Home NOTÍCIAS Representatividade política, direito à defesa e violência contra a mulher foram temas...

Representatividade política, direito à defesa e violência contra a mulher foram temas do evento “Juntas por um Brasil Certo”

Brasília, DF 12/8/2021 – O Brasil Certo tem que chegar aos estados e municípios, pois é lá que o cidadão está. Estamos unidos para trazer soluções que levaremos até estes lugares.Conduzido pela senadora por MS Soraya Thronicke, evento debateu projetos para inserção feminina na gestão

A representatividade na política, o uso de armas não letais, a violência contra a mulher na política e o apoio dos homens às mulheres foram alguns dos temas abordados durante o evento digital “Juntas por um Brasil Certo”, promovido no dia de 5 agosto pelo PSL Mulher Nacional. Conduzido pela senadora por Mato Grosso do Sul, Soraya Thronicke, a iniciativa contou com a participação de lideranças políticas de forma presencial e on-line.

Idealizadora do projeto Brasil Certo, a senadora confia em um país mais igualitário, por meio da renovação da política, começando pela maior inserção feminina nas eleições e na transformação social. No dia 15 de julho, a presidente do PSL Mulher Nacional realizou, em Brasília, o Fórum Nacional Brasil Certo, quando houve o início de ações voltadas ao debate e à busca de ideias para aumentar a participação feminina na política. Ao longo das semanas seguintes, workshops virtuais foram realizados por lideranças do partido em vários estados, unindo propostas. “O Brasil Certo tem que chegar aos estados e municípios, pois é lá que o cidadão está. Estamos unidos para debater e trazer soluções que levaremos até estes lugares”, esclareceu a senadora Soraya Thronicke na abertura do evento.

A representatividade na política foi um dos principais eixos do encontro que fortaleceu o debate sobre o Projeto de Lei 1.951/21, aprovado no último mês pelo Senado Federal que determina o mínimo de 30% do Fundo Eleitoral para as candidaturas femininas, além de reserva progressiva de cadeiras para mulheres de forma escalonada, a partir das eleições de 2022. No próximo pleito o percentual é iniciado com 18% progredindo até 2040, gradativamente, até chegar aos 30% previstos.

“Conseguimos fazer com que os senadores entendessem que precisamos avançar neste tema. Sempre fui contra cotas, mas esse projeto veio romper um paradigma, porque o Brasil não tem essa maturidade ainda, e em um país maduro as pessoas já votam nas mulheres. Os partidos já dão a elas todas as condições, e precisamos avançar”, pondera a senadora.

Em apoio à fala da senadora Soraya, o deputado federal Charlles Evangelista, que foi presidente estadual do PSL/MG entre 2019 e 2020, destacou o trabalho realizado pelas mulheres na política, em especial às mineiras, já que é seu estado. “Temos grandes avanços na valorização da mulher na política. A pandemia fez com que precisássemos nos reinventar e buscar a participação da mulher com mais criatividade. E as mulheres do nosso partido têm feito isso muito bem”, avaliou o deputado, que é casado com a deputada estadual delegada Sheila. Também participaram do evento o delegado Marcelo Freitas (PSL/MG) e o deputado federal Antonio Carlos (PSL/RR).

Violência contra a mulher – Durante o evento, entrou em pauta a recente aprovação da Lei nº 14.192/21, que prevê normas para prevenir, reprimir e combater a violência política contra a mulher durante as eleições e no exercício de direitos políticos e de funções públicas. “Existem situações em Câmaras Legislativas Brasil afora em que as mulheres são excluídas de discussões importantes. E isso acontece porque acham que elas não podem falar de assuntos mais sérios. A violência política contra a mulher existe sim e precisa ser enfrentada”, afirmou a deputada Sheila, presente no evento.

A senadora ponderou sobre sua defesa ao direito à segurança pessoal com armas não letais, baseada no Projeto de Lei n° 1.928/21, de sua autoria, que dispõe sobre a comercialização, a aquisição, a posse e o porte tanto de sprays de pimenta quanto de armas de eletrochoque para defesa pessoal. “O spray de pimenta traz segurança para as mulheres que estão sendo vítimas de violência física e o projeto vai permitir que as mulheres possam comprar essa arma não letal legalmente”, revelou.

O “Juntas por um Brasil Certo” foi o início de uma série de eventos regionais com foco na inserção da mulher na política nacional. Contudo, as atividades do Brasil Certo incluem ainda cursos on-line e 100% gratuitos nas áreas de política, comunicação e marketing digital, democracia responsável, combate à corrupção e muitas outras.

No site https://brasilcerto.com.br/ é possível conferir mais informações.
Representatividade política, direito à defesa e violência contra a mulher foram temas do evento “Juntas por um Brasil Certo”

Website: http://www.brasilcerto.com.br

Previous articleComo montar estratégia de marketing digital para redes sociais
Next articlePandemia acelerou a necessidade de controlar as áreas de lazer de condomínios