A Claro dá início aos serviços de 5G no Brasil a partir da próxima semana, quando São Paulo e Rio de Janeiro começam a contar com a rede 5G DSS. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Isso será possível com o recurso de compartilhamento de frequências, que permite a utilização do espectro atual já alocado. A nova tecnologia de rede móvel começa a ser implantada de forma pioneira no país pela operadora, em parceria com a Ericsson. A Claro terá cobertura 5G DSS nas regiões com maior demanda de tráfego, nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Com a tecnologia DSS (Dynamic Spectrum Sharing, ou Compartilhamento Dinâmico de Espectro), é possível compartilhar as frequências disponíveis hoje, já alocadas ao Serviço Móvel Pessoal (SMP). Assim a rede da Claro passa a distribuir recursos dinamicamente entre os smartphones atuais, que operam até a quarta geração, e os novos, que sejam compatíveis com a nova rede 5G DSS.

Clientes que adquirirem smartphones aptos já poderão ter as primeiras experiências com a tecnologia 5G, com conexões até 12 vezes mais velozes que o 4G convencional.

O anúncio da primeira rede 5G do país foi feito semana passada, de forma simultânea ao pré-lançamento do primeiro smartphone compatível no país, o Motorola Edge. O aparelho, que chega às lojas a partir do dia 14 de julho, conta com a tecnologia 5G baseada no modem X52, que suporta o recurso DSS.

Em São Paulo, a cobertura estará disponível inicialmente na região da Avenida Paulista e Jardins. Nas semanas seguintes, vai gradativamente estender-se pelos bairros Campo Belo, Vila Madalena, Pinheiros, Itaim, Moema, Brooklin, Vila Olímpia, Cerqueira César, Paraíso, Ibirapuera, além da região da Av. Berrini e também de Santo Amaro.

No Rio de Janeiro, os primeiros pontos de cobertura estarão em Ipanema, Leblon e na Lagoa. Na seqüência devem se expandir por toda a orla, do Leme até a Barra da Tijuca, passando por Jardim Oceânico, Joá, São Conrado e Copacabana.

Os critérios de escolha para as primeiras regiões a receberem a cobertura 5G DSS levaram em conta fatores como demanda atual de tráfego e crescimento ao longo do último ano, infraestrutura de rádios já modernizada para oferta do 4.5G, além da penetração de smartphones de última geração e densidade populacional.

A proximidade de comunidades onde a operadora tem realizado ações sociais também foi determinante nessa etapa inicial, dentro do programa de apoio à população mais atingida pela crise do coronavírus.

Por meio do Instituto Claro, e em parceria com Ericsson e a Central Única das Favelas (CUFA), a Claro vai levar a rede 5G  para sede da organização em Paraisópolis, em São Paulo, para que famílias, jovens e crianças possam ter acesso à internet e a aplicações de Telemedicina e educação à distância.

A rede 5G instalada na sede da CUFA permitirá que as Mães da Favela acessem a internet Wi-Fi para resgatar as doações recebidas. As crianças e adolescentes da região também terão acesso a materiais educativos e aulas online disponibilizados pelas escolas públicas, pelo Descomplica (plataforma de preparação para o Enem) ou no próprio site do Instituto Claro, que também disponibiliza conteúdos educacionais e de capacitação.

Também receberá a rede o Instituto Pró-Saber SP, presente em Paraisópolis desde 2003 e que tem o objetivo de garantir e defender o direito de toda criança ler e brincar, além de disponibilizar computadores para que os adolescentes possam fazer trabalhos escolares, por meio dos projetos Pró Ler & Brincar e Pró Ler & Brincar nas Escolas.

O local conta com uma biblioteca que atende à região e que recebe mais de quatro mil usuários. A nova rede irá apoiar à pesquisa de crianças, adolescentes e professores, facilitar o acesso dos estudantes a todo o conteúdo escolar.

Em ambas as instituições, o serviço 5G também poderá ser utilizado para o acesso ao projeto Missão Covid, iniciativa que conta com mais de 1.200 médicos voluntários e já realizou cerca de 67 mil atendimentos gratuitos em pacientes com sintomas de COVID-19.

