NOVIDADES

Teste e Análise – Ford Fusion Titanium Hybrid 2017

Teste e Análise – Ford Fusion Titanium Hybrid 2017


by 27 de dezembro de 2017 2 comments

FORD Fusion Titanium Hybrid 2017

Fiquei com um Ford Fusion Titanium Hybrid 2017 durante uma semana, cedido pela FORD, para análise e testes. Recebi o carro em uma segunda-feira e devolvi na seguinte, porém deu para sentir como se comporta esse híbrido que é importado, pois é fabricado no México, tanto na cidade como na estrada.

A análise foi focada em oito itens: os dois motores que equipam o carro; piloto automático adaptativo; permanência na faixa de rolamento; estacionamento autônomo; computador de bordo; frenagem autônoma; conforto e conveniência e o sistema multimídia Sync 3. Uma curiosidade: todo sistema de som é da Sony e tem entrada para CD, pois pesquisas da FORD indicaram que o público gosta de utilizar essa mídia nos automóveis.

Design
O design da linha Ford Fusion Titanium 2017 é única para qualquer opção de motorização, seja híbrido ou não. Suas linhas são suaves e alongadas, o que dá sensação de agilidade e esportividade sem perder a classe. Particularmente eu gosto muito de carros que dão a impressão de serem mais longos do que realmente são e esguios ao cortarem o ar. Com coeficiente aerodinâmico (Cx) 0,28, está entre os mais baixos do mercado e isso quer dizer mais conforto quando o quesito é silêncio interior, além de menor consumo de combustível.

Clique em uma foto abaixo para ver a galeria.
Fotos do site da FORD, exceto:
07 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 2017
08 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 2017

01 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201702 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201703 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201704 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201705 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201706 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201707 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 201708 FORD FUSION TITANIUM HYBRID 2017INTERIOR 01INTERIOR 02INTERIOR 03INTERIOR 04INTERIOR 05INTERIOR 06INTERIOR 07

Não imagine, veja
Aqui no Vida Moderna tentamos sempre mostrar através de vídeo como situações descritas no texto funcionam. Isso porque melhor do que imaginar uma tecnologia é vê-la em ação.

Por isso, acompanhe agora as análises e os testes e assista os vídeos para entender na prática como funciona cada um dos itens.

Motorização
O principal destaque do Ford Fusion Titanium Hibrid 2017 sem dúvida nenhuma é seu sistema de dois motores, sendo um convencional, a gasolina com 143hp e o elétrico, com 47hp. Juntos eles entregam os 190hp prometidos pela montadora americana, proporcionam um desempenho satisfatório e uma economia de combustível excepcional para o tamanho do carro.

Torque e câmbio
Seu motor a gasolina é 2.0 com 143hp – conseguidos a 6000 rpm – e 16 vávulas, tendo 17.5 kgfm de torque máximo a 4000 rpm combinado com câmbio eCVT (Transmissão Continuamente Variável). Esse tipo de câmbio não possui marchas, ou seja, não existe 1ª, 2ª, 3ª 4ª e por aí vai. Ele entrega o desempenho máximo assim que você pisa no acelerador e é extremamente macio, pois não existem engrenagens nem embreagens para dar a sensação da troca de marcha. Tem gente que não gosta, tem gente que não sente diferença alguma e tem os que gostam bastante. Do ponto de vista de conforto e desempenho, é o câmbio ideal. Por isso o carro não tem as famosas borboletas no volante para troca de marcha. E uma coisa que chama atenção é que o carro não tem alavanca de câmbio e sim uma roda no console entre os bancos, com as marcações P, R, N, D e botão central L. Ela é chamada de e-Schifter e é bem confortável de usar.

Mas como funciona essa dupla de motores?
Em harmonia. É mais ou menos assim: quando você liga o carro, no botão POWER/START-STOP no painel, aparentemente nada acontece. É como se você estivesse sentado no sofá da sala da sua casa: nada vibra, nenhum barulho de motor, nada. Apenas os painéis acendem e aparece a mensagem ON na tela esquerda do painel atrás do volante.

