Home CORPORATE Mercado Auxiliares de fluxo de materiais em silos podem evitar contaminação alimentar

Auxiliares de fluxo de materiais em silos podem evitar contaminação alimentar



A cada ano que passa, um terço dos alimentos produzidos em todo o mundo não é consumido pela população, sendo perdido em alguma etapa da cadeia de produção ou desperdiçado no elo final, em restaurantes e residências, de acordo com dados da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação). Tal desperdício representa cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos que não são aproveitados – o que equivale a, aproximadamente, US$ 1 trilhão (ou cerca de R$ 5,15 trilhões).

De acordo com especialistas, há uma questão estrutural que pode impactar, no cenário brasileiro, nesta questão: pesquisadores da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) apontam que a relação entre a capacidade de armazenamento de grãos deficitária no país, a distribuição espacial da rede nacional de armazéns imperfeita e a reduzida armazenagem em nível de fazenda pode impactar a questão da produção de alimentos e seu desperdício na cadeia produtiva. 

Segundo estudo do órgão, considerando-se a produção média de cerca de 225 milhões de toneladas de grãos no país e a capacidade estática de armazenamento de cerca de 162 milhões de toneladas, verifica-se um déficit de capacidade de armazenagem de cerca de 63 milhões de toneladas – ou seja, há, no Brasil, silos e armazéns para 72% da produção anual de grãos, ao passo que a recomendação internacional é de 120%.

Nesse sentido, o acúmulo de materiais nestes depósitos pode ocasionar a contaminação de alimentos, com o consequente desperdício destes produtos. Para Morgan Quarry, Parceiro Internacional da Casa das Válvulas, empresa que atua com a distribuição de válvulas industriais, conexões e equipamentos hidráulicos no mercado nacional, há alguns motivos que podem ocasionar o ajuntamento e a consequente contaminação de alimentos. 

“Existem alimentos, por exemplo, que são coesivos por natureza e isto pode ocorrer por excesso de umidade, gordura, óleo ou teor de proteína”, diz ele, ressaltando que o acúmulo destes produtos pode propiciar o surgimento de microtoxinas, metabólitos tóxicos secundários produzidos por fungos filamentosos (que crescem e se proliferam bem em grãos quando em condições ideais de temperatura, umidade e presença de oxigênio) – tais substâncias são potenciais contaminantes de produtos agrícolas.

“O tamanho das partículas, bem como a forma, além disso, também podem influenciar o fluxo do material”, diz o profissional, pontuando outra causa de acúmulo de materiais.

A utilização de equipamentos como o Air Sweep, um auxiliar de fluxo pneumático que utiliza pulsos de ar para o escoamento dos materiais ajuntados em silos, nesse sentido, é uma opção para evitar que o acúmulo de alimentos possa resultar em casos de contaminação. 

“O Air Sweep promove o fluxo de massa do material, garantindo que os produtos que primeiro entrem no silo também sejam aqueles que primeiro saiam”, afirma. “Trata-se de um sistema, além disso, bastante confiável para a instalação inicial de silos, bem como para o retrofit em vasos e projetos problemáticos existentes”, conclui.

Para mais informações, basta acessar: https://casadasvalvulasmg.com.br/

Auxiliares de fluxo de materiais em silos podem evitar contaminação alimentarAuxiliares de fluxo de materiais em silos podem evitar contaminação alimentarAuxiliares de fluxo de materiais em silos podem evitar contaminação alimentar

Previous articleAssistente Virtual com I.A. transforma a relação com a saúde no mundo
Next articleGuanabara completa 30 anos de operações com benefícios para os passageiros