Home Cultura Especialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacional

Especialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacional



O roaming é um serviço que permite receber e fazer ligações ou usar os dados móveis em regiões fora da cobertura da operadora contratada, ou seja, utilizando uma operadora local. Ato contínuo, o roaming internacional permite que o viajante possa fazer uso destas funcionalidades no exterior. A modalidade deve entrar no radar de grande parte dos brasileiros, já que 60% dos cidadãos estão inclinados a viajar para o exterior, segundo estudo da empresa de tecnologia financeira Wise. A análise, divulgada em setembro de 2021, revela que 88% dos participantes pretendem explorar outros países. 

Anizio Rodrigo da Silva Magalhães, presidente e CEO da America Chip – empresa que atua com roaming internacional, explica que, normalmente, as operadoras cobram o serviço à parte dos planos mensais e o usuário precisa ativar no dia da sua viagem e cancelar no seu retorno.

Apesar disso, Magalhães sendo um especialista no segmento adverte que é preciso ter muito cuidado com os celulares com conta – os chamado pós-pagos – para não ter surpresas indesejadas na conta e preços fora do esperado, já que a maioria dos planos tem limite de uso de dados (megas) e de minutos de ligação no exterior (para fazer e receber chamadas). 

“O roaming internacional serve para quem deseja manter seu mesmo número de telefone e quer fazer ligações e usar a internet do celular no exterior O preço do roaming internacional é caro porque existe um acordo feito entre as operadoras, com limites de área. O sinal do celular também pode não ser muito forte, devido a você estar fora da área de cobertura”, explica. 



O empresário conta que é comum que surjam dúvidas a respeito das diferenças taxas de roaming internacional que são cobradas em diferentes países para que o turista venha a viajar. Ele explica que, para calcular a taxa de roaming internacional nos chips, geralmente as operadoras trabalham com pacotes de utilização com preços já pré-estabelecidos, mas também podem ser cobrados por consumo.

Magalhães afirma que os valores alteram de região para região, mas não tem nada a ver se está mais longe ou perto, e sim com os contratos realizados entre as operadoras. 

Segundo o CEO da America Chip, outra dúvida recorrente diz respeito a mercados comuns, como Mercosul e UE (União Europeia): esses mercados fazem com que a taxa seja igual? A resposta é “não”, os valores variam de acordo com os contratos realizados entre as operadoras. 

“Também costumam perguntar se o preço já está embutido no chip. Chamamos de chip internacional, mas na verdade você contrata um plano de dados, voz e texto. O chip é usado somente para que seu aparelho celular tenha conexão com essa linha contratada. Neste caso, vai de empresa para empresa e de operadora para operadora: algumas embutem o preço do chip no plano, cada chip custa centavos e não vai influenciar no preço final , e outras não”, explica Magalhães.

Para mais informações, basta acessar: https://americachip.com/

Especialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacionalEspecialista responde dúvidas sobre taxas de roaming internacional

Previous articleVisual Law e as mudanças do setor jurídico
Next articleEstudantes projetam Brasil no ranking dos melhores nas competições de robótica