Juiz de Fora, MG 26/5/2021 – Pratico o que prescrevo para os meus pacientes. Precisamos manter um estilo de vida saudável e equilibrado desde sempre, não só quando chegar à terceira idadeConforme a nutróloga Alice Amaral, independente da idade, a mulher precisa ter cuidados com a saúde, visando uma boa qualidade de vida

Segundo o IBGE, a expectativa de vida da mulher é de 79,4 anos. Isso mostra a necessidade de se cuidar para garantir a qualidade de vida nos muitos anos a serem vividos após os 60. “Para chegar à terceira idade com saúde é preciso, além dos cuidados básicos, praticar atividade física e manter uma rotina de alimentação saudável”, orienta a médica nutróloga Alice Amaral.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda, pelo menos, 150 minutos de atividade física por semana, pois a prática de exercícios melhora o condicionamento cardiovascular, ajuda a manter a massa muscular, melhora a força, o equilíbrio e a coordenação motora; além de liberar substâncias que ajudam no humor e combatem a depressão. Outra orientação é praticar atividade em grupo, pois o convívio social contribui para melhorar o bem-estar.

Ainda segundo a OMS, a maioria das pessoas ao redor do mundo não faz exercícios suficientes, situação que foi agravada por causa da pandemia do novo coronavírus. Por conta disso, a Organização pede que cada pessoa, independentemente de suas capacidades físicas, se mova mais.

Conforme a nutróloga Alice Amaral, “Independentemente da idade, a mulher precisa ter cuidados com a saúde, visando uma boa qualidade de vida. Essa atenção vai além do exame ginecológico, que é fundamental e que tem que ser feito anualmente. Procedimentos básicos como ir a um dentista regularmente são essenciais. Vale destacar que além da parte estética, a doença periodontal está ligada à diabetes, doenças cardíacas e até alguns tipos de câncer. É essencial realizar o exame de sangue (hemograma, glicose e colesterol, avaliar o fígado, a tireoide, os hormônios sexuais), fazer o autoexame das mamas, teste ergométrico, ultrassom da região pélvica (transvaginal para ver como está o útero e os ovários), ultrassom da mama, tireoide e abdômen. Se a paciente tiver mais de 40 anos e um histórico de câncer de intestino na família, é indicado fazer uma videocolonoscopia. Realizar uma densitometria óssea. Enfim, é preciso ouvir o nosso corpo e não deixar para depois”.

Exemplo a ser seguido

Aos 61 anos e mãe de dois filhos, a médica nutróloga Alice Amaral exibe um corpo esbelto e supersarado. Com uma rotina diária de treinos e focada na alimentação saudável, Alice Amaral, que é especialista em Nutrologia, Medicina do Esporte e Medicina Física e Reabilitação, divide seu tempo no consultório, realizando tarefas de casa e atividades esportivas. “Faço atividade física de domingo a domingo, sem faltar nenhum dia. Nada me impede de tirar parte da manhã para isso, a menos que eu esteja doente, o que é raro, até porque a vida saudável nos traz saúde. Além de atividades aeróbicas e de musculação, também pratico mergulho, escalada e outros exercícios”, afirma.

Mais do que apenas ostentar um shape definido na web, ela incentiva o lifestyle – que é 100% incorporado em sua rotina, focado nos cuidados com a saúde e na atenção com os treinos e alimentação regrada. “Na verdade, eu pratico o que prescrevo para os meus pacientes. Precisamos manter um estilo de vida saudável e equilibrado desde sempre, não só quando chegar à terceira idade e sentir os sintomas da velhice”.

Atividade física e alimentação

Com 56 kg distribuídos em 1,67 de altura e 10% de percentual de gordura corporal, Alice Amaral se diz feliz com seu corpo. “Desde nova eu faço exercícios. Como me especializei na área do esporte e sempre tratei de atletas, eu tenho muita afinidade. Gosto muito de mergulhar com meu filho e estou tentando escalar e faço trilha com a minha filha (é a maneira que descobri de estar mais próxima deles). Eu sou uma mulher normal, que trabalha muito, já fiz muito plantão e hoje, no consultório, eu atendo pacientes de Juiz de Fora e outras cidades. É uma rotina que exige muita dedicação e disciplina, por isso preciso estar em forma e com a saúde mental em dia. Amo comer legumes, saladas, proteínas e carboidratos “bons”, como batata doce, abóbora, mandioca. No dia a dia e até durante viagens, evito gorduras trans, frituras, embutidos e farinha branca, e nem sinto falta. Faço disso um estilo de vida, me alimento bem e, em determinadas ocasiões sociais, me permito tomar um vinho tinto seco”, completa.

Conforme a médica, “a atividade física e a alimentação saudável regular melhora a nossa flexibilidade, nossos reflexos, auxilia na prevenção de doenças degenerativas. Devemos pensar também que bons hábitos afastam os maus, portanto, praticando atividades físicas é possível ajudar no combate ao fumo, por exemplo, pois o hábito de fumar prejudica nossa capacidade na prática de esportes. O acompanhamento periódico com o especialista também é muito importante. Só o especialista vai poder orientar quais os melhores horários, locais e os tipos de exercícios mais apropriados. E também informar ao paciente sobre condutas mais saudáveis e potenciais riscos que devem ser evitados”.

Vida sexual ativa

Além disso, é de extrema importância manter uma vida social e sexual ativa. “O convívio social contribui para o bem-estar e evita que a pessoa se sinta sozinha e deprimida. A vida sexual ativa melhora o bem-estar geral, o humor, aumenta a autoestima, a capacidade cognitiva e rejuvenesce”, afirma Alice Amaral.

Outra dica é exercitar o cérebro e dormir bem. “O sono fortalece o nosso sistema imunológico e repõe as energias. Dormir mal acelera o envelhecimento, além de causar fadiga, diminuição da memória e obesidade”.

Combate ao sedentarismo

Em uma recente publicação, a OMS revelou que até 5 milhões de mortes por ano poderiam ser evitadas no mundo com um aumento da atividade física. “O combate ao sedentarismo deve ser praticado em todas as idades e mesmo por pessoas com condicionantes físicas por motivo de doença”, defendeu a OMS, ao anunciar as novas diretrizes no final de 2020.

De acordo com os dados da OMS, um em cada quatro adultos não pratica exercício físico suficiente, o mesmo se passando com quatro em cada cinco adolescentes. No guia, a OMS defende, também, que toda a atividade física é benéfica e pode ser feita de várias formas, desde o desporto até exercícios no dia a dia, a jardinagem, a caminhada ou a dança.

 Médica nutróloga afirma que é possível chegar aos 61 anos em forma e com saúde

Website: https://www.instagram.com/alice.amaral/