“Apesar dos tempos difíceis que vivemos no momento, vamos seguir evoluindo e investindo para oferecer sempre o melhor para nosso cliente”, afirma José Félix, presidente da Claro.

Allianz Parque recebe as primeiras demonstrações da rede 5G
O plano de implantação da primeira rede 5G DSS do país foi apresentado nesta quarta-feira (08/07), quando Claro, Ericsson, Motorola e Qualcomm trouxeram demonstrações de uso da tecnologia no Allianz Parque, em São Paulo, com transmissão em tempo real no Canal 500 das plataformas de TV por assinatura (via cabo ou satélite) e pelas redes sociais da Claro.

Com apresentação de Luciano Amorim, a transmissão foi feita usando a rede 5G instalada no Estádio e o Smartphone Motorola Edge 5G como as câmeras para geração das imagens.

Na primeira demonstração, de uma aplicação de gaming, Camilota XP apresentou uma partida de Free Fire disputada online entre dois gamers da equipe Fúria GG, distantes 17 quilômetros, em dois pontos da rede. Com a baixa latência do 5G eles conseguiram jogar online e “streamar” ao mesmo tempo pelo celular.

Na sequência, a piloto Karina Simões participou de um teste cego de direção, guiado pelo 5G. Em um carro com vidros adesivados e sem ter contato visual com o exterior do veículo, a piloto foi guiada apenas pela tela do smartphone instalado dentro do carro.

Outros dois smartphones 5G foram instalados do lado de fora do veículo, enviando imagens em tempo real para dentro do carro através da nova tecnologia. A experiência só é possível pela baixa latência, que permite que o smartphone funcione como a visão da piloto, que conseguiu executar as manobras no tempo certo e sem atrasos.

A demonstração ilustra a evolução possível para carros autônomos no futuro, com mais sensores e a capacidade de cada veículo trocar informações com outros veículos ou com rodovias e cidades inteligentes.

Caminho para a expansão do 5G
Além das regiões que serão atendidas no plano inicial de implantação, a cobertura do 5G DSS crescerá gradativamente nos próximos anos dentro do projeto de modernização e expansão de capacidade de rede móvel da operadora.

Todos os investimentos feitos para implantar a rede serão automaticamente aceleradores da implantação definitiva do 5G, com a posterior adição do espectro de 3,5 GHz e das faixas de onda milimétricas. O investimento em aquisição de um smartphone 5G agora também está protegido, uma vez que o equipamento suportará também as novas frequências.

O espectro adicional, a ser leiloado pela Anatel, possibilitará expandir a capacidade de transmissão da rede 5G. Por utilizar frequências mais altas que as atuais, as novas faixas de espectro alocadas para o 5G exigirão a implantação de uma grande quantidade de antenas, para garantir cobertura e capacidade.

Outra evolução necessária, nesse caso para redução da latência, será a virtualização de funções de rede, com a descentralização do core para datacenters mais próximos dos clientes, tecnologia conhecida como edge computing.

No futuro, com mais espectro, mais antenas e uma nova topologia de rede, o 5G será veículo de uma grande transformação, conectando pessoas e sensores por meio de uma rede móvel de altíssima capacidade e baixa latência, capaz de automatizar e controlar as mais diversas atividades da sociedade.

A jornada rumo à solução definitiva e esperada do 5G, portanto, será longa e ainda vai requerer muito investimento, trabalho e tempo para implantação em todo o país. E a chegada do 5G DSS, utilizando as frequências atuais e a mesma topologia de rede atual, ajuda a acelerar a implantação da nova tecnologia.

“O 5G DSS revela-se uma forma de trazer evolução gradativa e que vem sendo utilizada como alternativa pelas maiores operadoras do mundo, inclusive em economias desenvolvidas, como Estados Unidos e Europa, e onde o espectro de 3,5GHz e de ondas milimétricas já foi alocado” afirma Paulo Cesar Teixeira, CEO da unidade de Consumo e PME da Claro.

[/read]
 

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Claro inaugura era do 5G no Brasil, com cobertura em São Paulo e Rio de Janeiro

 

Veja também
Brasil Game Show de 2020 é oficialmente adiada
LG apresenta novo Monitor UltraWide Gamer
Ensino universitário e mercado de trabalho: mind the gap