A partir daí é só colocar o e-Schifter no D que o carro sai mansamente, sem o menor barulho. À medida que você acelera porque precisa de mais potência, o motor a gasolina entra em ação e, ao mesmo tempo, começa a carregar o motor elétrico. Caso ainda você pegue uma subida íngrime e precise de mais potência, o motor elétrico para de ser carregado e entra em ação para ajudar o carro andar com mais torque para vencer a subida.

E qual a autonomia do motor elétrico?
Ilimitada, é a resposta. Ou quase isso. Ele não precisa ser ligado em uma tomada porque a energia das baterias que fazem esse motor funcionar são recarregadas constantemente nas seguintes situações:

1 – Quando o motor a gasolina é acionado e não precisa de potência extra

2 – Quando o carro anda engatado na inércia, sem acelerar, no famoso embalo

3 – Quando o carro utiliza o freio

E quando o carro anda só com o motor elétrico?
No anda e para da cidade, desde que seja no plano e não subida, por mais suave que seja. Quando você para no farol ou no trânsito. Nas marginais, por exemplo, andei muito tempo só no elétrico, tanto no trânsito lento quanto em média velocidade. Isso porque o motor elétrico  consegue mover o carro até uns 50/60 KM/h, mas lembre-se, desde que seja terreno plano, sem subida.

4 – E se ficar sem gasolina? Anda só no elétrico? Curto e grosso: NÃO! Ele não vai sair do lugar. Isso porque os dois motores são administrados eletronicamente e a falta de gasolina será interpretada com um erro grave do sistema.

5 – E ao contrário? Se o sistema elétrico der problema ele anda só na gasolina? NÃO! Veja a resposta da FORD para esses dois casos: “Os sistemas do Fusion Híbrido funcionam de forma complementar para oferecer o máximo de performance, com níveis baixíssimos de consumo de combustível e eficiência energética. Sendo assim, o carro precisa tanto do motor elétrico quanto do motor a combustão para trabalhar de forma efetiva. Na falta de um dos dois motores o carro não funciona.”

Veja o vídeo a seguir para entender direitinho como funciona

VÍDEO DO FLUXO DE CONSUMO E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Porta Malas e Motores
Mas onde ficam as baterias do motor elétrico e onde ele fica?
O jogo de baterias do motor elétrico ficam no porta malas e consomem  espaço. Pra você ter uma noção de quanto as baterias ocupam, um Ford Fusion Titanium 2017 a combustão tem um porta malas de 512 litros, enquanto o Hybrid tem 392 litros, ou seja, as baterias ocupam 23,44% do volume total.

Uma coisa interessante é que ele não tem estepe. Se furar um pneu e o furo for de até 6mm, você utiliza um aparelho – que você vai ver no vídeo a seguir – para consertá-lo provisoriamente. A FORD diz que dá para rodar até 200 quilômetros a velocidade moderada (até no máximo 80km/h), suficiente para encontrar um borracheiro. Se o furo for maior, pode chamar o socorro do seguro.

Veja o vídeo do porta malas, das baterias e dos motores.

VÍDEO DO PORTA MALAS COM AS BATERIAS E DOS MOTORES

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Estacionamento Autônomo
Também chamado de baliza automática, já está presente em outras marcas, mas merece destaque. A linha Fusion da FORD e outros veículos da marca também têm essa tecnologia e ela facilita bastante quem não é chegado a colocar o carro em vaga apertada. Sempre impressiona quando vista ao vivo, principalmente quem é ruim de braço para fazer manobras.

O legal é que dá para escolher o lado da rua que vai estacionar e se a vaga é normal ou 90 graus. Basta escolher no painel.

Veja o vídeo a seguir para entender como funciona. Escolhi uma vaga apertada e não uma folgada. É bem bacana ver o carro estacionar sem colocar a mão no volante.

VÍDEO ESTACIONAMENTO AUTÔNOMO

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Piloto Automático Adaptativo
Essa tecnologia é uma das mais legais do carro. Ela é uma grande evolução do piloto automático convencional que, vamos ser sinceros, de automático não tem nada. O adaptativo sim pode ser chamado de automático, pois ele toma as decisões praticamente sozinho: diminui e retoma a velocidade de acordo com o andamento do trânsito à sua frente, chegando até a frear completamente e andar novamente sem que seja preciso pisar no freio ou no acelerador, exceto em determinadas situações.

