Home Novidades Como é viver na capital do Brasil? O passado e o presente...

Como é viver na capital do Brasil? O passado e o presente de Brasília

Em 2020, a terceira capital do Brasil completa 60 anos de fundação. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Brasília foi inaugurada no dia 21 de abril de 1960, pelo então presidente Juscelino Kubitschek, para ser o centro político do país, e, até hoje, se destaca pelo desenvolvimento urbanístico e arquitetônico singular.

A presença verde, em meio ao ambiente urbano, a organização espacial e o clima da cidade são algumas das características que mais agradam os moradores da capital. No entanto, problemas como o alto custo de vida e a desigualdade social também estão presentes na realidade local.

Seja quem está de passagem para Goiânia, cidade a menos de 180 km de distância, ou ainda quem sobrevoa a capital, pode se encantar com esse projeto que ganhou vida. E quem mora em Brasília? Como é, de fato, viver na capital do país?

Brasília do passado
A capital federativa foi projetada pelo urbanista Lúcio Costa e pelo arquiteto Oscar Niemeyer como “Projeto Piloto”. Vista de cima, a área principal de Brasília parece ter sido desenhada em formato de avião. A proposta inicial, porém, era um pouco distinta.

Segundo Lúcio, seu projeto “nasceu do gesto primário de quem assinala um lugar ou dele toma posse: dois eixos se cruzando em ângulo reto, ou seja, o sinal da cruz. Procurou-se, depois, a adaptação à topografia local, ao escoamento natural das águas, à melhor orientação, arqueando-se um dos eixos”.

A proposta ia além. A criação da rodovia do Eixo Norte-Sul fez com que o tráfego de veículos tivesse uma disposição compatível com as regiões residenciais e comerciais da cidade, facilitando, assim, o fluxo de pessoas e automóveis.

Além disso, houve uma divisão por área. O Eixo Leste-Oeste abrigaria os principais centros de atuação política, como o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. O Eixo Monumental, por sua vez, reuniria o centro administrativo da cidade.

Já o Eixo Central integraria todos os pontos do município, uma espécie de coração da cidade, tendo sido criado ao redor da Plataforma Rodoviária. Tudo isso tendo como ponto de partida o sonho do presidente Juscelino Kubitschek de transformar uma região completamente deserta na capital do país.

Brasília do presente
Para além do projeto arquitetônico modernista e extremamente inovador naquela época, a cidade brasileira se revela como uma das com melhor qualidade de vida. Um levantamento, feito em 2017, colocava Brasília na 109ª posição do ranking das 450 melhores cidades para se viver no mundo inteiro.

Um dos aspectos que deram à capital do país essa colocação é a paisagem natural. A presença de aspectos próprios do cerrado dentro do meio urbano, com certeza, faz muita diferença para quem vive em Brasília.

Isso sem falar da biodiversidade própria do cerrado. A presença de frutas e castanhas, como pequi, baru, cagaita e buriti, bem como de animais silvestres, como o lobo-guará e o tamanduá-bandeira, são marcantes nas proximidades.

Ponto turístico que exala essa biodiversidade é o Parque Nacional de Brasília, mais conhecido como Água Mineral,  que tem como atração principal as piscinas formadas a partir de poços d’água, que surgiram às margens do Córrego Acampamento devido à extração de areia feita durante a criação da cidade.

O clima da cidade é um caso à parte. Isso porque a região, localizada no chamado Planalto Central, é bastante seca em boa parte do ano. Além disso, há uma variação de temperatura considerável ao longo do dia.

A capital do Brasil também é classificada como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e tem no chamado turismo cívico uma atividade que atrai pessoas de diversos estados do país e do mundo.

[/read]
 

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Como é viver na capital do Brasil? O passado e o presente de Brasília

 

Veja também
Brasil Game Show de 2020 é oficialmente adiada
LG apresenta novo Monitor UltraWide Gamer
Ensino universitário e mercado de trabalho: mind the gap

Previous articlePhilips apresenta nova linha de fones de ouvido
Next articleConheça as vacinas do primeiro ano de vida do bebê