NOVIDADES

Previsões e tendência para o mercado de AV – áudio e vídeo

Previsões e tendência para o mercado de AV – áudio e vídeo


A grande mudança está acontecendo no roteamento e transmissão dos sinais de áudio e vídeo, que passam a trafegar via rede ethernet.


por 28 de fevereiro de 2019 0 comentários

por Max Jaramillo*

O mercado de AV – áudio e vídeo –  está em uma profunda transição, rumo a uma nova plataforma de tecnologia, a TI e deixa de ser um mercado de “nicho” isolado, passando a integrar um universo muito maior, tanto em termos comerciais quanto tecnológicos.

Com um grande potencial de crescimento e geração de lucro, o setor profissional de AV gerou no mundo, receitas totais de US$ 178 bilhões, no ano de 2016. Até 2022, a previsão é que as receitas das empresas AV aumentem 4,7% ao ano, incrementando o valor total em um montante de US$ 52 bilhões, segundo a AVIXA – Audiovisual and Integrated Experience Association.

A boa notícia é que o mercado brasileiro tem acesso às mesmas tecnologias que estão sendo utilizadas nos principais mercados do mundo. A má notícia, é que aqui custa muito caro e a oferta é reduzida devido ao “custo Brasil” e ao tamanho do mercado, que inviabiliza o trabalho de muitas marcas no país.

De forma geral, o mercado de AV está crescendo e a demanda por soluções IoT, Internet das Coisas, de fácil implementação e utilização são os principais drivers do mercado. Em âmbito nacional, ocorre que “amparados” pelas dificuldades do setor no Brasil, passa-se a adotar soluções “gambiarras” que por fim, geram uma experiência de usuário insatisfatória, atendendo a questão preço, mas não às necessidades de uso da tecnologia.

Esta experiência ruim é um tiro no pé do mercado, pois diminui o valor da indústria como um todo, já que a percepção passa a ser de que as tecnologias AV são caras e não funcionam, então não adianta investir, o que não é verdade.

A grande mudança está acontecendo no roteamento e transmissão dos sinais de áudio e vídeo, que passam a trafegar via rede ethernet. Existem novas plataformas de transmissão com base em redes de 1Gb ou 10Gb e também, o resgate de padrões já existentes como AVB, H.264 e JPEG2000.

Basicamente o que todas prometem é que todo ponto de rede pode vir a ser um “end point” de áudio e vídeo, com transmissões em alta resolução e sem latência. É preciso analisar como o mercado vai absorver esta tecnologia.

A VoIP é sem dúvida uma inovação disruptiva, o desenvolvimento dos painéis OLED também abrem muitas possibilidades, já existem modelos no mercado, como o da LG, com TVs “enroláveis” e transparentes.

A integração BYOD, Bring Your Own Device, e IoT também vai revolucionar as aplicações AV – a Biamp lançou o Crowd Mic, que promete transformar cada celular da plateia em microfones sem fio, para interação em eventos, uma ideia muito inteligente.

Existem muitas aplicações AV para ao mercado de varejo, mas a principal é o impacto visual e sonoro integrados à tecnologia IoT, fazendo a integração entre o varejo virtual e o real, proporcionando uma nova experiência do cliente na loja física.

De uma forma geral, a migração do AV para o mundo IT permite o acesso remoto aos sistemas AV, tanto para suporte quanto para aplicações. Como exemplo, temos o Zoom, um aplicativo de videoconferência na nuvem (outra nova realidade nas aplicações UCC) que permite também o controle das câmeras e microfones, dos ambientes locais e dos remotos, basicamente utilizando os computadores conectados à internet e aos dispositivos locais.

Do ponto de vista do mercado de trabalho, há muita demanda por profissionais qualificados, pouca oferta e salários não atrativos. A cultura local é de valorizar o produto, não o serviço, outro posicionamento equivocado que deve mudar, para promover o desenvolvimento do mercado.

Nos EUA e Europa, o profissional CTS é muito valorizado. Podemos tomar olhar para o setor de TI e traçar um paralelo, nele os produtos são relativamente mais baratos e com menores margens, mas os serviços são mais caros e qualificados.

Na TI o profissional é valorizado pelas suas qualificações e certificações técnicas. Todo este movimento, promove a evolução constante deste setor.

O mercado no geral irá evoluir baseado na junção das soluções fixas e em nuvem. Desta forma, as soluções baseadas em cloud computing deverão fazer parte deste setor, graças às soluções de visualização, baseadas em IoT.

Trata-se de um benefício que oferece redução dos custos operacionais, aumento da produtividade e permite a prestação de melhores serviços ao usuário final.

* Max Jaramillo, diretor da InfoComm Brasil e das feiras InfoComm na América Latina. Junto a AVIXA, a Audiovisual and Integrated Experiencie Association, promove o evento referência no mercado, Infocomm Brasil.

Nenhum comentário ainda

Seja o primeiro a comentar

Ainda não há comentários

Seja o primeiro a comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.