Uma das coisas que a Covid-19 mostrou para o varejo em geral, independentemente do porte, é a importância de ter um e-commerce e chegar até o cliente de forma online. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Segundo dados recentes divulgados pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), algumas lojas virtuais já registraram alta de mais de 180% em transações nas categorias de alimentos e saúde. Para outros segmentos, calcula-se crescimento médio de 30%.

Com a situação que o mundo passa, a Organização Mundial da Saúde mantém o alerta para que todos permaneçam em casa, ainda por tempo indeterminado. Por isso, principalmente para você que ainda não está presente na internet, o especialista Ed Carlos Amancio, gerente de e-commerce da consultoria de inovação digital Go.K, dá algumas dicas para que o seu negócio não sofra tanto e possa continuar vendendo nesse período.

Acompanhe:

Utilize plataformas prontas
Plataformas de vendas como o Mercado Livre podem ser uma boa alternativa para comercializar qualquer tipo de produto. É possível criar uma conta grátis, usar os meios de pagamento já inclusos e o serviço de logística dos Correios, tudo de forma integrada.

O maior trabalho neste caso será cadastrar os produtos. Aqui é indicado focar naqueles com mais estoque ou maior valor. O importante é aproveitar as milhares visitas diárias que o portal recebe.

Crie formas de divulgação digital
Vídeos no YouTube, posts no Instagram e Facebook são meios que ajudam a chegar mais rápido até o público. Atendimento via WhatsApp é uma ótima alternativa, ainda mais para aqueles que mantém um contato mais próximo com o cliente.

Alguns mercados de bairro estão usando esta estratégia, divulgando um número exclusivo para esse atendimento e fazendo entregas no entorno do bairro. Já o Facebook possui mais de 100 milhões de contas ativas e mantém uma área exclusiva de Marketplace, além ferramentas de anúncio para seus usuários.

Facilite as formas de pagamentos
Esse item pode ser crucial para o cliente comprar ou não. Ainda mais numa época em que as pessoas estão evitando inclusive bancos e ficando com

menos dinheiro vivo na carteira. Uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e Serviço de Proteção ao Crédito mostra que 69% dos brasileiros parcelam as compras no cartão de crédito. Com isso, o importante é dar várias opções de pagamento online, como Paypal, MercadoPago, PagSeguro, entre outros, além de fechar convênios fáceis e rápidos com parceiros.

Ofereça maneiras alternativas de entrega
Considerada um dos pilares do comércio online, já que todos esperam receber suas compras em perfeito estado e dentro do prazo estipulado, são várias as formas disponíveis atualmente. Como Correios e transportadoras estão mantendo seus serviços em funcionamento durante a pandemia, são duas opções bastante utilizadas.

Outras opções são a entrega por motoboy, que agiliza o processo, utilizar veículo próprio ou bicicleta, dependendo da distância, o que pode gerar uma boa economia ao final do dia. E, para aqueles que conseguem, oferecer o frete grátis nessa situação pode incentivar ainda mais as vendas.

Para quem quer usar esse período e preparar seu e-commerce
Para se preparar para vender profissionalmente na internet, o ideal é iniciar a implantação de uma página exclusiva na internet para vendas online. Essa implantação costuma demandar um prazo médio de 3 a 6 meses, o que pode ser uma oportunidade para os comerciantes iniciarem todo o planejamento e a implantação de seus e-commerces sem correria.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Quarentena: 4 dicas para iniciar vendas online rapidamente

 

Veja também
Atenção com esses 5 cuidados para um verão mais saudável
Concurso global premia projetos de moda sustentável
Sou Rio Sustentável promove retirada de pichações das pedras do Arpoador