Home NOTÍCIAS Pesquisa aponta que viagens mais curtas serão a preferência dos brasileiros em...

Pesquisa aponta que viagens mais curtas serão a preferência dos brasileiros em 2021

viagem como presente


São Paulo 18/3/2021 – Apenas 7% dos entrevistados pensam em fazer uma viagem de luxo, enquanto 73% devem procurar um destino aos fins de semana

Após um ano completamente atípico, com restrições sociais e queda na procura por viagens devido aos riscos de contaminação por covid-19, uma pesquisa realizada pelo Booking, site especializado em reservas de acomodações, com mais de 20 mil pessoas, em 28 países, indicou os cinco principais tipos de viagens pelos quais os brasileiros optarão em 2021.

Os resultados não estão longe do esperado tendo em vista o cenário mundial. Tanto a incerteza sobre os rumos da pandemia quanto a insegurança de muitos turistas indicam que as pessoas deverão procurar por viagens mais curtas, em relação à distância e ao tempo de passeio, e sem muito luxo. O estudo também aponta que o Brasil é o país em que mais pessoas desejam viajar no futuro. Cerca de 86% dos entrevistados afirmam que vão valorizar mais as viagens após a pandemia.

Viagens solo

Se, em 2019, por volta de 25% dos brasileiros afirmavam querer viajar sozinhos, hoje, esse número subiu para 39%. Isso significa que aproximadamente duas a cada cinco pessoas no país desejam se aventurar desacompanhadas neste ano. Os números mostram que o Brasil é o quarto país no ranking da categoria, atrás apenas da Tailândia (40%), em terceiro lugar, da Coreia do Sul (42%), em segundo, e da Índia (54%), na liderança.

Descanso

Seja pela necessidade de recarregar as energias, relaxando o corpo e a mente, ou pelas consequências econômicas da crise, as viagens de luxo deixaram de ser uma prioridade. Apenas 7% dos brasileiros planejam um passeio com direito a ostentação. Dessa forma, ganharam força os roteiros mais simples, ideais para descansar e fugir da rotina e aglomerações.

Visitas à família e amigos

Durante a quarentena, um dos hábitos criados por quem mora longe foi aprender a lidar com a saudade de diversas maneiras. Se, em 2020, grande parte das pessoas esteve distante dos entes queridos, neste ano, uma das tendências é reaproximar quem pouco se viu nos últimos 12 meses. Segundo a Booking, cerca de 66% dos viajantes brasileiros planejam reconectar-se com amigos e familiares. Mais do que isso, durante a pandemia, aproximadamente 46% deles estiveram motivados a viajar após conversarem à distância sobre o assunto.

Fim de semana

Se, por um lado, viagens longas e distantes estão fora de cogitação, a busca por destinos próximos e de curta duração será grande. Por volta de três a cada quatro brasileiros, cerca de 73%, afirmam que esse tipo de planejamento será prioridade em 2021. Um outro dado mostra que 30% dos viajantes do país vão preferir passar o fim de semana fora após o fim das restrições da pandemia de covid-19.

Experiências gastronômicas

Enquanto metade dos brasileiros entrevistados ainda não se sente confortável em viajar para o exterior, os destinos nacionais deverão ter alta procura. Parte desses roteiros estará condicionada às descobertas culinárias, uma vez que 38% das pessoas consultadas pelo Booking disseram desejar apreciar a gastronomia local durante uma viagem. Mesmo entre quem ainda não quer viajar, aproximadamente 45% dos entrevistados pretendem comer fora com mais frequência.

Dicas para comprar mala de viagem

Depois de um longo período sem poder aproveitar as férias, feriados e fins de semana, é natural que as pessoas voltem a se planejar, e procurar a mala de viagem ideal faz parte desse processo. Para quem deseja ir de avião, é necessário ficar atento às regras e exigências das companhias aéreas, principalmente no que diz respeito ao peso e tamanho das bagagens.

Para as malas de bordo, o limite é de 10 kg e o tamanho máximo padrão é estipulado em 55 cm (altura) x 38 cm (largura) x 20 cm (espessura). Já a bagagem despachada, geralmente malas grandes e malas médias, pode ter até 23 kg para viagens nacionais e variar de 23 kg a 32 kg para o exterior, dependendo da empresa, enquanto as dimensões não podem ultrapassar 80 cm (altura) x 50 cm (largura) x 28 cm (espessura).

Quanto ao material, existem três tipos principais: flexíveis, semiflexíveis e rígidas. Independente disso, o mais importante é optar por malas de viagem resistentes, capazes de suportar o impacto nas esteiras de aeroportos, porão de aviões e na operação de carga e descarga, bem como o clima. Outros pontos a serem considerados são itens como cadeado TSA embutido, zíper de expansão, espaço para notebook e rodas duplas, silenciosas e que giram em 360º.Pesquisa aponta que viagens mais curtas serão a preferência dos brasileiros em 2021

Website: https://www.delsey.com.br/



Previous articleEstudo aponta que PMEs não estão preparadas para a transformação digital
Next articleSejam bem-vindos, novos “barnabés”