São Paulo, SP 6/5/2021 – “Não se trata de dominar uma segunda língua, mas sim de aprender a pensar em dois idiomas de forma natural.”Com perfil seguindo moldes das escolas internacionais, as instituições de elite no Brasil buscam referência em países com altos índices na área educacional, como o Canadá.

Se a forma de se informar e de se comunicar mudou com a transformação tecnológica, a educação básica também precisa se transformar. Para acompanhar a rápida evolução da sociedade, em função dos avanços tecnológicos, as instituições educacionais também tiveram que se reinventar quebrando paradigmas e investindo em novas formas de ensinar. O bilinguismo é uma destas formas.

No Brasil, cada vez mais cresce o número de instituições que oferecem o ensino bilíngue, caracterizado por um currículo em que os dois idiomas são utilizados como meio de instrução. Mas afinal, quais as vantagens do ensino em dois idiomas para crianças e adolescentes?

“Não se trata de dominar uma segunda língua, mas sim de aprender a pensar em dois idiomas de forma natural. Estudos têm comprovado que a educação bilíngue propicia o desenvolvimento de muitas habilidades, dentre elas o pensamento criativo, a consciência sobre as propriedades estruturais da língua que amplia as possibilidades de significação do mundo”, explica Camila Rivetti, coordenadora da Escola Fernão Gaivota – Maple Bear Alphaville, instituição localizada no bairro de Alphaville, na Grande São Paulo e que foi a primeira escola do Brasil a adotar a metodologia bilíngue Maple Bear, do Canadá. Hoje, a rede de escolas Maple Bear tem mais de 140 unidades somente no Brasil e marca presença em 20 países, somando assim, mais de 450 escolas pelo mundo. 

Com uma bagagem de 14 anos de ensino bilíngue, a equipe da escola Fernão Gaivota – Maple Bear Alphaville pôde ver seus alunos se formarem e comprovarem a eficácia da metodologia educacional canadense. “Trouxemos nossas filhas logo no início da implantação da Maple Bear, em 2007. Hoje, com a Catarina iniciando a faculdade de Medicina e a Luísa concluindo o Ensino Médio, vemos claramente as marcas do ensino em constante evolução, nunca acomodado. Pensamento crítico e além dos limites tradicionais são algumas dessas marcas que as ajudarão em suas carreiras e desenvolvimento pessoal”, comenta Mirtes Teixeira, mãe das alunas Luísa, estudante da 3ª série do Ensino Médio e Catarina, concluinte de 2019 e aprovada no curso de Medicina da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e da FAMEMA (Faculdade de Medicina de Marília). 

Segundo um levantamento realizado pela Associação Brasileira do Ensino Bilíngue (Abebi), desde 2014, o mercado teve um aumento de 10% e movimenta cerca de 250 milhões de reais atualmente. E de acordo com a Organização das Escolas Bilíngues de São Paulo, somente no Estado, o número de estudantes deste perfil de instituição saltou de 2.800 para 4.600, em cinco anos. 

 

Educação Canadense 

Desde 1970, a educação no Canadá é oficialmente bilíngue (inglês e francês). E além de referência mundial em educação bilíngue, o Canadá vem se destacando consistentemente no PISA, programa internacional que produz indicadores sobre a efetividade do ensino nas áreas de matemática, leitura e ciências. Nesse ranking trienal, realizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com a participação de 76 países e divulgado pela última vez em 2019, o Canadá despontou nas primeiras posições, enquanto o Brasil ocupa a 60ª posição.

O programa Maple Bear no Brasil foi desenvolvido por especialistas canadenses e brasileiros, respeitando todas as exigências do Ministério da Educação (MEC), bem como incorporando a experiência de sucesso das escolas canadenses. Anualmente os especialistas canadenses conduzem um rigoroso programa de formação do corpo docente, acompanhamento acadêmico e certificação de qualidade. 

 

A aprendizagem bilíngue a partir da Educação Infantil 

Desde a Educação Infantil (a partir de 2 anos), a metodologia Maple Bear valoriza o aprendizado produzido diretamente pela vivência dos alunos, priorizando as descobertas individuais e a experimentação. “O período que a criança está na sala de aula é um momento de imersão total, a comunicação é feita exclusivamente em inglês”, explica Camila Rivetti, da Maple Bear Alphaville.

O ambiente escolar oferece situações de uso real da leitura e da escrita, como, por exemplo, a leitura das regras de um jogo, a produção de convites para eventos escolares, a produção de bilhetes aos pais e o acompanhamento dos horários das atividades, entre outras. Para o sucesso do programa, a rotina diária contempla situações didáticas de reflexão sobre o sistema alfabético de escrita e de apropriação da linguagem. 

 

Trabalhando com os dois idiomas

No ensino bilíngue, parte das disciplinas são em inglês. Na escola Fernão Gaivota – Maple Bear Alphaville, por exemplo, no Ensino Fundamental (1º ao 9º ano), as crianças desenvolvem todas as competências de comunicação (compreensão, fala, leitura, escrita, visualização e representação) nos dois idiomas. 

As disciplinas Língua Inglesa (English Language Arts), Matemática, Ciências e Educação Física acontecem integralmente em inglês, enquanto Língua Portuguesa, Música, Geografia e História em português. 

Ao completarem o 9° ano, todos os alunos são certificados pelo exame do TOEFL Junior®, métrica de proficiência em inglês e de padrão internacional do ensino do idioma. O TOEFL Junior® é o irmão mais novo do TOEFL iBT®, consagrado exame utilizado por universidades americanas e demais países de língua inglesa. Escolas particulares investem em ensino bilíngue com padrão internacional

Website: http://www.fernaogaivota.com.br