A maneira como as empresas trabalham está em constante transformação. Desde a chegada dos Millennials ao mercado de trabalho, os empreendedores estão focando em colaboração e comunicação, pensando na mobilidade e buscando o máximo de produtividade, mesmo para quem trabalha remotamente. Para entender o que estas mudanças significaram para…[read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

…a força de trabalho, a Plantronics, tradicional fabricante de produtos de áudio, encomendou à Factworks uma pesquisa com mais de 4 mil participantes de Estados Unidos, Alemanha, França, Suécia, Índia, China, México e Brasil.

Neste novo cenário, foram removidas as baias que dividiam o espaço pelo número de funcionários, de modo que cada um tinha sua própria estação de trabalho. Estas divisórias deram espaço a um conceito aberto, conhecido como Smarter Working, que trouxe enormes estações de trabalho, que deixam os funcionários à vontade para se sentarem onde se sentirem mais confortáveis.

Diante disso, seria natural concluir que nem todos são amigáveis a este novo modelo e que a nova concepção de trabalho pode causar diversos inconvenientes dentro de uma empresa que tenha uma equipe heterogênea no que tange às gerações. Entretanto, a pesquisa aponta que há de 1% a 2% de diferenças entre a demografia da força de trabalho e psicográficos.

Perfil de cada profissional
Os resultados da pesquisa apontaram uma clara segmentação de cinco personas, que compõem 82% do ambiente de uma empresa típica. “Os outros 18% correspondem a um perfil adicional que não foi coberto na pesquisa. Trata-se de um perfil que nós chamamos de “O profissional individual convencional”. É alguém que tem muito pouca comunicação como parte de seu estilo ou escopo de trabalho, não é altamente colaborativo, tem um foco muito preciso na tarefa e trabalha de maneira bastante individualizada. Como realmente não tínhamos muitos pontos problemáticos de comunicação para resolver nesse caso, não fazia sentido ter uma persona dedicada a esse grupo”, comenta Vera Thomaz, Senior Territory Manager da Plantronics do Brasil.

Pesquisa mostra as transformações no ambiente de trabalho e seu impacto para os colaboradores

Importante entender que há alguns estilos de trabalho que ficam mais no ambiente de trabalho que os demais. O Comunicador do escritório e o Colaborador do escritório ficam 100% do tempo no escritório e isso compõe cerca de 33% da empresa que está em colaboração:

  • Comunicador do escritório
    É alguém que se comunica bastante interna e externamente e tem pontos problemáticos bem específicos. Perfil corresponde a 12% dos entrevistados;
  • Colaborador do escritório
    É alguém que tem um estilo de trabalho um pouco mais variado em relação a como faz o trabalho em vários dispositivos. Perfil corresponde a 21% dos entrevistados;
  • Profissional flexível
    Tem o desafio de trabalhar em vários locais diferentes. Geralmente é alguém que frequentemente trabalha de casa. Perfil corresponde a 23% dos entrevistados;
  • Profissional “da estrada”
    É altamente móvel. É uma porcentagem pequena da empresa, mas eles têm pontos problemáticos muito específicos relacionados a sempre estarem em movimento. Perfil corresponde a 8% dos entrevistados;
  • Executivo conectado
    Este é realmente o executivo do futuro, muito promissor. Ele é muito multimodal, viaja bastante, tem muitos pontos problemáticos relacionados a transições entre locais e seu trabalho é muito valorizado pela organização e, portanto, as empresas se preocupam com a retenção e em estimular a produtividade deste executivo. Perfil corresponde a 18% dos entrevistados;

Dispositivos e ambientes de comunicação
A pesquisa aponta que os colaboradores utilizam em média sete dispositivos de comunicação no trabalho entre smartphones, tablets, headsets, telefones de mesa, PC, etc.

Pesquisa mostra as transformações no ambiente de trabalho e seu impacto para os colaboradores

