O seu cachorro está crescendo e você começa a querer iniciar a fase de socialização dele em parques e praças, com outros animais e humanos. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Escolher uma boa coleira é um dos primeiros passos para isso, já que ela pode te ajudar a garantir a segurança do animal quando ele apresentar comportamentos de risco, como correr em ruas repletas de carros em movimentos.

Muitas vezes, coleiras são consideradas meros acessórios para cachorros, capazes de traduzir o estilo do canino e dos donos. Contudo, mais do que um enfeite, as elas têm uma função importante: conduzir o cão em espaços públicos durante passeios, atividade fundamental para socialização do animal.

Desse modo, é preciso escolher os tipos de coleiras que melhor se adequem ao porte físico do seu mascote, a partir de  modelos confortáveis e seguros. Os diferentes modelos são divididos em tradicional plana, liberação rápida, peitoral, cabresto e enforcador.

Modelos mais tradicionais
As coleiras enforcador permitem maior controle sobre os animais, sendo mais indicadas para pets agitados, que puxam seus donos ao caminhar. Elas são usadas em passeios, por quem adestra nos moldes mais tradicionais, e requerem cuidado, já que a força exercida pode machucar o animal.

As coleiras cabresto são aquele tipo que envolve o pescoço ou a região do focinho, sendo mais usadas em cachorros que estão em processo de adestramento e costumam ser agitados. A maioria dos cães tende a demorar para se adaptar ao acessório, o que é uma desvantagem desse modelo.

Opções com mais liberdade
As coleiras tradicionais planas, em formato de tira em torno do pescoço do canino, são indicadas para serem usadas em casa. Em passeios, elas somente podem ser usadas em pets tranquilos, que não puxam. Esse tipo de coleira comporta uma plaquinha de identificação com o nome do cachorro.

Já as do tipo peitoral garantem muito conforto ao mascote, sobretudo, àqueles que costumam puxar o dono ao caminhar. Embora seja usado mais por cachorros de porte pequeno, esse tipo pode ser colocado em cães de todos os tamanhos, podendo ser integrado às roupas usadas pelo animal.

As coleiras de liberação rápida têm o fecho mais rápido e prático do que as fivelas tradicionais. Elas devem ser usadas em áreas mais seguras, longe de veículos, por exemplo, já que esse modelo permite menos controle sobre o animal.

Fatores importantes
Cor e estampa não são os únicos fatores na hora de escolher uma coleira. Algumas questões que podem te ajudar a escolher o modelo ideal com mais acerto são a matéria-prima, o fecho e os limites que cada um oferece.

Dê preferência para materiais bem resistentes, como couro, especialmente, se o seu cachorro tem um maior porte. O arrebentamento da coleira durante um passeio pode causar transtornos sérios, como fuga e até atropelamento do animal.

Outra dica importante é dar atenção ao fecho, já que ele deve ser prático de colocar, mas não pode se desprender com facilidade. No caso de coleiras retráteis, preste atenção às indicações de peso, pois, se o seu cão ultrapassa o valor máximo recomendado, ele pode arrebentar a coleira mais facilmente.

Evite aqueles modelos que contenham pequenos adereços, já que eles podem se soltar e ser ingeridos pelo animal. No dia em que comprar a coleira, leve o cachorro junto, a fim de poder experimentá-la nele e ver se ele fica confortável com ela. É preciso um equilíbrio entre não ficar muito apertada, nem ser frouxa. Para isso, prefira os modelos com regulagem.

Outro fator importante é a manutenção e a limpeza das coleiras, que devem ser feitas com regularidade e variar segundo o uso. É importante deixá-la completamente seca antes de ser colocada no animal. Caso contrário, pode provocar problemas de pele, como dermatites e fungos.

 

[/read]
 

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Como escolher o melhor modelo de coleira para cada cão?

 

Veja também
Brasil Game Show de 2020 é oficialmente adiada
LG apresenta novo Monitor UltraWide Gamer
Ensino universitário e mercado de trabalho: mind the gap