Home CORPORATE Mercado Novo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de Manaus

Novo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de Manaus



Já foi publicado do Diário Oficial da União o Decreto nº 11.158, que substitui a TIPI (Tabela de incidência do Imposto sobre produtos industrializados) vigente e desonera em 35% o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) da maioria dos produtos comercializados no país. Essa medida alcança tanto os produtos industrializados fabricados no Brasil como os produtos de origem estrangeira. Adicionalmente, o Decreto amplia a redução de alíquotas promovida no segmento da indústria automotiva. A redução, que era de 18,5%, passa para 24,75%.

O novo Decreto da TIPI visa preservar a competitividade da Zona Franca de Manaus (ZFM), levando em consideração os itens produzidos na área de incentivo por meio de PPB – Processo Produtivo Básico. Além disso, a nova normativa não altera a classificação fiscal de mercadorias (NCM), trazendo, apenas, algumas variações de ex-tarifários do IPI (EX).

Vale ressaltar que o Decreto observa as causas de julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 7153), que pedia o retorno das alíquotas do IPI para bens de fabricação relevantes para a ZFM – que reúne indústrias de eletrodomésticos, veículos, motocicletas, bicicletas, TVs, celulares, aparelhos de ar-condicionado, equipamentos de ginástica e computadores, entre outros. Para estes produtos, a alíquota publicada na nova tabela corresponde ao percentual praticado pelos contribuintes antes de qualquer redução.

“O argumento do governo federal para a publicação do Decreto é que esse é mais um passo para o avanço das medidas de desoneração tributária e influenciará positivamente o Produto Interno Bruto (PIB), a partir da redução do custo Brasil, além de trazer maior segurança jurídica para as indústrias brasileiras. Em resumo, a expectativa do Governo Federal é o aumento da competitividade do setor industrial, que irá pagar menos impostos e aumentará a produção. Esse Decreto estava sendo bastante esperado pelo setor produtivo”, explica Elisabete Ranciaro, Diretora da Consultoria Fiscal da Econet Editora.



Ela alerta que industriais e varejistas fiquem atentos às mudanças no IPI para emissão de notas fiscais com os valores atualizados. “Eles devem conferir a alteração das alíquotas para a correta aplicação do IPI sobre o faturamento dos produtos industrializados”, orienta a Diretora Fiscal da Econet Editora.

IPI

O IPI é um imposto federal que recai sobre mais de 4.000 itens nacionais e importados que passaram por algum processo de industrialização (beneficiamento, transformação, montagem, acondicionamento ou restauração). O IPI é um tributo “extrafiscal”: além da finalidade arrecadatória, interfere na economia. Ou seja, o IPI pode ser utilizado para fomentar um setor econômico por meio de isenção ou redução das alíquotas para que mais produtos produzidos pelo setor sejam vendidos.

Desde o início do ano o governo vem diminuindo as alíquotas do IPI para diversos produtos. No mês de abril ocorreram reduções de 25% a partir da publicação dos Decretos 11.047, 11.052 e 11.055. Em junho, elevou o corte das alíquotas para 35%, com exceção para produtos de tabaco e derivados e bebidas alcoólicas. No último mês de julho, a redução chegou a 35% na maioria dos produtos, inclusive os fabricados na ZFM.

Novo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de ManausNovo decreto do IPI preserva competitividade da Zona Franca de Manaus

Previous articleSetor de Limpeza e Conservação cresce no franchising brasileiro
Next articleGoverno arrecada 37,47% a mais em junho com tributos pagos por empresas
Diretor de Conteúdo do Portal Vida Moderna