Puxe pela memória, quantas dietas “infalíveis” para perder peso você já fez? Se respondeu duas ou mais, vamos seguir refletindo: os resultados foram satisfatórios e duradouros? Você se sentiu bem, de verdade, durante e depois do processo?

Segundo a nutricionista Lara Taranto, não é preciso ser vidente para apostar que, entre a turma da dieta, a resposta para as outras perguntas foi “não”. Pelo simples fato de que dietas radicais simplesmente não funcionam. Se funcionassem, não precisariam ser repetidas, bastariam algumas semanas de privação daqueles alimentos “vilões” e o resultado ficaria em nosso corpo para sempre.

Mas não é o que acontece.

O próprio fato de haver tanta procura por dietas milagrosas, do tipo “perca tantos quilos em 5 dias”, já nos permite refletir sobre muitos padrões impostos que costumam desconsiderar nossa individualidade e até mesmo nossa saúde.

O corpo precisa de todos os nutrientes em quantidades equilibradas e adequadas às nossas necessidades, que variam com a atividade que desempenhamos, com a idade, a genética e uma série de outros fatores. Quando nutrimos nosso corpo de acordo com nossas particularidades, estamos no caminho certo para o bem-estar.

Dietas padronizadas nos afastam de conceitos básicos de uma alimentação equilibrada e realmente saudável: autoconhecimento, consciência e autonomia.

Autoconhecimento tem a ver com aprendermos a nos reconectar com as sensações. Ele é fundamental para reconhecermos sinais de fome e saciedade e identificarmos os momentos em que comemos por ansiedade ou tristeza, por exemplo.

A consciência é o que nos permite estabelecer uma relação mais ampla com os alimentos, muito além das calorias: conhecer sua origem, suas possibilidades de preparo, os efeitos que causam em nosso corpo. Isso nos dá autonomia para escolher o que faz sentido para nós, sem imposições!

Quando passamos a comer para nutrir nossas reais necessidades, corpo e alma respondem positivamente, pode acreditar! A partir daí, dietas malucas nem passam pela nossa cabeça, e não fazem a menor falta.

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA