São Paulo – SP 27/4/2021 – Morar ou ter uma segunda casa fora dos grandes centros urbanos é o objeto de desejo do momento e do futuro próximo. A busca por qualidade de vida, em lugares menores, de preferência perto da natureza, é uma das tendências que deve se perpetuar no pós-pandemia.

Morar ou ter uma segunda casa fora dos grandes centros urbanos é o objeto de desejo do momento e do futuro próximo. A busca por qualidade de vida, em lugares menores, de preferência perto da natureza, é uma das tendências que deve se perpetuar no pós-pandemia, nas palavras do multimilionário Bill Gates.

Em um dos episódios de seu podcast, ainda em 2020, ele afirmou: “Os centros urbanos vão se tornar menos importantes, e até os designs das casas podem ser repensados”. O fundador da Microsoft sublinha que ter uma casa maior em uma comunidade menor será cada vez mais atraente.

Os tempos de crise costumam acelerar as tendências. Com a normalização do home office, as reuniões remotas serão rotina, favorecendo uma maneira de morar com mais qualidade de vida, seja de forma permanente ou temporária. Nessa perspectiva, a ideia de ter ao menos uma segunda casa, longe da loucura urbana, torna-se cada vez mais vital.

Mais do que uma excelente opção para moradia ou temporada, ter uma segunda casa fora das grandes cidades é também um investimento. Existe o modelo em que se pode terceirizar todo o processo, do projeto de arquitetura e decoração, incluindo construção, manutenção e locação, nos períodos em que os proprietários não estão utilizando a casa. Além de receber a casa pronta, um dos atrativos é saber que o imóvel está sendo mantido e gerando renda.

Entre os atributos e maravilhas de Trancoso, o vilarejo de 11 mil habitantes é apontado no mundo inteiro como destino por excelência para quem busca tranquilidade à beira- mar. Ou seja, um lugar que se encaixa perfeitamente na tendência assinalada por Bill Gates. Ter uma segunda residência em um lugar mais sossegado vai marcar o modo de vida pós-pandemia.

Um pé na areia, outro no Quadrado. A localização é um dos grandes diferenciais do Vilas do Altos de Trancoso.

A 350 metros do Quadrado, serão construídas apenas 19 casas, com plantas de 172, 233 e 262 m², ambas com dois pavimentos de duas e três suítes.

O resto é mar. Natureza abundante. E o burburinho bem-vindo do Quadrado, com seus bares, restaurantes, lojas e ateliês. Lembrando que, entre os atributos de Trancoso, reconhecidos internacionalmente, o vilarejo é apontado como destino por excelência para quem busca tranquilidade à beira-mar.

Já em Itacaré, o Txai Vilas do Sul, por sua vez, oferece 10 bangalôs e 39 lotes para residências.

O projeto dos bangalôs possui duas suítes e dois tipos de planta, uma voltada para a área social, com uma sala mais ampla, e outra que privilegia a área íntima, com a possibilidade de criar uma suíte maior.

Os bangalôs serão entregues prontos, equipados e decorados de acordo com o padrão do Txai Resorts, um dos resorts mais sofisticados do Brasil. As locações serão gerenciadas pela central de reservas do hotel.

Nos lotes, o proprietário pode escolher um projeto pré-concebido e receber sua casa pronta ou pode escolher seu próprio arquiteto, decorador, entre outros profissionais de sua preferência. Todos os proprietários contam com toda a infraestrutura e serviços do Txai, como se fossem hóspedes. E ainda rentabilizam o investimento quando não estiverem usando o imóvel. Ou seja, o melhor dos mundos em dois dos destinos de praia mais desejados do Brasil.

Pandemia acentua busca por refúgio fora dos grandes centros

Website: <a target=”_blank” href=’https://vilasaltosdetrancoso.com.br/’ rel=”nofollow noopener”>https://vilasaltosdetrancoso.com.br/