Home Gente Mulheres priorizam inovação na gestão das propriedades rurais

Mulheres priorizam inovação na gestão das propriedades rurais

26/5/2021 – Vencedoras do Prêmio Mulheres do Agro, Carla Rossato e Luciana Dalmagro, transformaram a produção de suas fazendas com o investimento em tecnologia

Seja para realizar um manejo mais inteligente, se relacionar com fornecedores ou realizar transações comerciais, o uso das plataformas digitais está cada vez mais presente na tomada de decisão dos produtores rurais. No Brasil, a preferência dos fazendeiros por estes canais passou de 36% para 46% nos últimos 12 meses, segundo a pesquisa “A Mente do Agricultor Brasileiro na Era Digital” da McKinsey & Company. E, quando o assunto é inovação no campo, as mulheres têm se tornado cada vez mais protagonistas.

A produtora Carla Rossato, que conquistou o primeiro lugar do Prêmio Mulheres do Agro, em 2019, na categoria Grandes Propriedades, é um bom exemplo. À frente das fazendas de grãos da família, ela vem implementando soluções digitais para um controle mais eficiente das propriedades rurais e, foi por meio dela, que, em 2000, seus familiares tomaram conhecimento de tais ferramentas para uma gestão mais inteligente.

“Me questionaram bastante sobre o investimento em tecnologia ser alto, mas sempre disse que o pior seria não acompanhar as mudanças”, lembra Carla, que desde então vem utilizando os recursos da agricultura de precisão. Entre eles, maquinários que mapeiam a lavoura e permitem fazer a correção do solo em taxa variável, ou seja, cada talhão só recebe a quantidade de fertilizante que precisa. “Tudo isso resulta em um cruzamento de informações que, posteriormente, me permite avaliar a produtividade, se foi maior ou menor e identificar o porquê”, explica.

Por meio do Climate FieldView™, plataforma de agricultura digital da Bayer, Carla também coleta e processa dados de campo automaticamente, além de avaliar a performance de cada talhão do plantio à colheita. Isso permite que a produtora aumente a produtividade e decida com base na análise de dados. “O Climate FieldView™ oferece uma soma de informações. Com isso, consigo ter uma tomada de decisão mais rápida e, consequentemente, aumentar minha produção”, disse a produtora.

Tecnologia é aliada na tomada de decisões

Luciana Dalmagro é outra produtora na vanguarda das inovações do campo. Vencedora da edição do ano passado do Prêmio Mulheres do Agro na categoria Grandes Propriedades, ela se destaca pela gestão sustentável dos aviários da fazenda Alta Conquista, que está totalmente sintonizada com a temática ESG, sigla em inglês para melhores práticas ambientais, sociais e de governança.

Localizada em Sales Oliveira, na região de Ribeirão Preto (SP), a propriedade é focada na produção de aves de corte para exportação e chama à atenção pelo alto índice de sustentabilidade. Entre os diferenciais da fazenda, está a solução encontrada para manter o conforto térmico dos frangos, que demandam um ambiente aquecido em metade do tempo que passam dentro do galpão. “O aquecimento era feito por lenha e o operador abastecia a fornalha manualmente”, explica.

Mas o sistema não mantinha a temperatura homogênea nos 14 galpões de alojamento, o que levou Luciana a procurar uma nova maneira de otimizar o aquecimento. A solução encontrada foi o gás GLP – opção mais sustentável e que proporciona um fluxo constante de energia em ambientes abertos e fechados, por meio de diferentes sistemas.

“Todos diziam que era um investimento muito caro, mas como temos um forte viés de inovação, optamos por tentar. E foi um sucesso! A tecnologia garante o bem-estar dos operadores, que não precisam mais carregar madeiras, além de possuir uma queima mais limpa do que a lenha”, finaliza Luciana.Mulheres priorizam inovação na gestão das propriedades rurais

Previous articleDicas para driblar a dificuldade de manter as contas em dia
Next articleHuawei discute tendências de digitalização no LATAM Carrier Digitalization Summit