Home CORPORATE Brasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maio

Brasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maio



Segundo o mais recente Mapa da Inadimplência e Renegociação de Dívidas no Brasil, realizado pelo Serasa Experian em maio de 2022, o número de inadimplentes atingiu um novo recorde no país, chegando a 66,58 milhões de pessoas. Esse valor representa um aumento de 0,68% em relação ao número de devedores do mês de abril apresentando a quinta alta seguida.

Um dos dados presentes no estudo que chama a atenção, é o valor médio das dívidas, em que rompeu a barreira de 1 salário mínimo, atingindo o valor de R$ 1.212,41, representando um aumento de 0,88% em relação ao mês de abril. Além disso, conforme o Mapa da Inadimplência de maio, existem cerca de 229,52 milhões de dívidas no país, então multiplicando o valor médio das dívidas pela quantidade de dívidas no país, é possível encontrar o valor total das dívidas presentes no Brasil, atingindo o valor de R$ 278,27 bilhões de reais.

Considerando a faixa etária dos inadimplentes, é possível observar através dos dados fornecidos pela Serasa Experian, que o grupo de pessoas de 26 até 40 anos representam 35,2% do total de inadimplentes do país, e os jovens adultos até 25 anos fazem parte apenas de 12,5% do total de devedores.

Por outro lado, o Serasa também observou em seu levantamento, em que a faixa etária de 18 a 30 anos, representa 39,72% do total de pessoas que negociaram suas dívidas através do Serasa Limpa Nome. Evidenciando que os jovens adultos são a maior parcela da população que negocia suas inadimplências.



Nesse mesmo estudo está descrito que, dentre os segmentos que sofrem com o descumprimento das responsabilidades financeiras de seus clientes, os mais atingindo são os bancos e cartões de crédito, que possuem aproximadamente R$ 78,42 bilhões de valor a receber.

Esse cenário de aumento de inadimplência causa um impacto negativo direto nas instituições financeiras, conforme os Estudos Especiais do Banco Central e matéria publicada pela EFIC Soluções, esse impacto gera um aumento das taxas de juros e torna os processos de análise de crédito mais rígidos pelas instituições financeiras para emissão de empréstimos e cartões de crédito.

Mesmo com esse impacto negativo aumentando a dificuldade de pessoas inadimplentes ou com score baixo em emitirem um cartão de crédito, o valor transicionado por esse meio de pagamento cresceu 42,26% em relação ao mesmo período de 2021, segundo informações da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços.

A projeção para concessão de crédito também vai na contramão da alta de inadimplência do país. De acordo com dados da Federação Brasileira de Bancos, a expectativa é uma ligeira alta no valor de 2,6% no volume de concessões de crédito no geral. Além disso, a liberação de crédito para famílias possuí uma projeção de aumento no valor de 3% no mês de junho em comparação a maio, incentivado pelo crédito rural visando a safra 2022/2023.

Para o segundo semestre de 2022, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), a tendência é uma diminuição do porcentual de famílias endividadas em situação de maior vulnerabilidade, que recebem até 10 salários mínimos. Após atingir o pico de 78,1%, no mês de abril, de famílias dessa faixa de renda, com uma ou mais contas atrasadas, o mês de maio e junho apresentaram uma queda para 77,4% e 76,7% respectivamente. Esse número deve diminuir ainda mais esse ano, impulsionado pelas medidas governamentais recentes com a PEC 1/2022, na qual causa um impacto direto e a curto prazo na população mais vulnerável financeiramente, porém o porcentual deve voltar a um patamar maior em 2023, segundo o Doutor em economia da FEARP/USP Luciano Nakabashi.

Brasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maioBrasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maioBrasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maioBrasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maioBrasil passa dos 66,5 milhões de inadimplentes em maio

Previous articleEnergia solar: agronegócio tem perspectiva de expansão do setor
Next articleEspecialista alerta para a importância de se fazer o check-up cardiológico
Diretor de Conteúdo do Portal Vida Moderna