Chiado, tosse seca, falta de ar, sensação de pressão no peito: esses são alguns dos sintomas mais comuns da asma, que interferem diretamente na qualidade de vida dos pacientes.

A doença, que afeta milhões de pessoas em todo o mundo, ficou sob os holofotes nos últimos dias, por conta do falecimento do ator Paulo Gustavo, em decorrência de complicações da Covid-19.

Paulo tinha uma forma leve de asma e, segundo especialistas, a doença estava controlada e não teve qualquer interferência na piora do quadro do artista. Aliás, esse é um dado que vem sendo constantemente reforçado: em suas formas mais leves, a asma não é considerada uma comorbidade para quadros graves de Covid-19.

No entanto, a asma por si só também pode ser fatal. Aproximadamente 250 mil pessoas morrem todos os anos em decorrência da doença, que é crônica, ou seja, não tem cura, mas pode ser mantida sob controle, com o alívio e até mesmo o desaparecimento dos sintomas.

Além do uso da medicação correta, indicada pelo pneumologista, e o acompanhamento adequado, o paciente asmático também pode adotar uma série de medidas preventivas que ajudam a manter o quadro bem controlado e evitar crises. Reunimos abaixo 5 dicas, confira!

De olho no peso corporal
Diversos estudos demonstram que indivíduos obesos ou com sobrepeso e que tinham asma sentiram uma grande melhora do quadro ao reduzir o peso corporal.

Ainda não se sabe exatamente como isso se associa, mas tudo indica que a predisposição do estreitamento dos brônquios em indivíduos obesos pode ser a chave.

Além disso, a inflamação do tecido adiposo pode aumentar a resposta inflamatória nas vias aéreas, estimulando o surgimento de crises de asma.

Cuidado com o mofo
O mofo pode desencadear sérias crises de asma até mesmo em quem tem a doença controlada. Portanto, é preciso todo o cuidado e prevenção para evitar o aparecimento do problema.

“É crucial manter a correta higiene e ventilação dos ambientes da casa. Além disso, é preciso deixar ventilar armários e guarda-roupas, que também podem acumular mofo. Caso o mofo já tenha se instalado, a remoção deve ser realizada com o uso de produtos específicos para este fim, que eliminam os fungos com segurança”, explica a CEO da Aya Tech Fernanda Checchinato.

Cuidados com a intensidade dos exercícios físicos
As práticas físicas são excelentes para manter o corpo saudável e os pulmões em dia. No entanto, os treinos realizados por pessoas que não têm o quadro controlado podem causar crises de asma.

Isso ocorre por conta da desidratação das vias aéreas e do aumento do fluxo de ar, e pode piorar por causa da variação de temperatura também nas vias aéreas.

Para diminuir o impacto, é preciso se hidratar bem e exercitar-se prestando atenção às respostas do corpo. O uso de broncodilatadores antes das atividades pode ser recomendado, mas isso vai depender diretamente do quadro individual de cada paciente.

Xô, cigarro!
Cigarro e asma definitivamente não combinam. A fumaça do cigarro é muito prejudicial aos asmáticos, até mesmo se o doente não for fumante.

Ela pode agravar seriamente os sintomas e aumentar a inflamação dos brônquios, tornando mais difícil o controle da doença. Além disso, a pessoa asmática tabagista tende a perder progressivamente a função pulmonar, e conta com risco maior de mortalidade.

Tudo sempre limpo
Poeira, ácaros, pelo de animais: esses elementos podem desencadear crises alérgicas, que pioram o quadro de asma. Portanto, mantenha o ambiente sempre limpo, livre de pó.

Aspire sofás e tapetes diariamente, lave as cortinas com frequência e troque a roupa de cama ao menos duas vezes por semana. Essas são medidas simples mas de grande valia para controle da asma.

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

Quais os cuidados com os cães no verão?