A F5 e a Volterra anunciaram um acordo definitivo sob o qual a F5 adquirirá todas as ações emitidas e a emitir da empresa privada Volterra por aproximadamente US$ 440 milhões em dinheiro e aproximadamente US$ 60 milhões em remuneração diferida e compensação por incentivos não concedidos presumidos, para fundadores e funcionários.

Com a adição da plataforma tecnológica da Volterra, a F5 está criando uma plataforma edge construída para empresas e provedores de serviços, que terá prioridade para a segurança e será app-driven com escala ilimitada.

“As atuais soluções edge são simplesmente inadequadas para os atuais clientes empresariais. É tempo de nos libertarmos de sistemas edge fechados que só perpetuam a dor de desenvolver, executar e dar segurança a apps”, disse François Locoh-Donou, Presidente e CEO da F5.

“Com a Volterra, nós fazemos progredir nossa visão de Aplicações Adaptativas com uma plataforma Edge 2.0 que resolve a complexa realidade multinuvem confrontada pelos clientes empresariais. Nossa plataforma criará uma solução SaaS que resolve os problemas mais críticos dos nossos clientes. O sucesso da transformação de software da F5 nos colocou em uma posição de entregar no potencial do Edge 2.0 e redefinir a nossa posição competitiva”.

“Estou empolgado por trabalhar em contato direto com François e a equipe da F5 para ajudá-los a ser pioneiros na evolução do edge para entregar experiências de aplicações mais adaptativas e dinâmicas para todos os nossos clientes”, disse Ankur Singla, Fundador e CEO da Volterra. “Com a nossa plataforma, estenderemos ao edge a liderança da F5 em segurança de aplicações, expandindo assim nossa penetração combinada no segmento de mais rápido crescimento do mercado total atingível da F5, de USD 28 bilhões em 2023.”

A Volterra permite uma nova plataforma Edge 2.0 open edge, que transformará a posição de liderança da F5 em segurança e distribuição de aplicações empresariais, atacando os desafios inerentes com soluções edge de primeira geração. A plataforma Edge 2.0 da F5 terá as seguintes características:

– Prioridade para a segurança: Entregando segurança líder da indústria em vez de segurança commodity acrescentada a uma CDN ou nuvem.

– App-driven: Fornecendo entrega de apps universal, “desenvolva uma vez, implemente globalmente”. Este edge definido por software, baseado em containers padrão da indústria e APIs, elimina a complexidade da multinuvem.

– Ilimitada em escala: O Edge 2.0 liberta os apps da “prisão da CDN” das plataformas edge fechadas, executando todos os serviços em qualquer servidor, em todas as nuvens e data centers.

As diretorias da F5 e da Volterra aprovaram a transação, que está sujeita a aprovações regulatórias e outras condições habituais de concretização do negócio. Espera-se que a transação se concretize no primeiro trimestre do ano-calendário 2021.

Na concretização da transação, Ankur Singla e a equipe de liderança da Volterra ocuparão cargos elevados na F5. A Volterra permanecerá em sua atual sede em Santa Clara.

Resultados preliminares do primeiro trimestre do ano fiscal 2021
A F5 liberou também uma previsão dos resultados financeiros do seu primeiro trimestre do ano fiscal 2021. Com base nas informações disponíveis no momento, a empresa estima os resultados abaixo para o trimestre encerrado em 31 de dezembro de 2020.

– Receita GAAP e não-GAAP entre USD 623 e USD 626 milhões, representando um crescimento de aproximadamente 10% em relação ao período do ano anterior

– Crescimento da receita GAAP e não-GAAP referente a software de aproximadamente 68% e 70%, respectivamente

– Crescimento da receita de sistemas de aproximadamente 5%

– Crescimento da receita GAAP e não-GAAP referente a produtos entre aproximadamente 22% e 23%

– Crescimento da receita serviços globais pouco acima de zero

– EPS não-GAAP acima do topo de sua orientação anterior de USD 2.26 a USD 2.381

“Estamos em vias de apresentar o nosso melhor resultado trimestral desde que embarcamos em nossa transformação, com um crescimento das receitas de aproximadamente 10% impulsionado por uma forte demanda contínua de software, juntamente com resiliência em nosso negócio de sistemas”, acrescentou Locoh-Donou.

F5 adquirirá a Volterra por US$ 440 milhões

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA