Home Carros Conectados Venda de caminhões foi a maior do ano em julho, de acordo...

Venda de caminhões foi a maior do ano em julho, de acordo com dados

Diferententemente da venda de caminhões, o emplacamento de ônibus apresentou baixa



A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), em dados divulgados no dia 03 de agosto deste ano, mostrou que, em julho, a venda de caminhões bateu 11,5 mil unidades emplacadas no território nacional, mostrando-se como o melhor resultado do ano e o número mensal mais alto desde dezembro de 2014. Em julho, a média diária foi de 522 unidades licenciadas, pouco abaixo da observada em junho, quando foram observadas 528 unidades. O mês de julho contou com 22 dias úteis; e junho, com um dia útil a menos, além de 11,1 mil caminhões vendidos.

No acumulado dos sete primeiros meses do ano, a venda de caminhões chegou a 69,5 unidades, ou seja, uma alta de 47,7% na comparação com o ano anterior – o melhor resultado também para o período em sete anos. A Fenabrave, entidade responsável pela análise, reúne as associações de concessionários e responsabiliza os bons resultados do setor ao mercado agrícola e ao crescimento econômico. “Há modelos com entrega agendada para janeiro de 2022. São veículos já negociados, mas que em virtude da demanda só poderão ser entregues no próximo ano”, diz o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior.

O presidente da Fenabrave também conta que a concessão de crédito está favorável ao segmento: “cerca de oito a cada dez propostas de financiamento são aprovadas”, aponta. Assumpção ainda mostra que o segmento de caminhões é um dos destaques em relação às vendas, vislumbrando 2021 como um dos melhores para os segmento no Brasil. Assumpção informa ainda que já há vendas com entregas previstas para janeiro de 2022.

O aumento das vendas de janeiro a julho é pouco abaixo das vendas dos comerciais leves, que tiveram alta de 56,2%. Além disso, em relação às motocicletas, o crescimento das vendas é igual, já que elas tiveram as negociações puxadas pelos serviços de entrega desde o ano passado. Observa-se, com isso, a importância de estar atento à realidade do setor também para outros segmentos e componentes veiculares, além da disponibilidade de peças no mercado, como as baterias Interlagos.

O crescimento na venda de caminhões se sustenta, além da agricultura, nas atividades industriais e varejo, para entregas na cidade ou com longas e médias distâncias. Em julho, a Fenabrave revisou para cima a projeção dos caminhões, que, provavelmente, fecharão o ano com 116 mil emplacamentos e crescimento de 30,6% em relação a 2020.

Venda de ônibus em baixa

No acumulado dos sete primeiros meses do ano, foi realizado o emplacamento de 10.876 ônibus no país, isto é, um crescimento de 11,33% ante as 9.769 unidades vendidas no mesmo período de 2020. Em julho deste ano, as vendas no segmento foram de 1.582 unidades, isso representa uma retração de 11,50% em relação a junho, momento em que foram emplacados 1.765 veículos. Além disso, na comparação de julho de 2021 com julho de 2020, a retração marcou 17,49%. Em julho de 2020, 1.893 unidades foram vendidas no país.
Venda de caminhões foi a maior do ano em julho, de acordo com dados

Previous articleAtravés das redes sociais, clínicas de estética atraem cada vez mais pacientes
Next articleDOU publica portaria que isenta as motocicletas do pagamento da tarifa