Criciúma, Santa Catarina 24/3/2021 – A exclusividade sobre a utilização da marca, em regra, cabe a quem registrar primeiro no INPI. De modo geral, o registro da marca serve para garantir a exclusividade da identidade dos negócios. Assim, cópias são evitadas e o nome da empresa é protegido.

O uso intenso da tecnologia não é um fenômeno atual, mas com a pandemia da COVID-19 no último ano, a ascensão de sua utilidade emergiu. Com isso, a internet foi para além do lazer, com muitos avanços diante do cenário profissional.

Sendo assim, as plataformas digitais, que estão crescendo de forma rápida há um tempo, tiveram uma explosão no último ano. Com a popularização dos e-commerces e dos marketplaces, estratégias atreladas ao digital obtiveram destaque. E, diante do cenário atual, as redes sociais não ficam de fora, uma vez que se apresentam como ferramenta de divulgação. 

Segundo dados disponibilizados pela RD Station, o brasileiro passa, ao menos, 3 horas e meia conectado às mesmas. Com isso, empresas investem no digital e precisam garantir sua individualidade. Por esse motivo, o registro de marca torna-se ponto de atenção e não pode ser deixado de lado.

Empresas nas redes sociais

A forma que produtos e conteúdos são consumidos mudou: durante uma compra, um cliente espera encontrar identificação com os valores e posicionamento das marcas. Devido a essa exigência do público, a presença digital não é mais uma opção: para que haja crescimento, é preciso estar incluso no meio. Ainda assim, para uma corporação, o primeiro passo deve ser o registro de marca. 

Por que registrar uma marca antes do uso nas redes sociais?

Sejam físicas ou digitais, o registro da marca é indispensável para qualquer negócio que deseja se solidificar no mercado. Com riscos de plágios e cópias, o processo traz garantias e segurança à marca.

O registro da marca é a única ferramenta que, segundo a Lei nº 9.279/96, garante a exclusividade do uso do nome e identidade visual.

E, para isso, a presença de especialistas é indispensável, uma vez que o processo de registro de marca é burocrático e consequentemente, pode se tornar complicado para aqueles que não possuem experiência no assunto. 

Com mais de 20 anos de atuação, a Anel Marcas e Patentes busca promover e difundir a cultura da propriedade intelectual. Sendo assim, todos os processos de registro de marca podem ser viabilizados com apoio da equipe especialista.

Para saber mais, basta acessar:Redes sociais: ao utilizá-las, empresas devem dar atenção ao registro da marca

Website: http://www.anelmarcas.com.br