44% no faturamento e 397 mil de empregos perdidos. Setor prevê recuperação plena somente em 2023
    Next articleInverno é oportunidade para férias em Curitiba