Home Cultura Acer lança plataforma comunitária de esports PLANET9 no Brasil

Acer lança plataforma comunitária de esports PLANET9 no Brasil

A plataforma permite que os jogadores se conectem com outros, melhorem a jogabilidade e participem de torneios.



A Acer apresentou o PLANET9, uma plataforma de esports que auxilia jogadores de todos os perfis a encontrar equipes e torneios para participar, oferece oportunidades para praticar e melhorar, além de facilita a conexão com jogadores e treinadores com ideias semelhantes.

Para quem prefere assistir, também é um ótimo lugar para acompanhar as equipes e ficar atualizado quanto ao cenário dos esports. 

“O PLANET9 foi criado para levar aos gamers uma experiência inovadora e precisa. Ele não é só para os profissionais, como também é direcionada a aqueles que começaram a se aventurar agora nos jogos. Com certeza é uma plataforma que irá mudar o cenário”, comenta Danilo Santander, Gerente de Marketing da Acer do Brasil. 

“Trabalhamos diariamente para garantir a melhor experiência para nossos usuários em todos os quesitos de seu dia a dia, seja com produtos, hardware, software e serviços. A chegada do PLANET9 só reforça nosso compromisso com a comunidade gamer brasileira”, explica Santander.  



Equipe 
No PLANET9, os gamers podem se encontrar para uma partida e/ou se agruparem a outros jogadores do mesmo nível. É possível adicionar e seguir amigos e conhecidos. Com base nas habilidades e outras informações, a plataforma seleciona e recomenda ao usuário pessoas com o mesmo perfil para jogarem juntas.

Para as equipes formadas, existe sala de bate-papo e compartilhamento de táticas de jogo, assim o grupo consegue se relacionar de forma instantânea e dividir os melhores momentos.  

Treinamento para obter excelência 
A plataforma possui importantes recursos para melhorar as habilidades e formação do gamer, como por exemplo, a possibilidade de contratar um treinador para fornecer orientação individual, jogar ao lado de veteranos e ver estatísticas avançadas de jogos para acompanhar o próprio desempenho. 

Treinador: O recurso de Treinador permite que os gamers aprendam com jogadores profissionais e experientes. Os jogadores podem selecionar o treinador ideal com base em estatísticas, idioma, classificação e horas jogadas. Os treinadores podem analisar as estatísticas do jogo do gamer para elaborar uma estratégia personalizada, aprimorada por recursos de compartilhamento de tela, bate-papo por vídeo/voz e upload de VOD para reproduzir os momentos que precisam ser aperfeiçoados. 

Aplicação: Os usuários podem jogar em conjunto com outros jogadores para se classificarem em campeonatos, além de aprenderem e aprimorarem suas habilidades durante o processo. Os hosts podem incorporar as transmissões ao vivo da Twitch ou do YouTube para atraírem gamers e fãs para se unirem a eles em uma sessão de aplicação. 

Estatísticas do jogo: Todas as estatísticas de jogo são apresentadas em um painel atraente. Os dados sobre vitórias, derrotas, mortes, itens comprados, ouro encontrado etc. são usados para associar o jogador com o treinador ideal e oferecer informações sobre maneiras de melhorar. 

Campeonatos 
Outro diferencial do PLANET9 é a possibilidade de sediar campeonatos e torneios de pequeno a grande porte, o que pode gerar patrocinadores e talvez, a oportunidade de gamers conquistarem fama e até prêmios. Também fica salvo na página de cada usuário a quantidade de vitórias e recompensas que recebeu. 

Público-alvo 
A rede é aberta para todos que desejam mergulhar no universo dos games e esports. Para criar uma conta, basta acessar o site do PLANET9 e se cadastrar de forma gratuita, não é necessário comprovar nenhum dado.

A plataforma é global e já está disponível em diversos países, sendo necessário selecionar o idioma de origem. 

Para saber mais sobre o Planet9, acesse: o site. 

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

Mitos e verdades sobre o refrigerador side by side da Samsung, com três portas
Previous articleConheça os exercícios indicados para quem tem diabetes
Next articleTrabalho híbrido, da utopia à realidade do pós-pandemia