Home NOTÍCIAS Pela primeira vez na história dos EUA, a ABS, Robert Allan, Signet...

Pela primeira vez na história dos EUA, a ABS, Robert Allan, Signet e USCG utilizam o processo puramente 3D para a entrega de embarcações comerciais

HOUSTON, Texas 30/6/2021 –
Processo sem papel proporciona economia de tempo e custo sem comprometer a segurança

A primeira embarcação comercial dos EUA projetada, construída e verificada com o uso de um processo de design 3D completo está agora em construção em um projeto pioneiro pela ABS, Robert Allan Ltd. (RAL), Signet Maritime Corporation (Signet) e Guarda Costeira dos Estados Unidos (USCG).

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20210630005922/pt/

Historic U.S. First as ABS, Robert Allan, Signet and USCG Use Purely 3D Process to Deliver Commercial Vessel. Picture courtesy of Robert Allan Ltd.

Historic U.S. First as ABS, Robert Allan, Signet and USCG Use Purely 3D Process to Deliver Commercial Vessel. Picture courtesy of Robert Allan Ltd.

Idealizado pela RAL, o Advanced Rotortug® (ART), que foi projetado para escoltar navios e ativos offshore no Porto de Corpus Christi, receberá o seu Certificado de Inspeção da USCG e será construído e operado agora pela Signet para a Classe ABS, o que o torna a primeira embarcação comercial na história dos Estados Unidos a ser produzida com o uso de modelos apenas 3D no projeto e construção de todas as estruturas.

Um processo puramente 3D reduz os custos e o investimento de tempo, enquanto agiliza a interação entre todas as partes interessadas ao longo das fases de projeto, verificação e construção, sem comprometer a segurança.

“A conquista deste marco define o padrão para projetos futuros, tanto nos EUA quanto internacionalmente. Junto com nossos parceiros inovadores, realizamos o sonho antigo do setor de deixar para trás projetos 2D em papel e passar para a próxima geração de produção de embarcações. A ABS orgulha-se de ajudar a liberar o uso desta capacidade e de ser genuinamente líder do setor nessa área, mais uma vez oferecendo as vantagens da classificação digital atual. As vantagens são significativas e temos certeza de que quando a indústria desenvolver a infraestrutura para lidar com modelos 3D em estaleiros, o processo 3D puro se tornará a abordagem padrão”, disse Christopher J. Wiernicki, presidente do conselho administrativo, presidente e diretor executivo (CEO) da ABS.

“Como arquitetos navais, mais do que nunca desenvolvemos a estrutura de embarcações em 3D, mesmo na fase de projeto básico para novas embarcações. Acreditamos que ao produzir modelos 3D em vez dos desenhos 2D tradicionais vamos beneficiar todas as partes interessadas – nós como os projetistas, sociedades de classes, clientes, estaleiros e fornecedores de equipamentos. O “desenho direto” da estrutura em 3D não só agiliza a transição para a modelagem do projeto de produção para o estaleiro, mas também nos oferece, como arquitetos navais, estimativas antecipadas de pesos e centros de gravidade, quantidades de aço, assim como os meios para verificar interferências estruturais.

“Estamos muito satisfeitos com a iniciativa da ABS de trabalhar conosco em um processo para revisar e aprovar modelos estruturais 3D em nosso projeto com a Signet Maritime Corp. Não só isso tornou mais fácil a troca de informações complexas de projeto estrutural dessa maneira, mas o tempo, desde o estágio do projeto básico até o estágio de projeto de produção, foi reduzido, permitindo que o estaleiro comece a cortar aço mais cedo”, disse Mike Fitzpatrick, diretor executivo (CEO) da Robert Allan Ltd.

“O entendimento e a fidelidade deste modelo de construção representam um marco importante na história da indústria marítima dos Estados Unidos. A revisão do design 3D garante que o projetista, engenheiro, gerente de produção, montador, soldador e topógrafo trabalhem com o mesmo modelo completo. Cada indivíduo tem acesso ao micro (componente) e macro (montagem completa) com os quais trabalha para entender melhor o suporte, estrutura ou anteparo no que se refere ao módulo, seção e embarcação. Oferecer este nível de consciência a todos os participantes do processo daráàABS, Robert Allan e Signet um produto acabado superior e contribuirá para uma hidrovia mais segura por meio do avanço tecnológico”, disse Timothy S. McCallum, vice-presidente da Signet, Engenharia e Dinâmica.

O marco é apenas o mais recente em uma sucessão de inovações da ABS na classe baseada em modelos 3D. A ABS foi a primeira a desenvolver um processo para a ingestão de modelos 3D em software de classes para permitir revisões baseadas em modelos 3D em 2018. A ABS se tornou então a primeira organização de classificação a aceitar modelos 3D para pesquisas de classe em abril de 2020.

Mais informações sobre os serviços de classe com base em modelos 3D da ABS estão disponíveis aqui.

Sobre a ABS

A ABS, fornecedora líder global de serviços de classificação e consultoria técnica para as indústrias marítimas e offshore, está comprometida em estabelecer padrões de segurança e excelência em concepção e construção. Focada na aplicação prática e segura de tecnologias avançadas e soluções digitais, a ABS trabalha com a indústria e os clientes para desenvolver uma conformidade precisa e rentável, um desempenho otimizado e uma eficiência operacional para ativos marítimos e offshore.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.

Pela primeira vez na história dos EUA, a ABS, Robert Allan, Signet e USCG utilizam o processo puramente 3D para a entrega de embarcações comerciais

Contato:

Para mais informações, contate

Relações com a mídia da ABS

Gareth Lewis

glewis@eagle.org

Fonte: BUSINESS WIREPela primeira vez na história dos EUA, a ABS, Robert Allan, Signet e USCG utilizam o processo puramente 3D para a entrega de embarcações comerciais

Previous articleO inglês torna-se cada vez mais fundamental no mundo corporativo
Next articleA planta milenar: curiosidades sobre o bonsai