Home NOTÍCIAS ONU afirma que mais de 35 milhões de pessoas precisam de tratamento...

ONU afirma que mais de 35 milhões de pessoas precisam de tratamento contra a dependência química



São Paulo, SP 5/7/2021 – Dependência química é a necessidade incontrolável de consumir drogas ilícitas ou lícitas compulsivamente. O descontrole faz com que o indivíduo desenvolva distúrbios físicos e mentais.

A dependência pode causar alterações no comportamento, impactar a vida da pessoa e sua rotina entre amigos e familiares. Além disso, pode trazer sequelas graves ao dependente e ser fatal.

Apontada como a principal causa de mais de 500 mil mortes, segundo dados da ONU, a dependência química se faz presente na sociedade e impacta a política de saúde global. 

Por definição médica, a dependência química é a necessidade incontrolável de consumir drogas ilícitas ou lícitas compulsivamente a ponto de o indivíduo desenvolver distúrbios físicos e mentais. Além disso, pode causar alterações de comportamento, alterações de rotina pessoal e de convívio entre amigos e familiares. Nos casos mais extremos, a dependência pode trazer sequelas graves ao dependente.

A informação é fundamental para prevenção e tratamento contra a dependência química. Por isso, Cleuza Canan, psicóloga e fundadora da Clínica Psiquiátrica homônima, contribuiu na explicação sobre o que é a dependência, as causas e as principais informações sobre o tratamento da questão.

O que é e o que pode causar a dependência química?

A dependência química é definida como doença crônica pela Organização Mundial de Saúde (OMS), ao representar a situação de consumo diário e constante de substâncias químicas, sejam lícitas, como álcool e nicotina, quanto ilícitas, como maconha, crack e cocaína.

Segundo dados de 2019 do escritório de drogas e crime das Nações Unidas e que estão no último relatório anual sobre o assunto, são mais de 35 milhões de dependentes que necessitam de tratamento, com forte tendência de aumento para os próximos anos. Em casos mais extremos, a dependência pode acarretar problemas físicos e mentais ao paciente, além de provocar alterações na rotina do indivíduo com os familiares e a sociedade.

No Brasil, as substâncias ilícitas são consumidas em grande quantidade com as medicações sem prescrição médica, de acordo com o levantamento nacional sobre o uso de substâncias químicas pela população brasileira, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz. Cerca de 3,2% da população adulta faz consumo constante nos 12 meses anteriores à pesquisa, o que resulta em quase 5 milhões de pessoas. O percentual é maior entre os homens e entre os jovens.

Existem diversos fatores que podem causar dependência química. A depender do caso, não é apenas um motivo que leva à compulsão, e sim um conjunto deles, e sim um conjunto de motivos. Predisposições genéticas e contato com a substância podem fazer parte das causas. O primeiro contato com a substância tem começado cada vez mais cedo, segundo relatório divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz no ano de 2015, com mais de 17 mil pessoas pesquisadas.

Outros elementos que podem causar a dependência são os gatilhos psicológicos, como dificuldades em lidar com problemas e frustrações, traumas de infância, depressão e ansiedade. Ambientes sociais que favorecem o uso de drogas ou má influência de amigos e familiares também podem levar o indivíduo ao abuso de drogas e consequentemente à dependência.

Quais são os melhores tratamentos para a dependência química?

Como doença crônica, a dependência de álcool e drogas deve ser tratada e controlada, desde que haja acompanhamento constante e de forma precoce, nos primeiros sintomas da dependência. O sucesso do tratamento passa pela predisposição do paciente e o acompanhamento especializado. No caso específico da Clínica Cleuza Canan aplica-se dois tipos de tratamento: as modalidades de internação integral e ambulatorial.

A modalidade integral é indicada para pacientes com alta intoxicação de drogas e álcool e que indicam alguma resistência ao tratamento. Este procedimento é aplicado quando o dependente vive situações de conflito familiar ao ponto de colocar a própria vida e de outras pessoas em risco. Na modalidade clínica dia, o tratamento ambulatorial é realizado com a combinação do tratamento medicamentoso com a rotina de acompanhamento médico para tratar possíveis complicações clínicas e psíquicas. 

A clínica dia tem o papel de preencher a lacuna entre o internamento e ambulatório no objetivo de se reinserir na sociedade.  O tratamento é realizado de forma que o paciente possa conduzir sua vida social e familiar junto com o tratamento. O tratamento terapêutico auxilia no processo de abstinência das substâncias químicas. Complementar ao internamento integral e o processo de desintoxicação, deve se atentar ao pleno cumprimento da lei federal que regula o funcionamento das clínicas, devendo disponibilizar todo o suporte com equipe multidisciplinar para atender a todas as etapas do tratamento.

O acolhimento ao paciente é considerado essencial na condução das ações de reabilitação do indivíduo e no processo de abstinência. Ao acessar o site: https://clinicacleuzacanan.com.br/, é possível conhecer a instituição e buscar todos os detalhes necessários no tratamento da dependência química.ONU afirma que mais de 35 milhões de pessoas precisam de tratamento contra a dependência química

Website: https://clinicacleuzacanan.com.br/

Previous articleTerapia Integrativa pode auxiliar a busca por saúde e bem-estar
Next articleSegundo Fiocruz, Brasil tem mais de 2 milhões de pessoas dependentes do álcool