Home Novidades Empresas economizam até US$ 11 mil por ano com home office

Empresas economizam até US$ 11 mil por ano com home office

Com o avanço da vacinação contra a covid-19, o dia a dia já está voltando à normalidade e há uma nova realidade no universo corporativo

A reformulação no operacional dos escritórios já é uma realidade. Com o home office durante a pandemia, empresas tiveram que se adaptar ao trabalho remoto e agora, com a retomada do cotidiano, estão tendo que se adaptar ao novo layout híbrido.

Segundo a Global Workplace Analytics, instituição de pesquisa e consultoria americana, uma empresa mediana economiza cerca de US$ 11 mil por ano por colaborador que trabalha pelo menos 50% do tempo em home office ou de forma remota. Para o trabalhador, essa economia pode ser de US$ 1,5 mil a US$ 4 mil por ano. Em tempos de crise, é uma redução bastante considerável.

Essa nova realidade se faz de acordo com a necessidade de cada empresa, pois algumas atividades corporativas necessitam mais e outras menos a presença física de seus colaboradores. Hoje, muitas empresas não têm mais o espaço físico que tinham antes da pandemia, e a forma híbrida vem ao encontro dessa necessidade de adaptar as pessoas ao escritório novamente. Com a transformação e a nova era digital dos ambientes corporativos, já não há mais a necessidade de um funcionário atravessar a cidade, passar horas no trânsito, gastar com o deslocamento, para apenas “ficar em uma mesa”.

Segundo a pesquisa, com a forma híbrida de trabalho, entram nesse total de economia, além de itens básicos como água e luz, aluguel de espaços menores, transporte de colaboradores, menor número de funcionários de apoio como, por exemplo, os de limpeza, e materiais diversos de escritório, incluindo o mobiliário corporativo, esse último, determinante de grande parte dessa economia. “Com tudo isso, o setor de vendas de mobiliário e produtos para ambientes corporativos e comerciais é bastante próspero”, diz Gustavo Sígolo, Diretor Comercial do BuyOffice, marketplace segmentado para mobiliário corporativo.

Nesse contexto, os móveis que valorizam a ergonomia têm ainda maior relevância. Outros fatores como o aumento do combustível e o consequente impacto sobre o valor do frete, também são pontos decisivos. “Um item bastante expressivo, e também um grande diferencial de se comprar em um marketplace segmentado, é a questão da logística, da distribuição, que tende a ser mais econômica financeiramente para o empresário e um grande facilitador para manter um padrão de conforto para seus colaboradores, onde quer que estejam”, afirma Luis Carlos Onaga, CEO do BuyOffice.

Previous articleTrailer de Battlefield 2042 mostra DLSS, Reflex e Ray Tracing. Veja aqui!
Next articleCOP 26 sediou a Declaração dos Líderes de Glasgow sobre Florestas e Uso do Solo