A Companhia de Desenvolvimento de Maricá – CODEMAR e a Secretaria de Educação de Maricá realizam, pela primeira vez na américa latina,Torneio Intercolegial de Games. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

A competição envolve 1500 professores de 50 escolas (municipais, estaduais e particulares), para um universo de 30 mil alunos entre 11 e 18 anos, num total de 300 atividades, no período de seis meses consecutivos de 2019.

O torneio visa usar os melhores benefícios dos jogos eletrônicos (games), através de uma competição amigável, desconstruir preconceitos e legitimar os games na área educacional, além identificar e promover talentos.

No mês de junho foi dada a largada do Torneio Intercolegial de Games Maricá a  primeira escola a participar foi a escola Municipal Darcy Junior , com rodadas de games para os alunos.

Para o diretor da For Games, Victor Prado, a abertura do evento foi um dia histórico: “Pela primeira vez uma cidade abre as portas para os games, incentivando-os e os legitimando nas escolas, na cidade inteira, como um todo. Isso é um grande passo para a educação brasileira. É utilizar os jogos de maneira consciente”, diz.

“O Brasil consome muito game, entretanto não produz no mesmo patamar de consumo porque não possui gamer crítico, que entende como os jogos são feitos e o que está consumindo. O torneio vai oferecer mais de 300 oficinas de desenvolvimento de jogos e falas com alunos e professores sobre as possibilidades profissionais dessa indústria bilionária”, declarou Victor.

Duas fases
Na chamada fase Intraescolar,  serão realizadas ao todo  100 atividades. Cada escola vai receber a For Games para a realização de atividades como: palestra econômica voltada para a  indústria dos games, conversas,  uma oficina de desenvolvimento de jogos e uma competição de criação de jogos de tabuleiro (boardgame jam). Em seguida, a formação dos times da escola.

Os alunos jogam em sistema de “mata mata” e vão acumulando  pontos, para no final os 5 melhores formarem o time oficial da escola. São três  consoles ao mesmo tempo, com jogos aleatórios (condizentes com o ambiente escolar), e todos jogam os mesmos jogos e a mesma quantidade de partidas.

No segundo momento chamado fase intercolegial, previsto para outubro, é quando acontece o Torneio Intercolegial de Videogame, ou seja, escola contra escola. Esta etapa permite o desenvolvimento da inteligência social – colaboração e trabalho em equipe, além de um reforço no espírito escolar.

Na fase intercolegial são 20 eventos marcados, totalizando 80 horas de competição. As 50 escolas com seus respectivos times (de cinco alunos), são chamadas pelas páginas oficiais do torneio e por correio eletrônico.

O prêmio final do torneio para as duas escolas finalistas é uma “gaming room” composto por uma  tv 40″, um console de última geração com controles e jogos e um móvel customizado para esses equipamentos. A ideia é reforçar os objetivos do torneio, a legitimação dos games nas escolas e a competição amigável.

De acordo com o Superintendente do Parque Tecnológico de Maricá, Tiago de Paula, uma das linhas de ação é o arranjo produtivo de games, chamado “Cluster de Games Maricá”, formulado a partir de publicações do BNDES, da USP e de muita conversa e articulação com agentes econômicos, educacionais e de inovação.

O processo de inovação na indústria de games deve-se muito a formação de uma Comunidade Gamer, muitos de seus talentos nascem nestas comunidades. O Torneio Intercolegial é a primeira ação no sentido de formar essa comunidade Gamer organicamente no Município e de introduzir instrumentos de identificação e desenvolvimento de talentos.

Hoje a juventude que chega à escola tem outra linguagem e dinâmica de aprendizagem sua relação com as tecnologias da informação vem praticamente de berço em todas as camadas sociais. Isso cria um novo desafio ao ambiente escolar.

Para participar do Torneio basta à escola manifestar interesse no site, por mensagem, email ou Facebook, e se inscrever.

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA

Veja também
Android deve dominar mercado dos games em 2020, indica pesquisa
Diga adeus ao dinheiro físico: a ascensão dos pagamentos digitais
Prefeitura de São Paulo e IPT buscam promover acessibilidade para pessoas com deficiência