*por James Ruotolo

Um relatório recente desenvolvido pela Coalition Against Insurance Fraud (entidade norte-americana de combate à fraude) mostrou que as seguradoras estão cada vez mais em busca de análises preditivas e tecnologias de prevenção à fraude. A prova disso se dá no fato de que 95% dos entrevistados afirmam fazer uso de tecnologias antifraude, um aumento de 88% desde 2012. No entanto, representantes de seguradoras destacaram a ‘integração’ e a ‘má qualidade de dados’ como as maiores dificuldades na implementação de tecnologias de combate aos atos ilícitos.

Muitos dados, mas o que realmente analisar?

As seguradoras geram grandes volumes de dados diariamente. Entretanto, um dos maiores desafios que elas enfrentam na implementação de Analytics é o acesso às fontes corretas de informações. Os esforços são dificultados por múltiplas solicitações de ressarcimento, sistemas segregados pelas linhas de negócios, gestão de diferentes sistemas desenvolvidos internamente e sistemas de terceiros que…