Novo modelo de moradia que estimula a convivência, o co-living, começa a desembarcar no Brasil em empreendimentos concretos. A novidade surgiu a partir da tendência internacional já instalada em países da Europa e também nos Estados Unidos. O conceito tem como principais interessados…[read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

…os jovens que estão estabelecidos no mercado de trabalho e até mesmo estudantes, pois possibilita um estilo de vida diferenciado e mais ligado à realidade desse público.

O projeto Kasa, da incorporadora Gamaro, por exemplo, será entregue em meados de julho em São Paulo, na Vila Olímpia. Serão 243 apartamentos com cerca de 30m2 prontos para locação e com áreas comuns pensadas para o compartilhamento, à exemplo do que já acontece hoje com os conhecidos co-workings.

Para esclarecer melhor o estilo, a diretora de propriedades da Gamaro, Cecília Rodrigues Maia, lista alguns dos benefícios:

Comodidade na mudança
Quando se pensa em mudar de casa já vem toda aquela preocupação com reformar o local e mobiliá-lo. Com isso se gasta tempo, dinheiro e podem aparecer diversos problemas nesse período. Quando se trata de projetos de co-living em sua essência, as unidades já vêm completamente estruturadas para que o novo morador apenas precise entrar com suas roupas e itens pessoais.

No Kasa, por exemplo, cama, armários, TV, sofá, uma pequena cozinha com geladeira, microondas, fogão de duas bocas, pia e mesinha para refeições estão dispostos no espaço que inclui banheiro e varanda. Ou seja, a mudança pode ser feita em poucas horas, facilitando a vida de quem precisa de uma solução rápida de moradia.

Escritório em casa
O mercado de trabalho oferece opções cada vez mais flexíveis de atuação. Hoje em dia existem pessoas que só trabalham de suas casas e há quem intercale dias na empresa e outros em home office. Às vezes, esse período exercendo a profissão distante do convívio de outros colegas pode gerar algum tipo de sensação de isolamento, o que pode prejudicar a criatividade, por exemplo. Outra questão comum é: como receber alguém para uma reunião de negócios dentro do apartamento com espaço reduzido?

“A solução deste tipo de empreendimento é o espaço de co-working. Nele, há uma infraestrutura completa com mesas, cadeiras, rede de internet, além de sala para reuniões que proporciona mais privacidade para conversas de negócios. Este ambiente pode ser utilizado por todos os moradores do co-living e pode receber terceiros para desenvolvimento de projetos em conjunto. É uma ótima oportunidade de interagir e fazer networking”, ressalta a diretora.

Networking e troca de experiências pessoais
Os espaços de compartilhamento em um projeto de co-living são excelentes oportunidades para que exista um intercâmbio de ideias entre os indivíduos presentes, pois estimula o convívio com pessoas de outras localidades, com outras culturas, vivências, profissões e interesses. Este momentos podem incentivar parcerias de trabalho, indicações de clientes, laços de amizade, descoberta de lugares para se visitar, estudar, viajar e uma infinidade de novas experiências que o contato com desconhecidos pode gerar aos envolvidos.

ste tipo de moradia tem chamado a atenção do público que prefere ter mais liberdade para mudar de vida quando quiser
Foto: Divulgação

Privacidade garantida
Diferente de outros modelos de moradia compartilhada, como as repúblicas, os apartamentos contam com um espaço reduzido que reúne quarto, sala e banheiro de forma integrada, mantendo o espaço pessoal totalmente privativo. “Dessa maneira, os moradores possuem maior autonomia para escolher os momentos que querem dividir com os vizinhos e os que preferem estar reclusos na sua própria casa, assim como quem recebe em sua unidade e como aproveitam juntos tudo o que o seu lar oferece”, diz Cecília.

ste tipo de moradia tem chamado a atenção do público que prefere ter mais liberdade para mudar de vida quando quiser
Foto: Divulgação

Aqueles que dão preferência pela sua individualidade podem se limitar ao uso de sua unidade e o contato mínimo com pessoas na entrada e na saída. Caso opte por utilizar os demais espaços, poderá desfrutar da proximidade com outras pessoas na lavanderia; salas de co-working; e no espaço de convivência, que é destinado para o público interno e seus convidados; além de áreas de lazer e bem estar, como academia, restaurante e lanchonete, que também podem ser aberto ao público externo dependendo do empreendimento.

Segurança
Como o período mínimo de aluguel é mensal, pode ocorrer mudança constante na vizinhança do empreendimento. “Por esse motivo, no Kasa houve o cuidado de implementar um esquema de segurança integral para proteção de todos os moradores. Essa estrutura é composta por controle de acesso das pessoas através de cartão e/ou biometria, portas eletrônicas de entrada e saída, além de segurança presencial 24h por dia”, conta a diretora.

ste tipo de moradia tem chamado a atenção do público que prefere ter mais liberdade para mudar de vida quando quiser
Foto: Divulgação

Esse deve ser um fator determinante no momento de optar por um empreendimento neste estilo, pois a maior parte do público que se interessa por esse estilo de moradia acaba se mudando para viver sozinho, então a segurança ao entrar e sair do prédio passa a ser um requisito.

Zero preocupações
A manutenção das áreas comuns e das unidades é de responsabilidade da administradora do condomínio, assim como todas as cobranças são acordadas em contrato com a mesma. Dessa forma, não há desentendimentos entre os vizinhos em função de assuntos administrativos, por exemplo.

Estilo de vida
As novas gerações trazem consigo um modo de viver mais nômade e o co-living atende de forma mais assertiva essas pessoas que gostam da ideia de poder se mudar conforme as novas oportunidades de vida, mas, ao mesmo tempo, valorizam a privacidade e o conforto do lar. Logo, adquirir um bem está fora dos planos desse público, mas eles também não desejam ficar mudando a todo instante. Ou seja, não é um endereço permanente, mas também não é algo provisório.

Também é viável para os que precisam de um local para uma temporada curta em outra cidade ou região por encontrar nesse tipo de moradia um valor mais atraente do que um hotel, que dependendo da região pode chegar ao dobro do investimento, além de todas as facilidades inclusas.

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

 

Veja também
4 dicas para alcançar o bem-estar financeiro
Conheça os 10 bairros de São Paulo mais caros para venda e aluguel de imóveis em julho
Apartamentos compactos são nova tendência e atraem novos clientes