Home Cultura Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas

Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas



Com a expansão tecnológica do sistema de PABX. agora fornecida também em nuvem, a ferramenta anula a problemática dos altos custos tem sido sanada em grande parte das empresas brasileiras.

Ao trabalhar como uma central telefônica gerenciadora de ramais, o PABX em nuvem diminui consideravelmente os custos, centralizando e potencializando as demandas entre empresas e clientes, já que os ramais substituem o uso de inúmeras linhas telefônicas.

“O avanço tecnológico e a maior velocidade das redes é a principal característica da telefonia virtual pelo PABX”, afirma Paulo Henrique Silva, Gerente Comercial da Voxov Telecom. Ele complementa, ainda, que “é fundamental o bom funcionamento e a confiável qualidade das ligações oferecidas pela operadora”. Segundo ele, “os dados são transmitidos pela internet precisam estar limpos, rápidos e audíveis”.

Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Telefonia baseada em nuvem conta pontos positivos em produtividade nas empresas
Previous articleSeminário para qualificar gestores municipais começa nesta quarta-feira (22)
Next articleNúmero de nômades digitais pode chegar a 1 bilhão até 2035