Home Cultura Vendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudo

Vendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudo



O comércio eletrônico mundial deve crescer 55,3% nos próximos três anos, conforme estimativa do relatório Global Payments Report, divulgado em março pela Worldpay from FIS. Segundo o levantamento, as vendas do e-commerce no Brasil, por sua vez, devem avançar 95% até 2025. 

Em 2021, as vendas digitais aumentaram 48% no país em relação ao no precedente, mesmo diante de fatores como o avanço da vacinação contra Covid-19, o fim do confinamento em todas as UFs (Unidades Federativas) e a reabertura total do comércio, de acordo com o índice MCC-ENET, desenvolvido pela Neotrust | Movimento Compre & Confie, de forma conjunta com o Comitê de Métricas da Camara-e.net (Câmara Brasileira da Economia Digital).

Mateus Toledo, CEO da MT Soluções – empresa que atua com um hub de soluções para e-commerce, como implantações de lojas virtuais, layouts e sistema ERP e marketing digital -, chama a atenção para o fato de que, desde 2020, o e-commerce tem tido uma forte  crescente devido  aos impactos gerados pandemia de Covid-19.

“Os usuários têm optado, cada dia mais, pela praticidade das compras on-line. Muitos lojistas, vendo este crescimento, escolheram migrar para a loja virtual”, afirma. A análise do empresário é confirmada por números: segundo balanço da Visa Consulting & Analytics, cerca de 70 mil empresas entraram para o e-commerce desde o início da crise sanitária.



Para o CEO da MT Soluções, o motivo do crescimento das empresas virtuais é claro: além da praticidade e conforto, o e-commerce tem trazido novas tecnologias, para melhorar cada vez mais a experiência do usuário. “Além disso, as campanhas de marketing feitas com planejamento e orientações adequadas ajudam bastante para que os usuários decidam fechar uma compra on-line, ainda mais com os ‘mimos’ que muitas empresas disponibilizam em suas lojas virtuais e nas redes sociais digitais, como cupons de desconto e frete grátis”, diz ele. 

Mateus Toledo reforça que esta orientação é fundamental para ajudar a adequar uma equação complexa que busca, no final das contas, não deixar que o lojista se prejudique queimando margem de lucro. Com isso, do outro lado o consumidor final terá de fato uma promoção atrativa e que traga vantagem de verdade.

Em 2020, 70% da população já havia afirmado que pretendia intensificar as compras por meio de sites e aplicativos, segundo estudo realizado pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo).

Cresce expectativa com o Dia dos Namorados 

Na perspectiva de Toledo, o Dias dos Namorados de 2022 se apresenta como uma grande oportunidade para o comércio eletrônico no Brasil. “A data movimenta o e-commerce: em primeiro lugar, está o Natal, depois o Dia das Mães e Black Friday. O Dia dos Namorados vem na sequência de buscas por presentes na internet”. informa.

Em 2021, o varejo digital faturou R$ 6,5 bilhões com o Dia dos Namorados, um crescimento de 3,24% maior em relação ao mesmo período no ano anterior, segundo relatório conduzido pela Neotrust. De acordo com a pesquisa, o faturamento foi alcançado entre os dias 28 de maio e 11 de junho, com alta no tíquete médio de 15,3% e valor aproximado de compras de R$ 464,28.

Para o CEO da MT Soluções, os lojistas devem levar em consideração que as compras on-line estão em alta e devem se destacar dos concorrentes. “A experiência do usuário na loja é muito importante. Quando o usuário tem uma boa experiência, um site rápido, dinâmico, com imagens de alta qualidade, bons vídeos dos produtos, descrições bem detalhadas e boas avaliações, se sente mais seguro para realizar a compra”, explica.

Neste sentido, uma sondagem realizada pela All iN | Social Miner, com o apoio da Clearsale, Octadesk e Tray, da Escola de E-commerce e do Opinion Box, buscou identificar o comportamento dos e-consumidores no Dia dos Namorados. Segundo a análise, indicativos apontam que os brasileiros estão se preparando mais e buscando ofertas antes de comprar. O maior pico de visitas e de cadastros em lojas virtuais ocorreu na segunda quinzena de maio, há cerca de um mês da data.

É importante também se atentar à versão mobile da loja digital, já que hoje em dia a maioria dos acessos são feitos pelo mobile, por isso a importância em priorizar um site responsivo, complementa Toledo. De fato, ainda de acordo com o estudo da All iN | Social Miner, o número de pedidos finalizados por meio de dispositivos móveis cresceu 51% no último Dia dos Namorados. “Quando não há a devida orientação, o lojista corre o risco de ter uma loja que não traz confiança final para o consumidor e isto certamente não trará números positivos para sua operação.” completa Mateus.

De forma similar, o relatório Webshoppers 43, da E-bit/Nielsen e do banco Bexs, demonstrou que, em 2020, as compras pelo celular já representavam mais da metade (55,1%) das vendas. O estudo revelou que o comércio eletrônico nacional cresceu 41% e movimentou R$ 87,4 milhões no período analisado, com 194 milhões de vendas on-line.

Para mais informações, basta acessar: https://mtsolucoes.com.br/

Vendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudoVendas do e-commerce devem dobrar até 2025, mostra estudo

Previous articleEscritório jurídico investe em produção de energia renovável para abastecimento
Next articleA tecnologia pode ser uma grande aliada na logística de uma empresa