O transporte público na maior capital do país melhorou no último ano aos olhos do paulistano. A pesquisa IRBEM (Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município), que traz indicadores quanto à qualidade de vida dos moradores da metrópole, revelou que para 37% dos respondentes, o transporte público, a mobilidade e outros serviços essenciais como saúde, educação, meio ambiente e trabalho tiveram um salto positivo no último ano.

Coordenada pela Rede Nossa São Paulo, a pesquisa ouviu 1.512 paulistanos. Mesmo representando no quadro geral uma das áreas de maior insatisfação, os participantes responderam que reconhecem as melhorias na quantidade de ciclovias na cidade e a redução no tempo de espera por ônibus, usados por 68% dos respondentes.

Nos segmentos de trânsito e transportes, houve aumento no nível de satisfação na quantidade de ciclovias, soluções para diminuir o trânsito, tempo de deslocamento, respeito ao pedestre, qualidade das calçadas, segurança no trânsito, pontualidade do ônibus e o tempo de espera pelos veículos nos pontos.

Prêmio internacional
Iniciativas de promoção ao transporte sustentável garantiram reconhecimento internacional às capitais Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP). O prêmio Transporte Sustentável foi concedido às cidades pelo instituto americano de Políticas de Transporte e Desenvolvimento.

As ciclovias foram a grande estrela que garantiu a premiação à capital paulista. As vias exclusivas para bicicletas devem atingir 400 quilômetros em 2015. Outro fator considerado pelo ITDP foi a instalação de 320 quilômetros de faixas de ônibus, que ampliou em 21% a velocidade dos ônibus em um dos centros mais congestionados do mundo.

Instituído há dez anos, o Prêmio Transporte Sustentável é concedido aos municípios responsáveis por boas práticas sustentáveis de transportes. As ações devem ser verificáveis, ou seja, que comprovadamente tenham melhorado a qualidade do transporte público para os moradores, além da segurança e as condições de circulação de pedestres e ciclistas, bem como a redução da emissão de poluentes.

O prêmio já reconheceu bons projetos em cidades como Buenos Aires (Argentina); Cidade do México (México); Medelim (Colômbia); São Francisco (EUA); Guangzhou (China); Ahmedabad (Índia); Nova Iorque (EUA); Londres (Reino Unido); Paris (França); Guaiaquil (Equador); Seul (Coréia do Sul); e Bogotá (Colômbia).