Quais os fatores limitantes para ingressar na nuvem? Qual o formato mais indicado, pública, privada ou híbrida? Como escolher o provedor ideal? Conheça o passo a passo completo para as empresas chegarem nas ‘nuvens’ e crescerem nos negócios com o suporte da tecnologia. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Pesquisas ao redor do mundo comprovam o crescimento de investimento em cloud computing e apresentam os desafios que algumas empresas ainda possuem para aderir a esta tecnologia.

Um levantamento focado em compradores de nuvem que foi divulgado em janeiro de 2017 pela RightScale, apontou que os desafios da nuvem diminuíram em geral. A falta de recursos e experiência, que era o desafio número 1 em 2016, diminuiu em 2017, com apenas 25% dos usuários citando isso como uma grande preocupação, queda significativa comparada com os 32% em 2016. As preocupações com a segurança caíram para 25% versos os 29 por cento no ano passado.

Dados da pesquisa 2016 Brazil Small & Medium Business: ICT & Cloud Services Tracker Overview, realizada pela AMI Partners a pedido da Intel Brasil, apontou que soluções de computação em nuvem e mobilidade devem crescer de 3 a 7 vezes mais rápidas do que as soluções tradicionais. Mas o relatório mostrou que o país ainda tem muito mercado para alcançar apenas 3% das PMEs nacionais foram plenamente transformadas pela nuvem, enquanto nos EUA esse número é de 14%.

“De fato, os serviços em nuvem estão em voga hoje porque são uma ótima resposta para as necessidades como agilidade e flexibilidade nos dados e informações”, explica Sylvia Bellio, especialista em infraestrutura de TI da IT Line Technology. A empresa, aposta na versatilidade e avanço da computação em nuvem e acaba de firmar um acordo de operações na área de nuvem com a Tline Chile e Tline México, para atender a demanda dos clientes do mercado Latino Americano.

Perguntas para fazer antes de escolher o servidor de nuvens
Se você quer eleger um servidor de nuvem não deixe de fazer perguntas importantes como: A nuvem pode melhorar minha estratégia de negócio? Qual nuvem melhor se adapta ao meu negócio e estratégia? Qual fornecedor da nuvem devo escolher para a minha estratégia?

A escolha do provedor de nuvem exige esforço e não é uma tarefa fácil. Hoje há uma grande variedade de alternativas, e que pode deixar o usuário mais confuso ao invés de facilitar sua escolha de plataforma, software, infraestrutura e armazenamento. “O mais importante para determinar seu tipo de fornecedor de nuvem é levantar suas próprias necessidades e verificar quem mais oferece suporte aos seus negócios, além de atender adequadamente prioridades, objetivos e expectativas, ou em outras palavras, responder a sua estratégia empresarial”, expõe a especialista.

 Como escolher o melhor tipo de Nuvem
A bem da verdade, para cada tipo de negócio há uma nuvem certa e o uso pode ser definido a partir de vários direcionamentos dos próprios usuários, por isso, é importante conhecer o conceito e os formatos existentes de nuvem.

Nuvem nada mais é do que o acesso a serviços de infra-estrutura de TI como hardwares, aplicativos de software e bancos de dados, oferecidos por empresas (provedores) na internet (a “nuvem”). As funcionalidades ficam disponíveis online, não precisam ser instaladas no dispositivo e podem ser acessadas de qualquer lugar.

NUVEM PÚBLICA é a mais comum utilizada pela maioria das empresas.Ela funciona bem num ambiente multiusuário. É ideal para o tráfego maior ou imprevisível. Desta forma, você pode acessar rapidamente aplicativos de computação, armazenamento, hospedagem e mais alternativas que possa precisar. O hardware está localizado fora do seu centro de dados e compartilhado com outros clientes, o que reduz custos.

Você paga apenas pelos recursos que precisar do servidor, já que muitos compartilham sua infraestrutura.  Com apenas um clique, você pode adicionar conexão de rede, armazenamento, ou banco de dados da maioria das redes públicas.

