De acordo com pesquisa realizada pela Ebit, cerca de 2 milhões de consumidores fizeram pelo menos uma compra durante a Black Friday na edição de 2016. Por ser um período em que muitas pessoas estão em busca de bons descontos e oportunidades, uma das datas mais importantes do e-commerce torna-se também a mais propícia para as fraudes pela internet. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Para Bruno de Oliveira, especialista em e-commerce, o período é cada vez mais importante para o varejo nacional e, com a demanda maior nessa época, é comum que os consumidores desconfiem se as compras que estão fazendo são 100% seguras. “O importante para realizar suas compras sem frustração nessa data é estar sempre atento aos detalhes, além de procurar se informar ao máximo sobre a loja virtual em que fará a compra”, diz.

Por isso, listamos estas dicas para aproveitar as promoções e fazer compras seguras:

1. Informações obrigatórias por lei
Ao entrar em uma loja virtual, procure por informações padrão, que são obrigatórias pela lei do e-commerce: identificação completa do fornecedor; endereço físico e eletrônico; informações claras e precisas sobre os produtos.

Segundo essa lei, todas as lojas virtuais devem fornecer com clareza dados como: telefone, endereço físico, CNPJ ou CPF e e-mail ou formulário para contato. “Esse é o primeiro passo ao analisar uma loja virtual, pois são informações obrigatórios por lei, por isso, a falta delas indica que algo pode estar errado”, aconselha o especialista.

2. Proteção de dados
Qualquer informação digitada – como número do RG, CPF ou dados bancários- pode ser roubada enquanto navega-se pela internet. Em sites que é necessário o preenchimento dessas informações, a garantia que você terá para que isso não aconteça está presente no cadeado verde que aparece na barra de endereços. “Esse é um detalhe importante, ao qual o consumidor deve se atentar, pela sua própria segurança”, explica Bruno.

3. Certificados de segurança
Alguns certificados de segurança podem não ser 100% confiáveis, uma vez que muitos desses selos podem ser copiados de outras páginas e colocados sem autorização de uso. Para certificar-se de que o selo é verdadeiro, clique sobre ele e aguarde ser redirecionado para a página original da empresa que disponibiliza o certificado. “Outra importante é: ao realizar compras em um e-commerce que você já possui cadastro, faça seu primeiro login utilizando dados falsos. Apenas um e-commerce falso aceitará dados incorretos”, esclarece o especialista.

4. Reputação da Loja
Pesquise sobre o que outras pessoas estão falando sobre a loja em questão, seja em blogs, redes sociais ou sites especializados, como o Reclame Aqui. “É possível encontrar referências em relação à edição do ano anterior sobre as empresas que mais obtiveram reclamações nesse período, dessa forma evitando transtornos”, ensina Bruno.

É aconselhável também pesquisar se o site consta na lista do Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) de páginas identificadas como perigosas.

5. Atenção aos preços e prazos
Devido ao volume de vendas durante esse período ser maior que o habitual, é possível que as empresas estendam o prazo de entrega para dar conta de todos os pedidos. “É preciso ficar de olho nesses detalhes, e estar atento às condições da compra para saber se ela está de acordo com sua necessidade”, alerta.

Algumas empresas alteram os valores de suas ofertas na véspera para, quando chegar o “grande dia”, concederem falsos descontos. “Esse é um tipo de fraude que normalmente só será notada por quem já está familiarizado com os valores dos itens de interesse. Por isso, invista mais tempo para pesquisar e, se já souber o que deseja comprar, faça buscas constantes antes da Black Friday. Assim você saberá se o valor pedido realmente vale a pena”, orienta Oliveira.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA