viagem como presente

Abril de 2021 registrou o maior número nos últimos 20 anos de pessoas apreendidas pelas autoridades americanas, por tentar entrar ilegalmente nos Estados Unidos, através da fronteira com o México, em busca de refúgio ou asilo na América. Foram aproximadamente 179 mil prisões efetuadas somente em abril, e ao todo já são mais de 400 mil somando-se os quatro primeiros meses do ano.

Se os números seguirem neste ritmo, a administração Biden tem tudo para quebrar o recorde histórico de prisões e deportações durante os 8 anos do governo Obama (2009-2016), quando foram deportados aproximadamente 3 milhões de pessoas dos EUA.

“Os números elevados se devem basicamente a dois motivos: a imagem que os EUA voltou a projetar para o mundo de que imigrantes são bem-vindos no país, após a vitória de Joe Biden nas últimas eleições americanas, e a quantidade cada vez maior de pessoas que tentam entrar na América em busca da vacinação contra a covid-19, fugidas de países onde a situação da pandemia continua caótica ou ainda sem previsão de vacinação em massa” – Observou Felipe Alexandre, advogado de imigração com nacionalidade brasileira e americana.

Fugindo de economias devastadas pelo vírus, os migrantes estão viajando longas distâncias para chegar aos Estados Unidos. O deserto do Arizona tornou-se um ponto de travessia favorito para pessoas vindas de diversos países, especialmente do Brasil, Cuba, Índia e Venezuela.

A patrulha de Proteção a Fronteira Americana (CBP) divulgou que cerca de 4.000 brasileiros e mais de 3.500 venezuelanos foram interceptados em abril, e com a situação de vacinação em massa ainda indefinida nestes dois países, a tendência é que estes números aumentem ainda mais nas próximas semanas.

De acordo com a congressista republicana, Jody Hice, cerca de 1.200 brasileiros estão voando semanalmente para Tijuana e de lá iniciam a travessia pelo deserto mexicano até a fronteira dos Estados Unidos.

O aumento de prisões de brasileiros na fronteira consequentemente também resultará no aumento de deportações dos EUA. Cerca de 130 brasileiros ilegais na América estão prestes a ser “devolvidos” ao Brasil no dia 20 de maio em voos fretados pela imigração americana. Diversos voos desse tipo já haviam acontecido durante os quatro anos do governo de Donald Trump, quando aproximadamente 18 mil brasileiros foram presos e deportados.

“O problema na fronteira certamente é o primeiro grande desafio do governo Biden. Desde que o presidente assumiu, em janeiro, foi criada uma expectativa de que os EUA iriam tratar a questão da imigração de uma forma totalmente oposta à da gestão anterior. Entretanto, existem leis que precisam ser cumpridas e, infelizmente, nem todos os imigrantes se qualificam para entrar e permanecer em território americano. O presidente precisa encontrar agora a medida certa entre ser “pró-imigrante” e ao mesmo tempo combater a imigração ilegal no país” – salientou Felipe Alexandre, que também é fundador da AG Immigration, escritório americano de advocacia imigratória que representa centenas de brasileiros em processos de imigração e green card para os EUA.

“Quanto a questão das pessoas buscando entrar ilegalmente para obter vacinas nos EUA, embora seja compreensível que elas estejam preocupadas com o contágio em seus países e busquem se vacinar o mais breve possível, é preciso ter em mente que existe um debate moral e ético que deve ser considerado na hora de buscar a imunização em outro país. Especialmente neste momento em que o novo governo americano está buscando adotar medidas mais acolhedoras e inclusivas para a chegada de estrangeiros na América e também enviando doses de vacinas americanas para países necessitados, este tipo de prática ilegal acaba sendo prejudicial para a imagem de outras nações nos Estados Unidos” – completou Felipe Alexandre.

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

Quais os cuidados com os cães no verão?