Você decide em qual será velocidade máxima o piloto automático deverá colocar o carro e qual a distância mínima ele deverá manter dos automóveis à sua frente (são três opções de distância) – ativadas nos botões do lado esquerdo do volante – e a partir daí ele faz tudo sozinho. Cheguei a andar sem pisar no freio e no acelerador na cidade por mais de 30 minutos em trânsito normal e pesado; na estrada, fiquei mais de uma hora. É bastante confortável e divertido.

No começo você fica sem muita confiança e levanta o pé toda hora para levar no pedal do freio, porém sem pressioná-lo. Mas como o ser humano se acostuma rápido com tudo que é bom, depois de alguns minutos você relaxa e vai curtindo a novidade.

Para ver na prática como o piloto automático adaptativo funciona, veja o vídeo a seguir.

VÍDEO DO PILOTO AUTOMÁTICO ADAPTATIVO

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Permanência na Faixa de Rolamento
Outra tecnologia legal que visa a segurança nas estradas é a permanência na faixa de rolamento de uma estrada. Ela também está presente em outros modelos da FORD e não é exclusividade do Fusion Titanioum Hybrid. Para ativar esse recurso você pressiona o botão na ponta da alavanca do farol alto, do lado esquerdo do volante.

No painel central esquerdo vai aparecer um carro no meio de duas faixas brancas, e esse conjunto carro-faixas simbolizam o carro na estrada como se ele estivesse sendo visto de cima. Daí para a frente os sensores do carro se encarregam de mantê-lo dentro das faixas e avisar o motorista quando ele sai delas.

Funciona assim: você está em uma estrada bem sinalizada e com faixas bem definidas, dirigindo tranquilamente entre elas à velocidade, vamos dizer, de 100Km/h. Aí você se distrai por qualquer motivo e o carro cai levemente para a direita, colocando as rodas em cima da faixa. Se o sistema estiver ativado, no painel o carro virtual se deslocará para a direita, mantendo a rota, e a faixa da direita ficará amarela; ao mesmo tempo o volante vira levemente à esquerda e recoloca o carro em sua rota.

Se, contudo, o carro continuar a sair da faixa e ultrapassá-la com as duas rodas do lado direito, no painel ela ficará vermelha, o volante irá vibrar e fará um movimento leve à esquerda até posicionar o carro novamente entre as duas faixas. Isso é muito útil no caso de um cochilo ao volante ou uma distração mais forte, como manipular o celular, por exemplo. E isso vale tanto para uma caída para a direita quanto para a esquerda, na reta ou na curva.

Porém se a intenção for mudar de pista mesmo, basta ligar a seta antes de começar a mudar de faixa que o sistema é suspenso temporariamente, até a seta parar de piscar.

Para entender como esse sistema funciona, veja o vídeo a seguir

VÍDEO DE CONTROLE DE PERMANÊNCIA NA FAIXA

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Interior, volante, computador de bordo e mais
O carro é, sem dúvida, muito bem acabado e com tecnologia pra todo lado em seu interior. Tanto é que ouvi de um manobrista ao me entregar o carro: “Chegou a nave”. Mas ele não deve ter mexido em muita coisa, pois acionei o Modo Manobrista no computador de bordo antes de entregar o carro pra ele, logo que cheguei. Nesse modo o carro fica limitado a um curto percurso, não funciona rádio, ar condicionado e outras funções.

Além disso, os bancos dianteiros têm memória, aquecimento e refrigeração e regulagem elétrica, inclusive para lombar. No painel central é possível realizar inúmeras funções, como mudar a luz ambiente do interior e muito mais. O espaço dos bancos traseiros é suficiente para transportar confortavelmente três passageiros, inclusive no tocante aos bancos dianteiros: os joelhos não encostam nos bancos da frente.

A parte de trás também tem saídas de ar condicionado, além de uma tomada convencional de três pinos de 110 volts para carregamento de eletrônicos. Outra coisa que chama a atenção é o teto solar, que pode ser parcialmente aberto, mantendo o vidro fechado ou abrir totalmente, inclusive o vidro.

