A crescente popularidade dos drones, seja para lazer ou uso comercial, evidenciou o desafio que é facilitar o trânsito no espaço aéreo em altitude muito baixa. Como objetos aéreos, os drones são contemplados pela lei da aviação. No entanto, esse é apenas parte do desafio para os drones. Como voam em espaços aéreos baixos, estes equipamentos também precisam levar em conta obstáculos, edifícios e privacidade das pessoas. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Para que os drones autônomos operem de forma segura e previsível, o acesso a fontes de dados ricas e precisas é fundamental. É necessário ainda adotar padrões de operabilidade, assim como ocorre na indústria da aviação. Para atender a essas demandas, duas empresas, a HERE Technologies e a UNIFLY se juntaram para a plataforma de gerenciamento de tráfego não tripulado (UTM), de modo a desenvolver mapas de espaço aéreo 3D para drones.

A ação será dividida em duas fases. Na primeira, as empresas criarão um sistema de mapeamento composto por polígonos bidimensionais. Isso abrangerá as áreas rurais e urbanas e marcará corredores de vôos e zonas de exclusão aérea, como aeroportos, áreas residenciais e instalações governamentais sensíveis. Inicialmente, o foco ser em disponibilizá-lo nos Estados Unidos e na Europa Ocidental até o final de 2018.

Na segunda fase, a ideia é desenvolver o sistema em um mapa de espaço aéreo tridimensional. Essa visualização do espaço aéreo permitirá o gerenciamento do fluxo de tráfego de drones e até a detecção de colisões, como os controladores de tráfego aéreo fazem para a indústria aérea atualmente.

Da mesma forma que a HERE Technologies transforma os dados de sensores em tempo real gerados por milhões de veículos de passageiros na estrada em informações de mapas e novos serviços de localização, os próprios drones também podem ser empregados para permitir a autocorreção do mapa do espaço aéreo. Equipados com vários sensores sofisticados, os equipamentos podem detectar mudanças no ambiente do mundo real e alimentar os dados de volta à nuvem para suportar as atualizações do mapa.

Ao agregar dados de muitos drones, a parceria permitirá uma visão verdadeiramente tridimensional do mundo, com informações precisas sobre condições climáticas, riscos potenciais e até as melhores rotas navegáveis.

Os drones são de fato os melhores usuários de um mapa – eles realmente precisam saber cada centímetro do terreno, e muito mais. Juntas, as empresas poderão construir as ferramentas necessárias para que os reguladores e pilotos possam navegar com segurança nos céus.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Empresas se juntam para mapear o espaço aéreo

 

Veja também
Não parem as máquinas! Os drones ganharão força na indústria
Brasileiros criam drone para monitorar espécies ameaçadas
Águia abate Drone em pleno voo para proteger seu território. Veja o vídeo