A inteligência artificial (AI) é um dos temas preferidos dos filmes de ficção científica. E os dias de hoje mostram que não há momento mais apropriado para um enredo. Nessa semana, o sistema de AI do Google ganhou novamente um jogo de Go (um tabuleiro mais complicado que o xadrez) do campeão mundial Lee Se-don. No placar, já está 2×0 pras máquinas. O Facebook diz ter um projeto de AI para o futuro próximo e empresas como IBM também já colocam seus produtos na ponta da agulha para lançar no mercado.

O contexto atual do mundo com tecnologia avançando rapidamente favorece o sucesso do curta-metragem The iMom (A iMãe), dirigido e escrito por Ariel Martin. Nele, um robô com inteligência artificial desempenha o papel de mãe. O início do filme é exatamente a mãe tentando se “conectar emocionalmente” com o filho, antes de dá-lo para a iMom.

A partir daí… bom, é melhor não dar spoilers.

Mas é necessário avisar que o filme começa lento, quase tedioso. Aos poucos vai ganhando a dramaticidade da trama e vira algo provocativo. A obra é feita pra…[LEIA MAIS]