Home CORPORATE CLOUD Conheça 5 tendências tecnológicas em nuvem para 2022

Conheça 5 tendências tecnológicas em nuvem para 2022

Especialista reforça a importância sobre o uso de tecnologias que devem ampliar a transformação digital nas empresas



Nos últimos anos, as empresas investiram fortemente em Transformação Digital e digitalização de seus processos, com o objetivo de ganhar mais autonomia e rapidez em seus processos. Segundo um levantamento do Gartner, a expectativa é que os investimentos corporativos de TI alcancem US$ 1,8 trilhão em 2025, impulsionados principalmente por Cloud Computing que representará mais de US$ 900 bilhões.

Um dos movimentos mais comuns visto pelo mercado de tecnologia tem sido o reforço do uso de recursos já estabelecidos, como a Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Big Data e tantos outros, em um ambiente em nuvem, o que aumenta muito as expectativas para os próximos anos.

De acordo com Maurício Fernandes, CEO da Dedalus, o mercado está aquecido e se apropriará ainda mais do que já foi conquistado em 2021. “Entender a importância da transformação digital dentro de uma empresa é primordial para que ela se mantenha num patamar competitivo. Independentemente de seu tamanho, as empresas que não se adequarem às tendências tecnológicas correm o risco de ficarem para trás”, diz o executivo.

De olho no mercado, veja abaixo algumas das principais tendências que devem fazer a diferença no ambiente de nuvem para 2022:

Arquiteturas multicloud
Envolve o uso de várias soluções de nuvem e vários fornecedores. A arquitetura multicloud pode ser uma mistura de nuvem pública e privada, ou pode ser composta apenas por soluções de nuvem pública.

As empresas que buscam jornadas de nuvem híbrida e multicloud tiveram maior probabilidade de gerar aumento na receita nos últimos 12 meses, concluiu a pesquisa realizada pela The Harris Poll e patrocinada pela Microsoft que aponta que 83% das empresas que operam em ambientes híbridos e multicloud relataram crescimento da receita, em comparação a apenas 58% de crescimento para os usuários que não utilizam ambientes híbridos ou multicloud.

IoT na gestão inteligente
A Internet das Coisas elevará ainda mais a penetração nos setores produtivos como agro e indústria, saúde e gestão das cidades. O ecossistema de sensores e dispositivos conectados à rede é essencial, por exemplo, para a expansão da automação das linhas de produção em larga escala.

O IoT combinado ao edge computing, machine learning, AI, 5G e softwares de gestão como o DCIM, colaboram de forma decisiva no monitoramento — frequentemente remoto – e manutenção de equipamentos, antecipando problemas e alertando quanto à necessidade de atualizações de máquinas e sistemas;

Plataforma Cloud-Native
As plataformas nativas de Cloud (Cloud-Native) fazem parte de uma tecnologia que também surge como tendência para este ano. O termo surgiu para atender técnicas exigidas por desenvolvedores de software para implementar e manter aplicativos modernos em sua própria estrutura de nuvem. Agora, essa ideia passa a ser disponibilizada a todas as empresas que desejam controlar seu próprio sistema de armazenamento de maneira segura.

Gestão virtualizada de infraestruturas de TI
Também é uma tendência. Ao ser terceirizado, o gerenciamento é profissionalizado e qualificado, reduzindo os custos fixos operacionais das empresas e entregando mais performance ao negócio. Outros setores econômicos, como imobiliário, de construção civil e de turismo também já utilizam ferramentas de virtualização para a promoção de seus produtos e serviços.

Demanda por infraestruturas híbridas
Este amplo panorama revela a imensa necessidade das companhias, cidades e países por infraestruturas de TI que combinem resiliência, disponibilidade e eficiência energética em níveis inéditos na história até aqui. E, até pela complexidade do momento, a solução não pode ser única. Não por acaso, 90% dos negócios adotarão esta estratégia até o final deste ano, segundo relatório da IDC.

Seja para melhorar a performance ou desenvolver novos produtos ou serviços, gerenciar corretamente todos estes novos devices e ferramentas tecnológicas, coletar, processar e analisar imensas cargas de dados, contar com infraestruturas de TI híbrida capazes de dar respostas a desafios tão diversos em complexidade, tamanho e tempo é, portanto, fundamental para preparar empresas e cidades a este futuro que se apressa em chegar.

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

Mitos e verdades sobre o refrigerador side by side da Samsung, com três portas
Previous articleVoo cancelado na pandemia gera indenização por dano moral
Next articleMineradoras apresentam planos para elevar patamar de diversidade e equidade