Em todo o país, a temperatura vem batendo recordes. Mas, engana-se quem pensa que apenas os humanos se incomodam com o calorão, os pets também sofrem com as mudanças climáticas. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Por isso, os tutores devem ficar atentos ao comportamento do animal, especialmente nos dia mais quentes para identificar qualquer mudança. A Médica veterinária Priscila Brabec listou seis dicas para assegurar o bem-estar dos pets durante o verão:

1-  Horário do passeio: O ideal é que os passeios sejam realizados antes das 10h ou após às 18h, períodos com temperaturas mais amenas. Vale lembrar que o animal deve se manter hidratado durante todo o percurso.

Outro ponto atenção é o asfalto, pois se estiver muito quente, pode causar lesões na pata do pet. O ideal é verificar com a mão a temperatura, se gerar qualquer sensibilidade, o animal terá a mesma sensação.

2 – Protetor solar: Os cães também estão sujeito a queimaduras solares, especialmente os de cores claras. Por isso, eles devem utilizar protetor solar de uso veterinário, especialmente na área em volta dos olhos, acima do nariz e  orelhas.

3 – Alimentação e água: É comum, que nos dias mais quentes, os pets comerem menos, mas é preciso estar atento para que o animal não reduza demais a ingestão calórica. Para estimular o cão ofereça a refeição sempre em um local fresco, de preferência ao abrigo do sol.

A hidratação também é fundamental, certifique-se que a acesso ilimitado a água, o item também pode ser oferecido gelado ao pet.

4 – Brinquedos refrescantes: Alguns cães ficam mais preguiçosos durante o verão, mas é importante estimulá-los para que se mantenham ativos. Uma dica é colocar bolinhas ou outros brinquedos de plástico por alguns minutos no congelador, dessa forma o animal poderá brincar e se refrescar ao mesmo tempo.

Outra dica é colocar um alimento úmido em forminhas de gelo, deixar no congelador e depois de congelado oferecer ao cão assim, ele terá um refrescante petisco para passar o tempo.

5 – Cuidado com a temperatura do pet: Os cães não transpiram como os humanos, por isso o calor intenso pode dar início a um quadro de hipertermia, caracterizado pelo aumento excessivo da temperatura corporal do cão. Essa é uma situação de risco, que pode levar o animal ao óbito.

Por isso, nunca deixe o cão sozinho em um espaço fechado e sem ventilação, como por exemplo no carro. O tutor deve buscar ajuda imediata se notar sinais como, ofegar e salivar em excesso ou ficar prostrado.

6 – Viagens de carro: Nesta época as viagens são comuns, e muitos cães apresentam desconforto durante longos períodos no carro, como tremores e vômitos. Ações simples como manter o ambiente ventilado e fazer pausas durante o trajeto ajudam a minimizar esses incômodos.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

Veja também
Como sua casa pode interferir na sua rede de internet
Combate ao Bullying: o papel da cibersegurança na proteção dos estudantes
Andamos nos carros elétricos e híbridos da Nissan em Interlagos. Veja agora.