Home NOTÍCIAS Pesquisadores se unem para estudo único com o objetivo de se comunicar...

Pesquisadores se unem para estudo único com o objetivo de se comunicar com baleias

6/8/2021 – Estudo multidisciplinar analisa sinais de comunicação entre baleias cachalotes

As baleias cachalotes, a maior dos cetáceos, emitem sons de clique em frequências variadas quando estão na companhia de outras baleias. Ao longo dos anos, a ciência passou a questionar se tal emissão sonora se trata de um código simples ou uma linguagem verdadeira, porém, o banco de dados atual não é abrangente o suficiente para saber a resposta.

Tendo em vista a questão, pesquisadores da Universidade de Haifa iniciaram uma nova pesquisa global que espera entender como decifrar a comunicação dos cachalotes, que pode permitir o diálogo entre humanos e essas grandes criaturas marinhas. O estudo tem parceria com The City University of New York, Harvard University, Massachusetts Institute of Technology, Imperial College London, UC Berkeley e outros.

Em uma coletiva de imprensa realizada em Dominica, no Caribe, onde o projeto será realizado, os pesquisadores revelaram planos para o que estão chamando de Iniciativa de Tradução de Cetáceos. O projeto multidisciplinar está estimado em pelo menos cinco anos e combinará conhecimentos de diversos campos de estudo, incluindo biologia marinha, acústica marinha, inteligência artificial, linguística, entre outros, além de uma máquina de última geração e a robótica não invasiva para ouvir e traduzir a linguagem dos cachalotes e até mesmo tentar responder às criaturas majestosas.

 “No entanto, com o avanço do aprendizado de máquina e linguística avançada, percebemos que, se coletarmos dados suficientes sobre suas vozes, o contexto em que esses sons são empregados e compreendidos e seu comportamento e motivação por trás desses sons, podemos desenvolver um algoritmo que irá determinar se eles têm uma linguagem autêntica “, disse um dos líderes do projeto, o professor Dan Tchernov da Escola Leon H. Charney de Ciências Marinhas da Universidade de Haifa e diretor científico da Estação de Pesquisa Marinha Morris Kahn.

As implicações potenciais caso este projeto seja bem-sucedido são numerosas, uma vez que a biodiversidade do planeta está diminuindo rapidamente. Como tal, é urgente que os humanos encontrem uma forma de coexistir com as criaturas que permanecem na Terra.

“O cachalote é o animal com o maior cérebro e, como os humanos, tem um sistema de comunicação complexo e vive em grupos familiares muito unidos. Essas baleias também ajudam a manter o carbono fora da atmosfera, sustentam nosso suprimento de oxigênio e aumentam a vida marinha. Agora temos as ferramentas para identificar e traduzir a estrutura profunda de seus padrões comunicativos e para iniciar o caminho para um diálogo significativo com outras espécies. Ao ilustrar a incrível inteligência das baleias e defender a legislação, podemos acelerar os esforços de conservação “, oficial do Projeto CETI o site explica.

Liderando o projeto está o Prof. David Gruber, da City University of New York, junto com o Dr. Shane Gero, um explorador da National Geographic e especialista em biologia de baleias que investigou cachalotes da Dominica por mais de uma década, que trabalhará com Tchernov, servindo como diretor operacional do projeto. Outros pesquisadores envolvidos incluem a Universidade da Califórnia, Berkeley e o Prof. Shafi Goldwasser do MIT, e o Diretor do Programa de Robótica da Universidade de Harvard, Prof. Rob Wood.

Também fazem parte da equipe da Universidade de Haifa o Dr. Roee Diamant do Departamento de Ciências Marinhas, que será o principal conselheiro acústico do projeto e na mudança de colocação do mais avançado sistema de escuta e localização de mamíferos marinhos do mundo, e Dr. Bracha Nir, Chefe do Departamento de Distúrbios da Comunicação da Universidade, que investigará os temas da comunicação materno-infantil.

“A participação de três pesquisadores da Universidade de Haifa neste prestigioso projeto de pesquisa ao lado dos principais cientistas do mundo de Harvard, MIT e Berkeley, atesta o extenso trabalho que está sendo feito na universidade e na Escola de Ciências Marinhas em particular”, Universidade de Haifa Presidente Prof. Ron Robin disse.Pesquisadores se unem para estudo único com o objetivo de se comunicar com baleias

Website: http://www.haifa.com

Previous articleArtista brasileiro, que vive na Europa, é convidado a compor e produzir a trilha sonora de documentário internacional
Next articleHCL Technologies nomeada líder no Quadrante Mágico 2021 da Gartner® por serviços de transformação de TI em nuvem pública