O chocolate é um alimento tóxico para cães e gatos e em tempos de Páscoa é preciso reforçar esse alerta, já que nesse período é comum as pessoas aumentarem o consumo da guloseima. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

O que muita gente não sabe é que o chocolate é altamente tóxico para os cães, podendo inclusive matá-los. Nessa época do ano, a presença de um chocolate esquecido sobre a mesa ou mesmo alguns pedaços oferecidos ingenuamente aos cães podem causar intoxicação.

Fiquem atentos, não deixem chocolates em locais de fácil acesso, pois os pets podem ser atraídos pelo aroma, e orientem as crianças a não compartilharem o ovo de páscoa com os animais.

É muito importante também que os tutores e familiares resistam aquele “olhar meigo de súplica” dos pets e não deem a eles nem um pedacinho sequer.

Como ocorre
O fígado dos cães e gatos não metaboliza uma substância presente no chocolate, chamada teobromina, que está relacionada à quantidade de cacau. Quanto mais cacau, mais teobromina o produto contém e consequentemente mais tóxico ele é aos animais.

“Isso significa que os chocolates mais escuros e amargos, que contém maior percentual de cacau, são os mais tóxicos para os animais, ao mesmo tempo que chocolate branco também é um risco, porém menor”, explica o médico veterinário Flavio Silva.

Quais são os efeitos colaterais?
Como a teobromina não é metabolizada pelo organismo do animal, ela pode causar aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia. A gravidade do quadro varia de acordo com a quantidade ingerida e, apesar de raros, alguns casos podem ser letais.

Outra particularidade da teobromina é a sua meia vida, ou seja, o tempo que fica agindo no sangue do animal.  Ela pode ficar no organismo do cão por até 6 dias.

Quais os riscos para a saúde do animal?
Apesar dos casos letais serem raros, existe alta incidência de indisposições gastrointestinais, especialmente em animais pequenos e jovens, devido à quantidade de toxina em relação ao peso do pet.  Além do risco de intoxicação e do mal-estar, o chocolate pode acarretar em outros males ao organismo do animal, como a obesidade e suas complicações.

Prevenir é o melhor caminho
Prevenir é a palavra de ordem, então é importante ficar atento e não deixar ovos e bombons em locais acessíveis a cães e gatos. Eles podem se sentir atraídos pelo cheiro, pela embalagem e “roubar” sem que os donos percebam. Além disso, é fundamental orientar as crianças para que não dividam o ovo de páscoa com o animal de estimação.

Importante: Em caso de ingestão acidental do chocolate, o animal deve ser avaliado por um médico veterinário.

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

 

Veja também
Atenção com esses 5 cuidados para um verão mais saudável
Concurso global premia projetos de moda sustentável
Sou Rio Sustentável promove retirada de pichações das pedras do Arpoador