Home Cultura Parque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosas

Parque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosas



O Instituto Ecofuturo, organização sem fins lucrativos mantida pela Suzano e responsável pela gestão do Parque das Neblinas – reserva ambiental da empresa –, registrou novas imagens por meio das câmeras trap instaladas na área: em um dos vídeos, é possível observar a onça-parda (Puma concolor) andando enquanto um morcego voa em direção à câmera. Colaboradores da reserva e parceiros do Instituto não encontraram explicação para esse comportamento. Não há histórico de registros parecidos feitos pelos equipamentos do Parque.

A suçuruana, como também é chamada a onça-parda, é classificada como Vulnerável (VU): apesar de estar presente em todos os biomas, sua população encontra-se bastante reduzida. Um fato curioso é que, diferentemente de outros grandes felinos, ela não esturra e nem urra: a vocalização se parece mais com um miado.

As câmeras também flagraram uma jaguatirica (Leopardus pardalis) marcando território, uma onça-parda vocalizando e um gato-mourisco (Puma yagouaroundi) – espécie de difícil registro. Imagens como essas reforçam que os trabalhos de regeneração e conservação desenvolvidos na área proporcionam as condições necessárias para o abrigo e reprodução da fauna da Mata Atlântica.

As câmeras trap, instaladas e manuseadas pela própria equipe de guarda-parques do Instituto, já captaram diversos animais – como, por exemplo, a anta, o veado, a irara e o cateto – e são um importante recurso para o registro e monitoramento da biodiversidade no Parque, além de contribuir com ações de fiscalização e conservação da área.

“Estes registros são indicadores importantes para nós. Proteger a biodiversidade e contribuir para sua conservação é um dos objetivos do Ecofuturo, que atua em parceria com a Suzano e com instituições de ensino para fortalecer o conhecimento sobre as espécies na reserva e apoiar o desenvolvimento de pesquisas”, afirma Paulo Groke, diretor superintendente do Ecofuturo.

Com 7 mil hectares de Mata Atlântica em diferentes estágios de regeneração, o Parque das Neblinas, localizado nos municípios de Mogi das Cruzes e Bertioga (SP), já registrou 1.265 espécies na reserva, sendo quatro novas para a ciência e cerca de 26 com algum grau de ameaça.

Mais informações sobre os flagras aqui.

Reconhecido pelo Programa Homem e Biosfera da UNESCO como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, o Parque das Neblinas é uma reserva ambiental da Suzano, gerida pelo Ecofuturo, com 7 mil hectares. No local, são desenvolvidas atividades de ecoturismo, pesquisa científica, educação ambiental, manejo e restauração florestal e participação comunitária. 

Organização sem fins lucrativos, fundada em 1999 e mantida pela Suzano, o Instituto Ecofuturo contribui para transformar a sociedade por meio da conservação ambiental e promoção do conhecimento. Entre as principais iniciativas está a gestão do Parque das Neblinas, onde são desenvolvidas atividades de educação ambiental, pesquisa científica, ecoturismo, manejo e restauração florestal, e participação comunitária. 

Planin – Assessoria de Imprensa da Suzano   

Angélica Consiglio, Beatriz Imenes e equipe – www.planin.com 

Contato: Eduarda Lopes, Thallyta Nunes e Maíra Telles

suzano@planin.com – Tel.: (11) 2138-8949

Parque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosasParque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosasParque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosasParque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosasParque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosasParque das Neblinas registra novos flagras do bioma local com interações curiosas

Previous articleComplexos multiúso viram tendência com foco em conveniência
Next articleEsporte Clube Sírio promoverá sessão de cinema árabe
Diretor de Conteúdo do Portal Vida Moderna