  • O comunicador do escritório passa a maior parte do dia se comunicando e depende bastante de e-mail, correio de voz, chamadas inesperadas e agendadas. Tende a preferir modos de comunicação mais tradicionais e tem dificuldade para adotar novas tecnologias. Em média, utilizam 5,9 dispositivos no trabalho, sendo 80% da frequência de uso com um telefone de mesa, 10% com PC e 10% com smartphone. Apenas 31% destes profissionais afirmaram usar fones de ouvido para chamadas no trabalho. Seu ambiente de comunicação é 100% em uma mesa individual no escritório;
  • O colaborador do escritório tem muita familiaridade com tecnologia e é fã de aplicativos de colaboração que o ajudem a ser mais produtivo. Na maior parte do tempo, ele trabalha na sua mesa, mas alterna entre dispositivos conforme o necessário para gerenciar a comunicação. Ele geralmente usa música para isolar o ruído ambiente dos colegas de escritório. Em média, este perfil utiliza 7,3 dispositivos no trabalho, dividindo o tempo em 66% com um telefone de mesa, 18% com um smartphone e 16% com PC. 35% alegam usar fones de ouvido para chamadas de trabalho. Seu ambiente de comunicação é 100% em uma mesa individual no escritório;
  • O profissional flexível se preocupa muito com estilo e percebe que seu uso de tecnologia revela sua inteligência, cultura, modernidade e elegância. Usa todos os canais de comunicação e é uma entusiasta de mídias sociais. Em média, este perfil utiliza 8 dispositivos no trabalho, dividindo o tempo de uso em 54% por telefone de mesa, 30% pelo smartphone e 16% pelo PC. 43% destes profissionais utilizam fones de ouvido para chamadas de trabalho. Seus ambientes de comunicação são 58% em uma mesa individual no escritório e 26% viajando ou em trânsito;
  • O profissional da estrada está sempre conectado e nunca fica off-line. Seu cargo exige que ele se comunique com interessados internos e clientes por meio de chamadas agendadas e reuniões de negócios. Seu smartphone e seu computador são suas ferramentas de trabalho mais críticas. Gosta de se comunicar por bate-papo e vídeo, mas, quando está em trânsito, precisa ficar conectado e sempre parecer profissional. Em média, este perfil utiliza 8,1 dispositivos no trabalho, dividindo o tempo de uso em 49% com telefone de mesa, 34% com smartphone e 20% com PC. 49% utilizam fones de ouvido para chamadas de trabalho. Seus ambientes de comunicação são 48% em uma mesa individual no escritório, 17% em outros locais do escritório e 33% viajando ou em trânsito;
  • O Executivo conectado tem muita experiência com tecnologia, uma mente criativa e é respeitado por colegas e executivos. Comunica-se o tempo todo e em qualquer condição, e valoriza a capacidade de transicionar com desenvoltura de uma tarefa para a outra. Em média, este perfil utiliza 9,2 dispositivos no trabalho, dividindo o tempo de uso em 49% com telefones de mesa, 30% com smartphones e 21% com PC. 53% utilizam fones de ouvido para chamadas de trabalho. Seus ambientes de comunicação são 48% em uma mesa individual no escritório, 28% em outros locais do escritório e 15% viajando ou em trânsito;

Queixas dos profissionais
As principais queixas dos colaboradores são sobre distrações frequentes no ambiente de trabalho. “O que é nativo para um grupo de pessoas pode ser inadequado para outras. Este conceito aberto, traz uma dificuldade de concentração, uma vez que todos podem interagir com todos”, afirma Vera Thomaz.

Pesquisa mostra as transformações no ambiente de trabalho e seu impacto para os colaboradores

  • Sobre pontos problemáticos de comunicação para o comunicador do escritório, 52% alegaram que são afetados por ruídos no ambiente. Destes, 28% consideraram que os ruídos causam muitas distrações no trabalho, 22% afirmam que levam muito tempo para conseguir as informações por conta dos ruídos e 22% afirmam não ter privacidade suficiente;
  • 68% dos Colaboradores do escritório são afetados por ruídos no ambiente. Destes, 27% alegam que são muito distraídos pelos mesmos, 23% dizem que levam muito tempo para conseguir as informações e 22% afirmam não ter privacidade suficiente;
  • 59% dos profissionais flexíveis são afetados por ruídos no ambiente. Destes, 23% consideraram que os ruídos causam muitas distrações no trabalho, 18% afirmam que os principais parceiros de comunicação estão em locais diferente, e 14% alegaram que perdem informações importantes enquanto estão trabalhando remotamente;
  • 51% dos profissional da estrada são afetados por ruídos no ambiente. 27% consideraram que os ruídos causam muitas distrações no trabalho, 22% disseram que levam muito tempo para conseguir as informações e 26% ressaltaram a dificuldade para acessar remotamente arquivos da empresa;
  • 69% dos executivos conectados são afetados por ruídos no ambiente. 25% afirmam que os ruídos causam muitas distrações no trabalho, 24% alegam levar muito tempo para conseguir as informações e 20% dizem que os e-mails causam falhas de comunicação;

Conclusões
O espaço de trabalho flexível estimula a comunicação, a colaboração, a criatividade e o compartilhamento de ideias. A ideia de todos terem seu próprio escritório particular está começando a ser cada vez menos popular. Muitos desses escritórios particulares estão sendo convertidos em salas improvisadas, em que até cinco pessoas podem ter uma conversa rápida e não programada sobre algo.

“Os ambientes de escritório aberto em que as pessoas trabalham juntas e colaboram em tempo real são realmente a grande tendência. Vemos muitos espaços ou salas de reunião em que a tecnologia pode facilitar o uso de vídeo e permitir a incorporação de pessoas em chamadas remotas. Para garantir a colaboração no nível máximo, é importante encontrar os dispositivos certos para cada estilo de trabalhador. Só desta forma será possível garantir o foco ideal e a melhor experiência de colaboração entre os funcionários”, conclui Thomaz.

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Pesquisa mostra as transformações no ambiente de trabalho e seu impacto para os colaboradores

Veja também
Kit de sobrevivência para quem viaja muito a trabalho
Pesquisa mostra que 75% dos brasileiros ainda não têm flexibilidade no trabalho
Os novos escritórios: modernos e barulhentos… e agora?