Home Cultura Projeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo Brasil

Projeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo Brasil



Os Figureiros do Vale do Paraíba são artesãos do interior paulista que preservam 150 anos de tradição da modelagem das figuras coloridas de barro.

O Projeto Modelando Tradições visa difundir a tradição figureira através de oficinas que proporcionam aos participantes a oportunidade de aprendizado e geração de renda. No município de Taubaté, por exemplo, mulheres Figureiras vivem desta arte até hoje incentivando filhos, netos e sobrinhos, estimulando a economia criativa.

O projeto instituído em 2009, através do Edital de Ponto de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, tem como objetivo ministrar oficinas monitoradas por arte educadores que fomentam a história da arte figureira nas escolas públicas, estimulando a prática da modelagem em argila e difundindo a história de um dos ícones mais importantes da cultura popular: o Pavão Azul, figura bastante tradicional na arte figurativa da Região Metropolitana do Vale do Paraíba.

Com foco nas crianças do ensino fundamental, este projeto enfatiza a modelagem, a pintura, estimulando a criatividade, a coordenação motora, a imaginação e desenvolvendo as capacidades intelectuais e psicomotoras, através da experiência com o tridimensional. Esta é uma ferramenta que, segundo especialistas, favorece a expressão artística do educando melhorando sua noção espacial e sua memória visual.



Os Figureiros, como se autodenominam os artesãos da cidade de Taubaté, criam pequenas imagens do seu dia-a-dia, fruto do aprendizado de várias gerações, uma tradição herdada de antigas técnicas ceramistas vindas do período colonial. As peças delicadas e de grande efeito cromático, chamam a atenção do público, em especial o Pavão Azul, criado por D. Maria Cândida, hoje com 88 anos, que se inspirou em um pavão que viu pela primeira vez em um parque da estação ferroviária de Taubaté. Na época jamais poderia imaginar que sua peça seria tão difundida, reinterpretada por outros artesãos e mais tarde, em 1979, se tornaria o Símbolo do Artesanato Paulista.

A história contada por D. Cândida, repercutiu e tornou-se livro infantil ilustrado e publicado pelo Ponto de Cultura Modelando Tradições.

As oficinas do Projeto Modelando Tradições acontecem em locais públicos e em diversas cidades de todo o país, destinadas a todos os públicos. 

Serviço:

Contato para Oficinas: contato@figureiros.org.br

Oficinas gratuitas em andamento para crianças: De 02/07 a 30/07 (Somente aos sábados das 14h às 16h no Museu Histórico Folclórico e Pedagógico Monteiro – Sítio do Pica-Pau Amarelo

Av. Monteiro Lobato, s/n – Chácara do Visconde – Taubaté – SP 

OBS.: Não é necessária inscrição prévia.

Projeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo BrasilProjeto Modelando Tradições de Taubaté se expande pelo Brasil

Previous articleRadware lança parte III do Hacker’s Almanac
Next articleEducação: tecnologia é alternativa para pessoas com limitações físicas
Diretor de Conteúdo do Portal Vida Moderna