O acabamento dos bancos em couro e soft touch – toque macio – no painel e colunas completam o luxo e conforto. Quanto a acústica do carro, ela pode ser considerada excelente, principalmente por conta da tecnologia dos alto falantes, que emitem uma frequência sonora imperceptível ao ouvido humano que anulam os ruídos externos. Ele é muito silencioso e praticamente não dá para ouvir sons vindos de fora.

Veja o vídeo para conhecer os detalhes.

VÍDEO INTERIOR E TECLADO NA COLUNA EXTERNA

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Multimídia na ponta dos dedos
O áudio não é apenas áudio. É um sistema multimídia que pode ser controlado na ponta dos dedos, tanto no volante como na tela do painel central. Ele é chamado de Sync 3 e equipa a maioria dos carros da FORD, não só o FORD Fusion Titanium Hybrid.

Veja o vídeo para conhecer. Ele foi feito com um engenheiro da FORD num FOCUS TITANIUM PLUS que tem o mesmo sistema.

VÍDEO SYNC 3

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

SEGURANÇA
Além da economia de combustível, o outro grande trunfo do Fusion Titanium Hybrid é o seu leque de segurança. O  alerta de ponto cego nos retrovisores externos é uma função bastante útil, de fácil visualização e que pode evitar acidentes, principalmente com motos.

Além dos que foram mostrados nos vídeos anteriores, como a permanência na faixa, o piloto automático adaptativo e os alertas de proximidade, um deles eu achei melhor testar com um engenheiro da FORD: a frenagem  de emergência.

Resolvi não tentar por mim mesmo, apesar dele ter sido acionado uma vez comigo em uma bobeada que dei no trânsito anda e para. Se não fosse esses sistema eu teria batido no carro da frente. Pude comprovar que funciona. Porém, eu não quis repetir a experiência e achei melhor recorrer à FORD e fazer em um ambiente controlado.

Não foi feito com um Hybrid e sim com um Fusion Titanium a gasolina, mas o sistema é o mesmo. Veja o vídeo.

VÍDEO FRENAGEM DE EMERGÊNCIA

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Chave
A chave do carro seria bem simples, não fosse pelo fato de não ter chave e atuar por proximidade. Você não tem fechaduras no carro todo, nem para dar partida, que é realizada através do botão POWER/START-STOP no painel. Ela possui alguns botões, que você vê para que serve no vídeo abaixo.

VÍDEO DA CHAVE

Caso não consiga ver o player de vídeo, CLIQUE AQUI

Conclusões finais
Sem dúvida nenhuma o Ford Fusion Titanium Hybrid é o carro de sua categoria de preço que tem o mais baixo consumo de combustível com o melhor conjunto de motor, aliado à segurança e comodidade de condução. Seu grande trunfo é não precisar recarregar as baterias do motor elétrico através de um ponto de energia e sim fazer com que elas sejam alimentadas através de um sofisticado modelo tecnológico de reutilização de energias que todos os carros deixam escapar. Para entender como funciona esse processo, veja o vídeo “FLUXO DE CONSUMO E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES” nesta matéria.

Seu público é o que busca muito conforto sem exigir um super motor, porém que não quer perder a sensação de pisar no acelerador e ter resposta rápida  no caso de uma ultrapassagem. Provavelmente as vendas para o mercado corporativo, para executivos, serão maiores do que para pessoas físicas.

Aparecer em uma reunião ou um almoço de negócios com um carro híbrido do porte do Fusion, além de impressionar pelo design, vai imprimir à empresa o selo de sustentabilidade. Pode parecer bobagem, mas não é. Hoje em dia qualquer demonstração de preocupação com a natureza pega bem.

Pontos que precisam melhorar
Uma coisa que achei um pouco desconfortável foi a altura do carro em relação ao solo. Apesar das rodas de 18 polegadas, ele raspa facilmente na saída de garagens, valetas um pouco mais acentuadas e outras situações. Também achei a posição sentado um pouco baixa em relação aos outros carros, apesar de ter regulado o banco no máximo.

