Quatro dicas para férias com cibersegurança

As férias são momentos de diversão e, muitas vezes, de viagens para curtir a família e os amigos. Se você vai ficar no Brasil ou passear pelo mundo, é muito provável que você vai levar um notebook (se você for uma daquelas pessoas que não consegue ficar longe do trabalho), ou ao menos o seu smartphone. Talvez você queira verificar e-mails no seu telefone usando a rede Wi-Fi pública do hotel, ou mesmo as crianças queiram brincar com um jogo online no seu notebook.

Porém, se você não tiver feito uma boa “higiene” de cibersegurança, você pode estar aberto a todos os tipos de problemas ligados à conectividade com entretenimento, e não apenas você, mas outras pessoas também.

Aqui está a dura realidade: se você não garantiu a proteção dos seus dispositivos conectados, você poderá cooperar com um problema de cibersegurança. As ameaças de malware como o vírus WannaCry ou o recente Petya se espalham rapidamente porque operam usando uma vulnerabilidade de software que os cibercriminosos sabem que a maioria das organizações e dos indivíduos não se importaram e deixaram de corrigir.

Pense nos ciberataques como se fossem vírus ou bactérias. Antes que as pessoas soubessem a causa das doenças, a higiene pessoal era muito diferente. Os cirurgiões não lavavam as mãos antes de operar; nem os cozinheiros antes de preparar uma refeição. As doenças se espalhavam rapidamente entre as pessoas. Quando a ciência médica começou a entender o papel dos organismos microscópicos nas doenças e como a higiene básica poderia impedir sua disseminação, as pessoas começaram a lavar as mãos regularmente. A doença deixou de se espalhar tão facilmente. Resumindo, os ciberataques são possíveis porque as pessoas não estão adotando uma boa higiene tecnológica.

Uma palavrinha sobre o celular: a ameaça tipo malware é mais frequente em desktops e notebooks, mas os cibercriminosos não se esqueceram do celular – e você também não deveria. Os consumidores estão acostumados a pensar em cibersegurança para proteger seus computadores, mas tendem a se esquecer que possuem um poderoso computador em suas mãos. Os smartphones também apresentam vulnerabilidades de segurança; então não deixe de praticar as recomendações abaixo.

Abaixo, temos quatro elementos de cibersegurança sobre os quais você pode assumir o controle para aumentar consideravelmente a probabilidade de manter seus dados e dispositivos seguros.

1. Pratique boa higiene na rede Wi-Fi
A rede Wi-Fi pública está cheia de perigos. Suas comunicações online podem ser interceptadas de várias maneiras. Um dos ataques é o man-in-the-middle (homem intermediário). Nesse cenário, alguém em local público, por exemplo, uma lanchonete, nomeia seu dispositivo como “WiFi Lanchonete X”. Quando você se conecta a ele, ele conecta seu dispositivo à internet e depois captura todo o tráfego entre você e os sites que você visita, por exemplo, uma compra online. Então ele tem seus detalhes de pagamento, endereço, informações de login, etc.

Para evitar a intercepção de seus dados confidenciais, use sempre um provedor de rede privada virtual (VPN) seguro e confiável em qualquer rede de Wi-Fi aberta. Se você se conecta em locais públicos com frequência, existem vários serviços de baixo custo ou gratuitos que garantem conexão sempre protegida.

Outra prática recomendada é garantir conexão segura ou criptografada sempre que estiver online em um local público ou quando estiver fazendo uma transação financeira ou privada. Veja a barra de endereço no seu navegador e verifique se o endereço começa com https://, e não http://, o que significa que as transações estão protegidas usando criptografia SSL. É importante ativar a criptografia SSL, mas ela só funciona em comunicações seguras em trânsito.

Outra dica: Desative o recurso de conexão Wi-Fi automática em seu dispositivo. Caso contrário, se você se conectar a um ponto de acesso mal-intencionado, seu dispositivo pode lembrar dele e se conectar automaticamente a ele quando estiver disponível.

2. Crie senhas fortes
O que mais possibilita invadir as contas das pessoas é que, geralmente, elas usam a mesma senha em suas várias contas. Então, pare de fazer isso. No mundo rápido e sempre conectado da atualidade, pode ser cansativo usar 50 senhas diferentes, únicas e fortes, mas isso não precisar ser tão chato. Existem serviços como o LastPass, que ajudam a gerenciar todas as suas senhas. Você só precisa se lembrar de uma senha mestra única. Essa tecnologia também cria automaticamente senhas fortes aleatórias para cada aplicativo que você precisar acessar e armazena todas elas em um formato criptografado. Baseada na segurança que utiliza senhas únicas está a abordagem de autenticação de dois fatores, que é discutida no próximo item.

3. Use autenticação de dois fatores
Cada vez mais aplicativos estão exigindo dois ou mais fatores na autenticação de seus usuários. Não lute contra esse sistema, adote-o. Você pode pensar: “Que chato isso” quando o sistema pedir uma segunda comprovação da sua identidade, mas isso não se compara à dor de cabeça causada pelo vírus que pede resgate ou roubo de identidade. Sim, leva mais tempo para que um código de segurança seja exibido em seu smartphone e, em seguida, para você inserir esse código, mas esse curto tempo de espera mantém você, suas contas online e seus dados pessoais seguros.

4. Encontre vírus e malware
Instale software antivírus e anti-malware, mantenha-o atualizado e execute-o regularmente. Porém, faça sua lição de casa primeiro. Existem produtos que fingem ser ferramentas de segurança, mas são malwares disfarçados – uma armadilha inteligente e irônica. Como nenhum software é 100% eficaz, realize uma verificação regular, por exemplo, uma vez por mês deve ser suficiente, e use uma segunda ou terceira solução de segurança que faça uma varredura no seu dispositivo ou rede. A maioria dos softwares anti-malware vem com um firewall; não esqueça de habilitar esta proteção adicional.

Não deixe que os bandidos acabem com suas férias divertidas. Lembre-se: você é responsável por sua própria cibersegurança; ninguém mais vai fazer isso por você. Tome as providências necessárias antes de partir para as férias e permaneça atento durante toda a viagem. O uso de bom senso e boa higiene online ajuda a evitar desastres digitais.

Colaborou Anthony Giandomenico, Estrategista Sênior de Segurança da Fortinet

 

 INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Quatro dicas para férias com cibersegurança