NUVEM PRIVADA é um ambiente particular de rede com servidores dedicados ou virtualizados para uma única empresa. A vantagem aqui é que você tem a agilidade, escalabilidade e eficiência da pública, mas com muito mais controle e segurança, pois o ambiente é dedicado a um único inquilino.

Há alternativa de se hospedar localmente no próprio centro de dados ou ainda no data center do provedor de serviços. Neste caso, o acesso à infraestrutura é sob demanda e autoatendimento. Há a vantagem também de se personalizar os componentes de acordo com as necessidades que você tenha. No entanto, ela é complexa, e exige conhecimento específico da plataforma. Logo, você precisa de suporte especializado para o projeto, proteção, monitoramento, correção e ainda a atualização.

NUVEM HÍBRIDA proporciona que certos serviços da sua empresa sejam direcionados para a nuvem pública e outros para a nuvem privada e possibilita o compartilhamento de informações entre elas.

No caso da escalabilidade, você tem a característica da nuvem pública que é a escalabilidade de pagamento por uso, portanto é ideal para tráfego intenso e na redução de custos. A segurança da nuvem privada é incorporada quando você precisa de controle absoluto de seus aplicativos e dados, como também maior segurança. Com servidores dedicados a você como inquilino único será possível ter melhor desempenho, segurança, confiabilidade e rapidez em máquinas sem sistema operacional.

Nunca se esqueça dos detalhes da segurança
No que tange o tema nuvem, nunca se deve deixar de considerar as questões de segurança. A violação de dados é uma das alegações mais comuns quando as empresas relutam em usar o serviço de nuvem. É primordial, portanto, uma análise completa das capacidades básicas de segurança do provedor, com base em defesas perimetrais, conformidade, configuração de rede, regras de senha, esquemas de autenticação e criptografia. Mas nada é garantido. A boa segurança é uma responsabilidade compartilhada. Procure evidências sobre a confiabilidade do provedor em questões de segurança. Nunca esqueça também a segurança física porque os centros de dados podem ser vítimas de ladrões no âmbito digital ou físico.

Analise a confiabilidade do provedor
A confiabilidade é um fator muito importante na hora de você escolher um provedor de nuvem. É preciso que ele seja ágil e verdadeiro. Você pode escolher um fornecedor mais rápido ou outro que tenha um serviço mais completo. Na avaliação da confiabilidade do serviço podem ser consideradas questões de interrupção, tempo, dias, estações ou tipo de trabalho. Faz parte dessa análise também se as redes de segurança garantem disponibilidade, energia de back-up, sistema de resfriamento e extinção de incêndio. Devem ser verificados os contratos de detalhe do nível de serviço e as informações sobre as interrupções. “Vale a pena conhecer a qualificação do pessoal do fornecedor, que será responsável pela sua conta como: experiência, certificações, treinamento, supervisão, entre outros”, orienta Bellio.

Nuvem não é só para reduzir custos
Quase sempre o retorno da computação em nuvem focaliza a economia de custos, reduzindo os investimentos em hardware, em operações e recursos humanos, e até em imóveis, energia e ar-condicionado. “É preciso cuidado com a economia nos números da força de trabalho, porque um provedor que apresente um serviço de nuvem com custo baixo pode obrigar você a aumentar o número de pessoas para alguns serviços, o que aumentaria os custos operacionais”, observa Sylvia.

Muitas vezes o impacto da nuvem numa inovação pode ser mais importante até que a redução de custos, com o direcionamento dos funcionários para outras tarefas importantes do dia-a-dia. Se você está pensando em maior agilidade por meio da nuvem é importante uma avaliação em detalhes dos serviços disponíveis do provedor e o respectivo aumento da flexibilidade da operação.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Confira dicas para aproveitar o melhor da Cloud Computing

 

Veja também
Computação na nuvem: Cloud híbrida e o rumo da tecnologia
Serviços de cloud do Google chegam ao Brasil, cobrados em reais
Plataforma proporciona armazenamento em nuvem no ensino a distância