Home Cultura Esgrima: um esporte completo e democrático

Esgrima: um esporte completo e democrático

Esgrima

A esgrima é considerada como o esporte mais antigo do Ocidente e oferece inúmeros benefícios para o praticante. E o uso da espada ainda faz a cabeça de muita gente. [read more=”Continuar lendo…” less=”Menos”]

Acredita-se que é na pré-história, quando o homem se utilizava de armas para a caça e a defesa de animais, que é encontrada a origem da esgrima. E foi na França do século XVII que surgiram as primeiras escolas.

“Muitas coisas vem da antiguidade. As pistas de esgrima surgiram nos primeiros castelos medievais, sendo adaptadas de acordo com o espaço dos corredores”, conta Abel Melián,  professor da modalidade e com mais de 40 anos de experiência na área. “Hoje, as dimensões oficiais são 14 metros de comprimento, com um espaço para recuo, e até dois metros de largura”, diz.

Mas a esgrima moderna é bem diferente, é um esporte divertido e ao mesmo tempo de muita habilidade, inteligência e controle emocional, trazendo inúmeros benefícios para o praticante, fazendo com que muitos profissionais e executivos de diversas áreas busquem a modalidade. O Vida Moderna esteve em uma escola e pode conferir isso de perto.

A primeira impressão é de um esporte muito democrático, podendo ser praticado por qualquer pessoa independente da idade. sexo, tamanho, condição física ou até mesmo no caso de cadeirantes.  Por não haver distinção de sexo, homens e mulheres podem jogar entre si. Muitos praticantes estão na modalidade especialmente para ganhar condicionamento físico e também perder peso.

Alunos de esgrima
Abel Melián com alguns de seus alunos

“Todos podem jogar contra todos. E em uma aula de cerca de 2h é possível perder até 1200 calorias. A intensidade é muito alta, e por isso o atleta ganha muito condicionamento físico praticando”, afirma Melián.

Custos e Materiais
Um mito em relação a modalidade é ser algo “caro” por conta dos custos dos equipamentos utilizados, além da própria arma. As roupas específicas para a prática são brancas e muito resistentes, acompanhadas de luvas na mão que empunhará a arma, máscara protetora e colete protetor. No caso das mulheres, há ainda um colete protetor especial para os seios. Os professores usam roupas pretas nos treinos.

“Normalmente a escola empresta para o aluno todo o material por alguns meses, para ele se adaptar e se ‘apaixonar’ pelo esporte. Após esse período o próprio aluno já pensa em adquirir os equipamentos, e orientamos para primeiro adquirir a arma e a luva, e aos poucos os outros materiais. Assim o custo é bem pequeno”, conta Abel.

No caso de mensalidades, os valores são menores do que academias de musculação. “Academias de Crossfit, por exemplo, cobram muito mais caro do que uma escola de esgrima”, diz o professor.

Armas
São três armas diferentes utilizadas na esgrima, a espada, o sabre e o florete:

1. Espada: É a maior (110 centímetros), mais pesada (770 gramas) e mais rígida das armas, e pode atingir – com a ponta – todo o corpo do adversário. Por isso, o esgrimista deve se posicionar mais verticalmente. As disputas com espadas só entraram no calendário olímpico em 1900, em Paris, quatro anos depois da estreia do florete e do sabre (a introdução da esgrima nos Jogos Olímpicos se deu logo na sua primeira edição da era moderna: Atenas, 1896);

2. Florete: É uma arma menor que a espada (mede aproximadamente 90 centímetros) e mais leve (500 gramas). Os pontos no florete são marcados quando a ponta acerta o tronco (a parte da frente e das costas) do adversário, até a região ventral. A categoria faz muito sucesso entre os brasileiros

3. Sabre: É a mais flexível das três armas, por isso os jogos são muito rápidos e movimentados. O contato é válido é da cintura para cima – incluindo os braços – e golpes podem ser aplicados não só com a ponta, mas também com o lado da lâmina. Exige boa preparação física do atleta.

Nas disputas, quem chega aos 15 pontos primeiro é o vencedor. Apenas na espada, se dois competidores se tocarem ao mesmo tempo, ambos levam o ponto. Nas outras duas armas (sabre e florete) quem começa a jogada ou se defende antes do contra-ataque leva o ponto.

Benefícios
São muitos os benefícios para quem pratica, pois o esporte exige bom preparo físico, agilidade, equilíbrio, foco e concentração. Segundo Abel, “a esgrima sempre serviu de base para outras modalidades, especialmente os treinos, devido sua alta exigência tanto física quanto psicológica”. E em conversa com alguns alunos, percebi que os motivos (e a paixão) para a prática são bem distintos.

Para professora de educação física Cristiane, 37 anos e aluna há cerca de 40 dias, o esporte foi paixão a primeira vista. “Já pratiquei outros esportes, mas quando conheci a esgrima não quis largar, lidar com profissionais da área é muito diferente do que aprendemos na faculdade, a experiência é muito boa, eu adorei!”.

Esgrima: um esporte completo e democrático
Ataque x defesa

Já para Daniel, programador de Banco de Dados, 31 anos e atleta de esgrima há pouco mais de dois anos e bastante ativo, o principal motivo foi a perda de peso. “Em cerca de 2 anos eu perdi 12kg, a intensidade dos treinos me ajuda muito nisso e no preparo físico. E eu quero disputar mais campeonatos”.

Esgrima
Ataques rápidos!

Outra aluna com quem eu conversei, a “Nenê”, 46 anos,  disse que a modalidade a ajudou muito na questão de concentração e do físico. “Eu fico muito tempo sentada na frente do computador, e a esgrima me ajudou muito nesse sentido. Aqui nós temos tanta coisa pra prestar atenção, o trabalho mental é tão intenso que realmente nos desligamos de todo o resto. A parte física é intensa, e a turma é muito divertida! Aqui jogamos tanto contra homens como mulheres, não existe distinção”, diz.

Esgrima: um esporte completo e democrático
Disputa mista! Olha a Nenê indo para cima…

Para o Executivo de Segurança da Informação Bruno, 39 anos, a esgrima foi uma vocação, um chamado. “Sempre tive vontade pela questão de espada, de crescer vendo Star Wars e os duelos com os sabres de luz. A esgrima te permite entrar nessa fantasia, no mundo real. você vai duelar com outra pessoa de verdade”.

Já para sua esposa, a Gerente de Gestão de Talentos Ana, 38 anos e também praticante de esgrima, a motivação foi a busca por um esporte completo. “Sempre quis fazer um esporte de combate que utilizasse agilidade, estratégia e postura, e ao comparar com outras modalidades a esgrima atendeu a todos os meus requisitos”.

Esgrima
Disputa de casal…

“A esgrima chama a atenção de muitas pessoas. Quando ocorrem competições grandes, como as Olimpíadas a procura sempre cresce, e esperamos que esse interesse continue, pois é sempre bom divulgar uma modalidade tão completa”, conclui Melián.

Gostou, se interessou? Quer mais informações? Acesse o site da escola e faça uma aula experimental!

 

[/read]

INSCREVA-SE NO CANAL DO YOUTUBE DO VIDA MODERNA
Esgrima: um esporte completo e democrático

 

Veja também
eSports: Brasil está em 3º lugar em audiência global dos torneios de esportes eletrônicos
Arnold Sports Festival reúne 10 mil atletas em 40 modalidades em São Paulo
Nove em cada dez brasileiras buscam informações sobre saúde na internet

Previous articleCards Payment & Identification 2017 apresenta novidades em meios de pagamento
Next articleMárcia Nakahara é nova country-manager da BMC no Brasil