Quanto aos 190 cavalos combinados dos motores, eles entregam o que prometem e são o que são. O torque é bom para essa potência e o câmbio eCVT torna o carro ainda mais macio, pois não existem mudanças de marchas.

O valor do carro é, segundo o site da FORD, de R$ 163.700, mas dá para conseguir algum desconto nas concessionárias; é só pesquisar.

A pergunta que fica é: Vale a pena comprar?
Minha resposta é sim e eu compraria um tranquilamente para uso diário, pois a economia de combustível é grande, do mesmo tamanho do conforto que ele proporciona. Vale a pena comprar por tudo que ele proporciona e pela imagem que ele imprime no seu proprietário, a de alguém preocupado com o meio ambiente. Além disso, o preço compensa se comparado com carros do mesmo valor que não são híbridos, porém têm qualidades diferentes. É uma questão de escolha e opção.

O meu 3.6 de 260 HP, seis cilindros e câmbio automático com troca de marcha nas borboletas do volante eu deixaria parado e só usaria de vez em quando.

Serviço
Além do preço –  levando-se em conta o valor que a FORD indica no seu site -, quem compra tem que levar em consideração o seguinte:

Seguro
Geralmente é 5% do valor da nota fiscal

IPVA
Segundo o site do Detran, o desconto no IPVA para carros híbridos e elétricos pode chegar a 50%

Blindagem
Normalmente quem compra um carro desse valor opta por fazer uma blindagem. Segundo Vitor Granjeia, diretor da ATS Blindados, o custo para blindar um Ford Fusion é o seguinte:

Blindagem nível IIIA ATS STD
Vidros 21mm em policarbonato com SteelGlass (aço inserido), manta de aramida em 8 camadas, aço inox AISI 304L, sirene e cinta de aço nas 4 rodas, peso aproximado 170kg– Garantia total da blindagem de 36 meses;
R$ 48.000,00

Blindagem nível IIIA ATS FLL
Vidros 18mm em policarbonato com SteelGlass (aço inserido), manta de aramida em 8 camadas emborrachada, aço inox AISI 304L, sirene 2 vias e cinta de aço nas 4 rodas, peso aproximado 150kg – Garantia total da blindagem de 60 meses: R$ 55.000,00

E para finalizar, se você for comprar um desse, nem pense em levá-lo para uma oficina de bairro caso ocorra algum problema. É um automóvel que deve ser levado apenas em uma concessionária autorizada pela fábrica. Apesar de poder custar mais caro que a oficina do primo do vizinho do cunhado do amigo, vai sair mais barato, pode ter certeza.

Se gostou da análise, compartilhe na sua rede social e deixe seu comentário. Um abraço.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Motor     2.0 Aktinson
Número de cilindros     4
Combustível     Gasolina / Elétrico
Potência (cv)     143 (G)
Torque (Nm)     175 (G)
Transmissão Automática     eCVT
Tração     Dianteira
Direção     Elétrica
Freios dianteiros     A Disco
Freios traseiros     A Disco
Pneu     235/45 R18
Roda     Liga Leve 18″
Suspensão dianteira     Independente tipo Macpherson
Suspensão traseira     Independente Controlink
Altura do veículo (mm)     1480
Largura do veículo com espelhos (mm)     2121
Largura do veículo sem espelhos (mm)     1852
Comprimento do veículo (mm)     4871
Distância entre-eixos (mm)     2850
Porta-malas (L)     392
Tanque de combustível (L)     53
Peso do veículo em ordem de marcha (Kg)     1670 Kg
Capacidade de carga (Kg)     386
Peso bruto total (Kg)     2056

2 Comments so far

Jump into a conversation
  1. Fábio Aguiar
    #1 Fábio Aguiar 17 fevereiro, 2018, 21:39

    Estou pesquisando sobre o Ford Fusion há algumas semanas, inclusive comparando com os renomados concorrentes alemães.
    Certamente, sua análise é uma das mais completas e esclarecedoras que encontrei na internet, sem falar no ótimo trabalho com os vídeos.
    Agora só me falta fazer o test drive antes de tomar minha decisão pela compra.

    Parabéns por este excelente trabalho!

    Reply this comment

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.