indulge yourself

São Paulo – SP 17/5/2021 – Com o quinto maior mercado do mundo em vendas, Brasil vê crescimento no consumo de chocolate dentro e fora dos lares

A indústria do chocolate cresceu em 2020. Enquanto a taxa de penetração do segmento subiu 1,5% na comparação com o ano anterior, chegando a 82,6% dos lares em todo o país, as vendas fora de casa, apesar da pandemia, aumentaram 9,3%, elevando de 7,5 para 8,2 a média de visitas do consumidor às lojas para comprar o produto. Os números foram levantados pelo Instituto Kantar, por encomenda da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab).

Todos esses resultados influenciaram também no faturamento de todo o setor, que viu sua receita aumentar 2,4% nos últimos 12 meses, alcançando um valor de mais de R$ 11 bilhões. Na divisão por categorias, o segmento de bombons foi responsável pelo maior volume de vendas, com quase 134 mil toneladas comercializadas no período. Os tabletes vieram na sequência com 86 mil toneladas vendidas ao longo do ano, alta de 4,42%.

Entre os meios de compra mais utilizados pelo consumidor, o destaque ficou para os canais de autosserviço. Sites e aplicativos para dispositivos móveis tiveram um aumento de 7% na participação de vendas devido, principalmente, às restrições sociais e ao fechamento do comércio durante as fases mais severas da pandemia da Covid-19.

Os números da Páscoa

Uma das datas comemorativas que mais movimentam o mercado no ano, a Páscoa de 2020 produziu cerca de 8,5 mil toneladas de ovos de chocolate e produtos pascais. 50% dos ovos comercializados foram entregues como presentes. Por causa desse movimento natural de trocas de chocolate e lembrancinhas, a indústria vem investindo mais a cada ano no desenvolvimento de formatos e novidades para atrair o público.

Para a Páscoa de 2021, o setor previu, de acordo com Abicab, a oferta de mais de 11,6 mil vagas de trabalho temporárias (quase 5% a mais do que em 2020) nas linhas de produção e pontos de venda, a fim de atender à demanda do período. Seguindo os passos de inovação, somente neste ano o mercado recebeu 95 novos lançamentos presenteáveis trazidos pelos associados da entidade, que representa hoje 92% das empresas de chocolate no país.

A indústria de chocolates no Brasil

Vale ressaltar que o Brasil possui hoje o quinto maior mercado do mundo em volume de vendas de chocolate, com consumo médio de 2,6 quilos por pessoa ao ano, segundo a própria Abicab. Somente em 2020, a indústria produziu 757 mil toneladas de produtos, desde barras, ovos, bombons, caixas sortidas, bolos, brownies de chocolate, entre outros. Esses números representaram um tímido aumento de 0,05% na comparação com 2019.

Ao longo de todo o ano passado, foram exportadas 29,6 mil toneladas em mercadorias para 145 países, totalizando um valor de US$ 100,6 milhões. Os principais destinos foram nações vizinhas, como a Argentina, Paraguai e Uruguai. Já o volume de importações de chocolates foi de 16 mil toneladas, custando um total US$ 114,2 milhões.Pesquisa aponta que 82,6% dos brasileiros compraram chocolate para consumir em casa em 2020

Website: https://finartealimentos.com.br/