Home CORPORATE ARTIGO Combate à corrupção demanda mais do que um programa de compliance

Combate à corrupção demanda mais do que um programa de compliance

 

…simples e pequena razão: não havia comprometimento da alta gestão com a ética e com as boas práticas de gestão. Estes dirigentes (de forma direta ou por omissão) foram coniventes com os atos de corrupção.

Então, o atributo mais importante de uma política de governança é o irrestrito comprometimento da alta gestão em agir de acordo com as leis, regulamentos, normas, políticas e melhores práticas de gestão.

Precisamos entender que uma política de “compliance” é um dos fundamentos da governança corporativa. É muito mais que um conjunto de regras. É uma questão de atitude e comportamento da liderança, o qual deverá permear todos os níveis hierárquicos da organização.

Saliento a seguir, os principais atributos para que a empresa conte com um processo de governança de alto desempenho:

1. Forte compromisso com a ética, transparência e competência por parte dos dirigentes e conselheiros. Que devem comunicar isso de forma clara e transparente para todos os colaboradores, terceiros, fornecedores e prestadores de serviços. Eles devem disciplinar e orientar o comportamento corporativo;

2. Manter um processo contínuo de revisão dos riscos operacionais, incluindo os riscos de fraudes, de forma a que a empresa possa tomar todas as medidas necessárias para fortalecer as respostas ao risco identificado;

3. Ter um procedimento específico para coibir fraudes e ilícitos, seja no âmbito das negociações com instituições públicas como também com empresas do setor privado. Incluindo a manutenção de um canal transparente de denúncias de irregularidades, bem como, um processo independente de investigação e avaliação das irregularidades denunciadas;

4. Manter um processo de registros contábeis de todos os fatos e transações que assegurem, de forma completa e precisa, a confiabilidade das informações e demonstrações financeiras;

5. Conhecer de forma detalhada os fluxos de transações que compõem os diversos ciclos de negócio, estabelecendo um monitoramento contínuo do desempenho e dos sistemas de controle de interno existente;

6. Promover transparência corporativa através de avaliação do processo de governança, riscos e controles internos, realizado por uma auditoria interna proativa e independente, visando o aperfeiçoamento dos sistemas de gestão.

As corporações devem olhar com muita atenção estes atributos, pois governança é requisito para uma gestão sustentável, trazendo perenidade para a organização.

Os executivos, por sua vez, devem deixar de lado o discurso equivocado de que tudo isto é burocracia, pois não é. Compliance é gerenciar os negócios de forma inteligente.

 

 

*  diretor executivo do Internal Control Institute – chapter Brasil, sócio da Crossover Consulting & Auditing

 

Acesse os outros sites da VideoPress

Portal Vida Moderna – www.vidamoderna.com.br

Radar Nacional – www.radarnacional.com.br

1
2
Previous articleServidores estão prestes a assumir uma função mais abrangente na arquitetura dos Data Centers, diz Gartner
Next articleServiço Airbnb abre as portas em Cuba, em abril